segunda-feira, 15 de julho de 2013

Competitividade: programa aumenta em 93% a produtividade em grupo de indústrias

Doze empresas dos setores plástico, têxtil e de vestuário de Santa Catarina receberam na última quinta (11/7/2013), em Florianópolis, certificação por concluírem os módulos do Programa de Desenvolvimento de Cadeias Produtivas (PDCP). A iniciativa – que é executada pelo Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina (IEL-SC), em parceria com outras entidades do Sistema Fiesc, como Senai e Sesi – aprimora a gestão e os processos produtivos de grupos de empresas fornecedoras ou de um mesmo segmento industrial.

Entre os benefícios proporcionados pelo programa estão ganhos médios de 93% na produtividade, de 72% na qualidade e de 99% no tempo de processamento de produto (lead time), de acordo com levantamento realizado com as 102 companhias que já participaram.

Para o presidente do Sistema Fiesc, Glauco José Côrte, o atual cenário de instabilidade da economia exige esforços extras do setor industrial, como os promovidos pelas empresas que aderiram ao PDCP. "O crescimento baseado no consumo está se esgotando. A saída é a melhoria da competitividade por meio de uma iniciativa do próprio setor industrial", sugeriu Côrte.

Em seu terceiro ciclo, o Programa contou com as parcerias dos sindicatos da Indústria de Material Plástico de Santa Catarina (Simpesc) e das Indústrias de Fiação, Tecelagem e Vestuário de Itajaí (Sinfrivest), dos quais as empresas certificadas são afiliadas. Nos últimos 18 meses, as indústrias participaram de fases de diagnóstico de necessidades, qualificação e posterior auditoria para verificação dos ganhos obtidos.

Ao todo, cada empresa certificada passou por 200 horas de qualificação, sendo cem horas coletivas e outras cem de consultorias individualizadas, com conteúdo voltado para as necessidades identificadas (como gestão da produção, qualidade, gestão de custos e finanças, saúde e segurança e meio ambiente).

A certificação conferida pelo PDCP é uma forma de comprovar que as empresas atenderam aos requisitos, tendo passado por ações que levaram a melhorias nos processos produtivos e de gestão, com o consequente aumento da competitividade. O Programa incluiu também visitas técnicas e troca de experiências entre as empresas participantes. De acordo com o superintendente do IEL/SC, Natalino Uggioni, as consultorias e palestras que envolvem o programa têm reflexos até na cultura das empresas ao "criar ambientes mais favoráveis para que as pessoas apresentem ideias e façam com que as empresas sejam mais fortes e competitivas".

Um dos destaques do terceiro ciclo foi a Inplac, indústria de Biguaçu que lidera o mercado nacional de sacos valvulados e apresentou seu case no encerramento do projeto. "Aplicamos princípios da produção enxuta e aumentamos a eficiência, e com isso conseguimos acabar com o turno da noite", explica Roberto Marcondes de Mattos, diretor-presidente da empresa. "Tínhamos um grande potencial escondido, que estava nas pessoas que integram a linha de produção. Com o programa, conseguimos fazer com que elas participassem, ajudassem a desenvolver produtos e propusessem soluções para a empresa", completa.

O PDCP atendeu em Santa Catarina empresas dos setores metalmecânico, têxtil, plástico, madeireiro e construção civil. Também foram certificadas 58 empresas participantes que atenderam aos requisitos do programa. No estado as ações são realizadas tanto em parcerias com grandes indústrias, interessadas em desenvolver seus fornecedores, quanto com o apoio de sindicatos patronais, que estimulam a evolução coletiva de seus associados.


Fonte Sistema Fiesc


Nenhum comentário:

Postar um comentário