terça-feira, 3 de setembro de 2013

Cidadania: haitianos são capacitados para trabalhar em Santa Catarina

Indústrias catarinenses estão investindo na qualificação de trabalhadores vindos do Leste do Haiti, região que foi devastada por um terremoto em 2010. Por meio do Sesi catarinense, a Metisa, de Timbó, está capacitando haitianos que vieram em busca de melhores condições de vida. As aulas, que ocorrem duas vezes por semana, ensinam a língua portuguesa.

Um dos alunos é Jocelyn Celiantus, de 27 anos, que morava em Gonaye. O jovem fala francês e espanhol, além do crioulo, que é a língua oficial do país de origem. "Antes de vir para o Brasil vivi por alguns anos na Republica Dominicana e no Equador e trouxe muitos sonhos, como a esperança de reconstruir minha vida e poder trazer meu filho e família para cá". Antes de atuar na Metisa, Jocelyn era pedreiro. Ele conta que teve que se adaptar à nova função. "Está sendo bom aprender outro ofício e, principalmente, outro idioma".

Adius Celiantus, de 28 anos, quer juntar as economias para trazer seus dois filhos, a esposa e a mãe para o Brasil. "Aproveitei uma oportunidade única e decidi vir trabalhar no Brasil. Quero reconstruir minha vida com minha família aqui", declara o trabalhador da Metisa, lembrando o acordo de cooperação firmado entre os dois países. De acordo com relatório emitido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o Brasil destinou, em 2010, R$ 92 milhões para auxiliar na reconstrução do Haiti.

Outra indústria que também investe na qualificação de haitianos é a BRF, de Chapecó. A indústria cedeu sala de aula para a realização das aulas. "Nosso atendimento inicial visava a nivelar o conhecimento em língua portuguesa e matemática. A partir disso, vamos encaminhá-los à formação básica, já que muitos não concluíram o ensino médio", explica a educadora Ivana Santos, do Sesi de Chapecó. Os trabalhadores permanecerão em curso até outubro próximo.

Fonte Sistema Fiesc


Nenhum comentário:

Postar um comentário