quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Inovação: estudantes são premiados com projeto na área de petróleo

Os estudantes Lucas Assunção e Manoel Monteiro desenvolveram um sistema de alinhamento de sonda para poços de petróleo terrestres que reduz o tempo de serviço de 30 minutos para menos de 2 minutos. A iniciativa venceu o Prêmio Theopraz, na modalidade ensino técnico, e já foi comprada e está sendo aplicada pela empresa Perbras, que também contratou os dois estudantes do curso técnico de mecânica do Cimatec, unidade do Senai da Bahia.

“Ganhar este prêmio só reforça a sensação de dever cumprido. Foi um projeto trabalhoso, que envolveu várias áreas de conhecimento, mas o resultado recompensou tudo”, comemorou Assunção. O Prêmio envolve alunos e ex-alunos do Senai da Bahia e docentes orientadores. Os participantes conceberam e desenvolveram projetos voltados para o atendimento de situações reais da indústria utilizando a Metodologia TheoPrax.

Entre os projetos de graduação, o vencedor foi o estudante Gessé Justiniano, que produziu uma fresadora Router – máquina com sistema computadorizado de corte e gravação de alta precisão, voltada para a área de mecatrônica.

Os três primeiros colocados das duas categorias ganharam medalha, certificado e prêmio em dinheiro – R$3 mil para o primeiro colocado, R$2 mil para o segundo e R$1 mil, para o terceiro.
 
Modalidade de ensino de origem alemã adotada pelo Senai-BA, o Theoprax incrementa a aprendizagem por meio do desenvolvimento de soluções para problemas encontrados por empresas. Seu funcionamento é simples: a empresa apresenta um problema real, da sua rotina, para uma equipe Theoprax resolver. Estas criam soluções e levantam recursos e custos e se responsabilizam pela sua execução.
 
Os estudantes de todos os cursos técnicos e graduações do Senai-BA fazem o Theoprax no último ano do curso, com um semestre dedicado a análise do problema e sua solução e outro voltado à parte prática, de realização – que é feita com acompanhamento do Senai.
 
Representando a Moinho Canuelas, fabricante de farinha de trigo, Oscar Garavaglia já contratou estudantes por meio do Theoprax e foi um dos jurados da premiação. “Para nós, das empresas, o Theoprax apresenta muitas vantagens. A principal é a possibilidade de conhecer e selecionar novos talentos, que nos trazem ideias inovadoras”.
 
O coordenador do núcleo Theoprax do Senai Cimatec, Augusto Araújo, explica que a modalidade propõe um grande desafio para o estudante. “A empresa que contrata o Theoprax já percebe os integrantes da turma como solução, e não como estagiários, por exemplo”.
 
O gerente do Cimatec, Daniel Motta, acrescenta que trata-se de “um processo que envolve muitas habilidades, pois, além de desenvolver e gerenciar o projeto, os estudantes precisam apresentar uma proposta aplicável para um cliente e vender a ideia”.
 
A metodologia criada pelo Instituto Fraunhofer, da Alemanha, é aplicada no Brasil somente pelo Senai-BA. “Acredito que o Senai-BA terá muito sucesso com o desenvolvimento desta metodologia. Os jovens que estão aqui apresentando se mostram muito seguros, desenvoltos, já entenderam o objetivo do Theoprax”, destaca um dos representantes do instituto, Peter Eyerer. Na Bahia são executados aproximadamente 300 projetos por semestre, envolvendo 25 empresas, como Pirelli, Xerox, Fortlev, Nestlé, Moinho Canuelas e Mileniium.
 
Clique aqui e conheça todos os contemplados com o Prêmio TheoPrax 2013.
 
Fonte Sistema Fieb

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário