terça-feira, 3 de setembro de 2013

Qualificação profissional: novo projeto nacional pretende elevar a qualidade da Educação básica

"O nível educacional da população é um dos principais fatores que estimulam ou travam a modernização e a competitividade dos setores econômicos”. A constatação foi feita pelo antropólogo Roberto DaMatta, no recente lançamento do Projeto Educação para o Mundo do Trabalho, em Porto Alegre. “A indústria percebe que, para avançar nesse cenário, é necessário promover um decisivo salto na qualidade da Educação escolar básica", assegurou.

DaMatta apresentou dados que mostram que 94% das empresas que enfrentam a falta de profissional capacitado têm dificuldade para encontrar operadores para a produção e afirma que o problema prejudica o aumento da competitividade; 78% das empresas que enfrentam a falta de trabalhador qualificado têm a capacitação na própria empresa como uma das principais formas de lidar com o problema; 52% das empresas industriais afirmam que a má qualidade da Educação básica é uma das principais dificuldades que enfrentam para qualificar os trabalhadores; 69% das empresas consultadas enfrentam dificuldades com a falta de trabalhador qualificado.

O antropólogo defende que o Brasil não é um país pobre, mas um país historicamente atrasado. "De 1500 a 1888 não tivemos um sistema educacional no Brasil porque nossa cultura era escravocrata".

Ainda durante o lançamento do projeto, o presidente do Sistema Fiergs, Heitor José Müller, abordou a importância da Educação, como está destacado em frase atribuída ao filósofo Pitágoras: “Educai as crianças e não precisarás punir os homens".

Müller apresentou números sobre a escolaridade que conduzem a um paradoxo. "Somos o sétimo Produto Interno Bruto (PIB) do mundo, mas estamos na 48ª posição em competitividade global", avaliou, apontando ainda que o Brasil precisa de "Educação de qualidade, pois só assim poderemos alcançar níveis mais altos de competitividade, que sejam proporcionais ao tamanho do nosso PIB".

O projeto, que tem abrangência nacional e liderado pelo Sistema Indústria, busca desenvolver estratégia de ação e de mobilização de parceiros da sociedade civil e dos setores produtivos e governamentais em prol da construção de uma agenda de curto e médio prazo para a Educação brasileira.

"Temos emprego sobrando e desempregados sobrando porque as vagas que se ofertam não combinam com o perfil dos trabalhadores que buscam essas oportunidades", afirmou o secretário do Trabalho e Emprego de Porto Alegre, Pompeo de Mattos.

Fonte Sistema Fiergs


Nenhum comentário:

Postar um comentário