sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Quem é o consumidor? Seminário internacional vai debater comportamento da nova classe média brasileira

Na última década, o perfil socioeconômico do Brasil mudou – e muito. A principal novidade foi o fortalecimento da classe C, composta por famílias que têm renda mensal domiciliar total (somando todas as fontes) entre R$ 1.064 e R$ 4.561. Os números indicam que ocorreu uma considerável mobilidade social nos últimos anos: entre 2004 e 2010, 32 milhões de pessoas ascenderam à categoria de classes médias (A, B e C) e 19,3 milhões saíram da pobreza.

Foto Envolverde/Jornalismo e Sustentabilidade

Em 2009, a classe C foi responsável por R$ 881 bilhões dos gastos com consumo – a maior fatia do total de R$ 2,2 trilhões do país. Só na área de Educação, com pagamento de escola, material escolar e livros, o consumo foi de R$ 15,7 bilhões (em 2002 esse consumo foi de R$ 1,8 bilhão!)


Mas, quais serão os rumos que essa nova sociedade vai trilhar daqui em diante e seus paradigmas de consumo? Levantar e mapear essas respostas será a tarefa principal de quatro edições do Seminário Internacional de Comportamento e Consumo, que o Senai Cetiqt vai promover a partir de 17 de outubro, no Rio de Janeiro.

“Vamos debater os problemas a serem enfrentados para que o Brasil deixe de ser um país do futuro e se torne um país de futuro. Queremos discutir esse movimento de uma grande parcela da população que ganhou condições de consumir, ou seja, a chamada nova classe média. Saber o que houve de mudança na vida dessas pessoas”, explica Marcelo Ramos, pesquisador do Senai do Rio de Janeiro. "A indústria precisa entender quem são e o que querem esses consumidores", afirma Ramos.

O público esperado pelos organizadores do seminário são profissionais de marketing, comunicação e administração, além de funcionários do Senai de todo o país. As outras edições dos debates também ocorrerão neste mês de outubro: dia 23, em Belo Horizonte; dia 25 em Fortaleza; e dia 28, em Blumenau, em Santa Catarina.

Fonte Portal da Indústria, com informações do Portal Vozes da Nova Classe Média

Nenhum comentário:

Postar um comentário