terça-feira, 9 de julho de 2013

Pesquisa e inovação: programa de engenharia para pequenas indústrias pode ser inserido no Plano Inova Empresa

A inserção do Programa Nacional de Engenharia de Produtos e Prototipagem no Plano Inova Empresa, do governo federal, será analisada do ponto de vista técnico pela Agência Brasileira da Inovação (Finep), antiga Financiadora de Estudos e Projetos, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

O ministro Marco Antonio Raupp recebeu nesta segunda (8/7/2013) a proposta do Sistema Firjan durante visita à entidade para divulgar para empresários o Plano Inova Empresa. Ele acrescentou que a avaliação técnica mostrará como poderão ser obtidos recursos para financiar o projeto.

“É um programa interessante”, disse Raupp. Destacou que as propostas do governo tiveram mais consonância com a realidade da demanda quando essas demandas foram trabalhadas anteriormente ao lançamento do edital. “É o caso do TI Maior [Programa Estratégico de Software e Serviços em Tecnologia da Informação], que menos recursos tem, mas é o que está sendo mais efetivo, alcançando todos os setores de atividade, em especial nesses programas de startups [modelo de empresa jovem, embrionária ou ainda em fase de constituição]. A gente queria financiar 100 e vamos ter que mudar, porque apareceram mil candidatos, inclusive de fora do país”, declarou.

O Programa Nacional de Engenharia de Produtos e Prototipagem não se limita ao Estado do Rio de Janeiro, mas terá dimensão nacional, como o próprio nome diz, ressaltou o presidente do Conselho de Ciência e Tecnologia da entidade, Fernando Sandroni. Ele envolve recursos de R$ 120 milhões para atender a mil pequenas indústrias. Cada uma dessas indústrias deverá receber R$ 120 mil para financiamento das etapas de desenvolvimento do produto, desde o projeto conceitual, passando pelo planejamento do produto, até a fase de engenharia do produto.

O objetivo final, disse Sandroni, é aumentar a competitividade da indústria brasileira. Ele esclareceu que a tecnologia da prototipagem rápida traz benefícios para o incremento do design nacional, da inovação e da competitividade do setor industrial. A prototipagem em 3D (três dimensões), por exemplo, diminui o custo do projeto do produto em cerca de 70%. Já a integração de todas as etapas do processo produtivo em softwares (programas de computador) permite às empresas reduzir em até 30% o tempo de chegada do produto ao mercado. A produtividade é ampliada em 15%.

Segundo Fernando Sandroni, o programa sugerido pela Firjan representaria 0,4% do total de recursos do Plano Inova Empresa, da ordem de R$ 32,9 bilhões para 2013/2014.


Fonte Agência Brasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário