quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Dilma: Olimpíada do Conhecimento constrói alicerce para o futuro

Fonte Agência Brasil, com informações do Portal da Indústria

Em visita à 8ª Olimpíada do Conhecimento nesta quarta (3/9/2014), em Belo Horizonte, a presidente da República, Dilma Rousseff, destacou a importância da Educação e da inovação para o desenvolvimento do país. “A Olimpíada do Conhecimento é como se a gente abrisse uma cortina e mostrasse o caminho do futuro. Construímos aqui um alicerce para o futuro”, disse a presidente em discurso ao visitar a competição. A presidente disse, no entanto, que o país precisa aumentar investimentos em Educação e inovação.

Presidente Dilma na Olimpíada: visita começa pela competição de robótica (foto divulgação)

O presidente do Sistema Indústria, Robson Braga de Andrade, afirmou que o aumento do número de ocupações profissionais que participam da competição – passou de 26, em 2001, para 58 neste ano – demonstra que os jovens brasileiros estão se interessando mais pelo ensino técnico e tecnológico e se preparando para participar do desenvolvimento do país. “Os jovens estão cada vez mais comprometidos com o crescimento da indústria e do país”.

“Fico extremamente realizada que 82% dos participantes sejam do Pronatec”, disse a presidente Dilma. “Tivemos uma parceria com o Sistema S muito bem sucedida, que consiste na junção das estruturas do governo federal, com os institutos federais de educação e ensino tecnológico, e as escolas do Sistema S”, completou a presidente.

A oitava edição da Olimpíada do Conhecimento reúne pela primeira vez grande número de beneficiários do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico em Emprego (Pronatec). Eles representam 82% dos competidores, segundo a organização do evento. O programa é um dos carros-chefe do atual governo e a competição é uma forma de validar a qualidade do ensino.

Durante quatro dias de provas, que terminam no sábado (6/9/2014), os competidores fazem tarefas semelhantes às que enfrentariam em situações reais do dia a dia de trabalho. Seu desempenho estabelece o padrão de excelência das práticas de 58 ocupações técnicas, sendo 48 da indústria, sete do setor de serviços e três da agropecuária. Maior competição das Américas de Educação profissional e tecnológica, a competição é organizada e promovida pelo Senai, nos anos pares.

Os estudantes que passam à etapa nacional são os que se destacaram durante as aulas. Eles fizeram treinamento específico para a competição. Depois, participaram dos torneios estaduais e foram considerados os melhores de cada estado. Há estudantes do Pronatec na competição representando as delegações dos 26 estados e do Distrito Federal.

Dos 726 participantes, 597 passaram por cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) ou técnicos de nível médio nas unidades do Senai, Senac e nos institutos federais de Tecnologia.

Os melhores estudantes entre os vencedores da Olimpíada representam o Brasil no WorldSkills Competition, competição mundial que avalia a competência profissional de mais de 50 países.

Em 2015, a 43ª edição será realizada pela primeira vez na América Latina, desembarcando na cidade de São Paulo. Serão mais de 1 mil jovens das Américas, Europa, Ásia, África e Pacífico Sul, que demonstrarão habilidades técnicas individuais e coletivas para executar tarefas específicas de cada uma das ocupações profissionais.

De acordo com o diretor-geral do Senai Nacional, Rafael Lucchesi, os estudantes beneficiários do Pronatec têm desempenho semelhante ao dos demais estudantes. A taxa de evasão, apesar de ter passado de 5% para 8%, ainda é baixa. "Houve pequeno aumento na taxa, mas também um grande aumento no número de alunos. O Pronatec é uma importante agenda de construção de cidadania no país", diz.

"A olimpíada é fundamental para a aprendizagem dos alunos e para as empresas, mas o objetivo principal é mostrar a Educação profissional como um caminho de escolha, com uma boa remuneração. O estudante poderá ingressar no mercado de trabalho e poderá também continuar a estudar se desejar", acrescenta Lucchesi.

Segundo ele, a formação técnica chega a 7% da população de 15 a 19 anos, índice considerado baixo quando comparado à média de cerca de 50% dos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico.

Festival de Robótica
A presidente Dilma chegou por volta das 10 horas ao Expominas. A visita começou pela área de competições do Festival Internacional de Robótica FLL, na qual 210 crianças e adolescentes realizam missões utilizando robôs construídos na plataforma Lego MINDSTORMS. Igor Verri, 14 anos, (foto acima) ficou responsável por explicar para a presidente como são as provas. “A gente tem dois minutos e meio para cumprir 20 missões, que incluem solucionar problemas de desastres como furacão, tornado e tsunami”, disse, logo depois da apresentação.

Depois disso, ela visitou a exposição Inova Senai, que reúne 50 inventos desenvolvidos por estudantes e professores da instituição. No caminho, parou para conhecer um dispositivo que aumenta a mobilidade dos cadeirantes. “O sistema é acoplado a uma cadeira de rodas manual e permite que ela transponha obstáculos de até 30 centímetros”, explicou o professor Eliseu de Sousa, do Senai do Paraná e o coordenador do projeto.

Na exposição Indústria do Futuro, Dilma Rousseff conheceu exemplos de tecnologias educacionais que podem ser utilizadas na formação dos alunos na educação profissional. Depois disso, ela passou por pela área reservada à inovação de produtos desenvolvidos pela indústria brasileira. "Temos que apostar na melhoria da produtividade no Brasil e para isso estamos numa área fundamental, que é a inovação na indústria, pois se liga aos demais setores, como agricultura e serviços".



Nenhum comentário:

Postar um comentário