segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Educação do século 21: Rio inaugura escola sem salas, turmas ou séries


O Rio de Janeiro começa, nas próximas semanas, a experimentar um novo tipo de escola. Nada de séries, salas de aula com carteiras enfileiradas e crianças ordenadamente caminhando pelo espaço comum. A aposta para dar a 180 crianças e jovens da Rocinha uma educação mais alinhada com o século 21 é o Gente, acrônimo para Ginásio Experimental de Novas Tecnologias, na escola Municipal André Urani.

Foto Divulgação

O espaço, que acaba de ser totalmente reformulado para comportar a nova proposta, perdeu paredes, lousas, mesas individuais e professores tradicionais e ganhou grandes salões, tablets, “famílias”, times e mentores.

Não houve pré-seleção. Os alunos que farão parte dessa nova metodologia já são os matriculados na escola antes da reforma. Mas agora as antigas séries serão extintas e não haverá mais as salas de aula tradicionais, com espaço para 30 e poucos alunos. Em vez disso, os jovens – que estariam entre o 7º e 9º anos – serão agrupados em equipes de seis membros, chamadas de “famílias”, independentemente de sua série de origem. A formação das famílias ocorrerá em parte por afinidade, a partir da escolha dos próprios membros, e em parte a pelo diagnóstico de habilidades ao qual os alunos se submeterão no início do ano letivo.

Essa avaliação, que ocorre assim que eles chegarem ao Gente, pretende fazer um raio-x do estado da aprendizagem de cada um, tanto do ponto de vista do conteúdo tradicional quanto das habilidades não cognitivas, como comunicação, senso crítico, autoria. Cada aluno terá um itinerário de aprendizado pessoal, que funciona como uma espécie de playlist, só que em vez de músicas, estarão os pontos que ele precisa aprender ou desenvolver. 

Será o jovem o responsável por escolher a forma como o conteúdo lhe será entregue – videoaulas, leituras, atividades individuais ou em grupo. Todas as semanas os alunos serão avaliados na Máquina de Testes, um programa inteligente que propõe questões de diferentes níveis de dificuldade, para garantir a evolução no conteúdo. Quando ele não chegar ao resultado esperado, o jovem receberá uma atenção individualizada.

Tal atenção é de responsabilidade do mentor da família, o professor. Cada mentor será responsável por três famílias, que reunidas serão chamadas de equipe. “O mentor deve dar uma educação mais ampla, preocupada não só com os conteúdos tradicionais, mas com higiene, com aspectos socioemocionais do aluno, com a motivação dele”, diz Rafael Parente, subsecretário de novas tecnologias educacionais da Secretaria Municipal de Educação do Rio, explicando a mudança no papel do professor naquele contexto. Em vez de dar aula de português ou matemática, o mentor vai ajudar o aluno a encontrar a informação de que precisa para entender o conteúdo, mesmo que o assunto não seja o da sua formação.

Assim, explica Parente, se um professor de língua portuguesa precisar explicar um assunto mais específico de matemática, ele deve pedir ajuda para membros da família, se sentar com o aluno para assistir à videoaula da Educopedia com ele, tentar aprender junto. “O professor não vai ser mais aquele que transmite o conhecimento. Ele vai ser especialista na arte de aprender”, diz o subsecretário. O grupo de mentores que fará parte do Gente foi treinado para essa nova forma de lecionar.

Todos os dias, ao chegarem à escola, os alunos passarão por um momento de acolhida, em que compartilharão com seus pares experiências e expectativas para o dia. A jornada na escola é integral. Neste tempo, com o auxílio de seu itinerário e a liderança do tutor, cada um deverá decidir o que e em que ordem estudar e poderá, à livre escolha, se juntar a grupos de estudo de língua estrangeira, robótica, esportes, artes, desenvolvimento de blogs.

É nesse momento que uma pergunta inevitável aparece: mas se o aluno não quiser fazer nada, ele não vai fazer nada, certo? Mais ou menos. Os mentores, explica Parente, estarão sempre por perto para motivar os alunos a avançarem, as avaliações mostrarão quem está ficando para trás e os integrantes da família – o tal grupo de seis – também deve incentivar uns aos outros. “Quando o aluno é protagonista do próprio aprendizado, faz suas escolhas, ele se envolve mais, se empolga mais com a escola.”

A tecnologia é outro fator importante na forma como o projeto foi organizado. Para que os alunos possam escolher entre ambiente virtual ou presencial, era preciso que todos os alunos tivessem acesso a equipamentos e internet. Por isso, cada aluno terá o seu tablet ou netbook e, quando for pedagigocamente justificável, vai poder levá-lo para casa. Todas as dependências do André Urani terá internet sem fio de alta velocidade.

Fonte portal Porvir


Pronatec: em Manaus, Senai oferece mais de 9 mil vagas em cursos gratuitos

A maior novidade do Pronatec para 2013 é a ampliação das possibilidades para que mais pessoas possam se inscrever em cursos gratuitos de Educação profissional e tecnologia. No Amazonas, o Senai, principal organização de formação para o Polo Industrial de Manaus, está com mais de 9,6 mil vagas em cursos gratuitos .

O diretor regional do Senai-AM, Aldemurpe Barros, explica que “quem já concluiu o ensino médio na rede estadual de ensino agora pode ter acesso gratuito aos cursos”. Ainda segundo ele, "as vagas também são destinadas para quem está cursando o segundo ou terceiro ano do ensino médio na Rede, para os beneficiários do Bolsa Família e seus dependentes (cônjuge e filhos), Atiradores de Guerra, Reservistas e Praças das Forças Armadas e para quem é reincidente no recebimento do seguro-desemprego."

Serão formados novos profissionais nas áreas de construção civil, eletroeletrônica, informática, metalmecânica e outros. A unidade da organização localizada no Distrito Industrial terá, ao longo do ano, 1.320 vagas para os cursos de Pedreiro de Alvenaria, Pintor de Imóveis, Eletricista Predial de Baixa Tensão, Almoxarife de Obras, Pedreiro de Revestimento em Argamassa, Encanador Instalador Predial e Cadista.

“O interessado em fazer o curso deve ser encaminhado ao Senai pelo demandante, ou seja, cada público deve efetuar sua pré-matrícula no órgão competente e depois vir ao Senai para confirmar a matrícula”, esclareceu Barros.

Os estudantes do ensino médio devem procurar a secretaria de suas escolas para solicitar a matrícula. Quem já concluiu o ensino médio deve ir até sua escola de origem para escolher o curso. Os beneficiários do Bolsa Família podem fazer a pré-inscrição no Centro de Referência e Assistência Social (Cras) e quem está recebendo o seguro-desemprego precisa procurar um posto de atendimento do Sine.

O aluno receberá material didático e assistência estudantil para transporte e alimentação. Clique aqui para saber mais.


segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Design: programa presta consultoria sobre embalagens





Financiamento de pesquisas e inovações: prêmio vai destacar e apoiar tecnologias sociais de convivência com a seca


Práticas inovadoras em acesso à água e convivência com o Semiárido serão reconhecidas por meio do Prêmio Mandacaru. A iniciativa prevê apoio financeiro a associações de agricultores familiares, instituições de pesquisa e organizações da sociedade civil para consolidar tecnologias sociais que viabilizem o manejo sustentável da água e da caatinga.

O prazo para inscrições foi prorrogado para 22 de fevereiro e os prêmios variam de R$ 5 mil a R$ 150 mil. A iniciativa é organizada pelo Instituto Ambiental Brasil Sustentável (Iabs) e pela Agência Espanhola de Cooperação (Aecid), com apoio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). O regulamento está disponível via www.iabs.org.br/projetos/premiomandacaru e o resultado será divulgado em 15 de março.

De acordo com a consultora socioambiental do Iabs, Maiti Mattoso Santana, as experiências vencedoras serão catalogadas e integrarão uma publicação que abordará os desafios, os passos para implementação, as potencialidades e os resultados dos projetos. A publicação deverá ser concluída no ano que vem.

“Essa base de dados vai servir para incentivar a multiplicação das iniciativas, que poderão ser apropriadas por outros agricultores e gestores municipais. Para isto, ao longo de um ano, vamos acompanhar as experiências à distância, avaliando os dados, e in loco, visitando e vistoriando cada localidade onde as ações estiverem acontecendo”, explicou.

A consultora do Iabs ressaltou que serão premiados projetos já executados que tenham continuidade ou que estejam em desenvolvimento. Eles serão escolhidos em quatro categorias: experimentação no campo, que inclui práticas experimentais em comunidades rurais ligadas a associações de agricultores e agricultoras; práticas inovadoras, voltadas a iniciativas de desenvolvimento local e sustentável ou inclusão social de organizações não governamentais; pesquisa aplicada, específica para instituições de produção científica sobre a região; e gestão inovadora, direcionada a inovações implementadas por órgãos e entidades governamentais municipais do Semiárido.

Nessa última categoria, a premiação não prevê apoio financeiro, apenas concessão de diploma aos cinco primeiros colocados.

Para Jean Carlos de Andrade, coordenador de projeto da Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA), rede de organizações da sociedade civil que atuam na gestão de políticas de convivência com o Semiárido, a iniciativa “vem em um bom momento”, após a região ter sido atingida por uma das estiagens mais severas das últimas décadas.

Segundo Andrade, que integra a comissão de avaliação do prêmio, junto com representantes de outras instituições ligadas ao tema, os critérios analisados serão a aplicabilidade e o êxito das propostas.

“A premiação é importante porque apoia e dá visibilidade a experiências bem-sucedidas, na maioria das vezes capitaneadas por organizações da sociedade civil, de manejo e conservação da biodiversidade do Semiárido”, disse.

Ele lembrou que, na região, são desenvolvidos diversos projetos do tipo, que incluem captação de água por meio de cisternas para beber, cozinhar e produzir alimentos.

A coordenadora executiva do Centro de Estudos do Trabalho e de Assessoria ao Trabalhador (Cetra), organização da sociedade civil voltada ao fortalecimento da agricultura familiar, Cristina Nascimento, citou tecnologias sociais utilizadas por famílias de Quixeramobim (CE) como exemplo de práticas bem-sucedidas de utilização dos recursos hídricos na região.

“Muitos agricultores, por saberem que o acesso à água não é abundante, instalam uma mangueira que passa por toda a plantação e fazem ao longo dela diversos pequenos furos. A técnica é utilizada para evitar o desperdício de água e permitir a intensidade adequada à irrigação”, explicou.



quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Cursos técnicos: São mais de 5.100 vagas em 30 municípios do Paraná


O Senai-PR está inscrevendo para seus cursos técnicos de nível médio, que serão ministrados neste semestre. São mais de 5.100 vagas, em 30 municípios, para 26 cursos em áreas como automação, construção civil, automotiva, eletroeletrônica, metalmecânica, madeira e mobiliário, segurança do trabalho e têxtil e vestuário.


O Mapa do Trabalho Industrial 2012, realizado pelo Senai, mostra a intensa valorização, pelo mercado, de trabalhadores de nível técnico. O estudo aponta que o Brasil terá de formar 7,2 milhões de trabalhadores em nível técnico e em áreas de média qualificação para atuarem em profissões industriais até 2015. No Paraná a demanda até 2015 é por 477,5 mil profissionais capacitados, o que corresponde a 6,7% de todo o país.

Podem participar jovens e trabalhadores que estejam no último ano ou que tenham concluído o ensino médio. As inscrições para o processo seletivo vão até amanhã (18/1/2013) e podem ser feitas diretamente na unidade do Senai ou via www.pr.senai.br/cursostecnicos. As aulas começam em 4 de fevereiro.

Em Curitiba e Região Metropolitana, há vagas nas unidades Boqueirão, Cidade Industrial e Jardim Botânico (capital), Araucária, Campo Largo, Paranaguá, Rio Negro e São José dos Pinhais.

Nos Campos Gerais, os estudantes podem se inscrever para cursos em Guarapuava, Irati, Jaguariaíva, Ponta Grossa, Telêmaco Borba e União da Vitória.
No Noroeste, há vagas para Campo Mourão, Cianorte, Maringá, Maringá-CTM, Paranavaí e Umuarama. Já na região Norte, as vagas são para cursos em Apucarana, Arapongas, Londrina, Rolândia e Santo Antônio da Platina.

Na região Oeste e Sudoeste, os estudantes podem se inscrever para cursos em Ampére, Cascavel, Dois Vizinhos, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão, Palmas, Pato Branco e Toledo.


Inovação tecnológica: Vitória sediará em junho Conferência da Anpei


A Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei) promoverá de 3 e 5 de junho, em Vitória, a XIII Conferência Anpei de Inovação Tecnológica 2013. O maior encontro anual sobre inovação nas empresas do país vai discutir o tema Inovação Competitiva e Aberta: Transformando o Brasil.

A Conferência Anpei abriu as inscrições para o Call for Cases, processo para colher e selecionar casos de sucesso referentes à inovação. A proposta é concretizar com exemplos práticas em pesquisa, desenvolvimento e inovação no Brasil entre empresas e instituições científicas e tecnológicas (ICTs). As inscrições poderão ser realizadas até 15 de março de 2013. As avaliações serão feitas por um grupo técnico e concluídas até 30 de abril.

Para participar do Call for Cases, preencha o formulário disponível na página oficial da Conferência e anexe resumo do caso

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Educação superior: Inep divulga prazo para preenchimento de questionários do censo 2012


As instituições de ensino superior terão prazo de 4 de fevereiro a 26 de abril para preencher os questionários on-line no portal do Ministério da Educação (MEC) para a realização do Censo da Educação Superior 2012.

O Censo da Educação Superior reúne informações sobre os cursos oferecidos pelas instituições superiores, vagas ofertadas, inscrições, matrículas, alunos ingressantes e concluintes, além de informações sobre os docentes. Os questionários são preenchidos pelo representante legal ou pelo chamado pesquisador institucional. O responsável pela verificação e organização das informações é o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Durante o prazo para preenchimento do questionário, os pesquisadores institucionais podem fazer alterações ou inclusões a qualquer momento. Após esse período, o Inep verificará a consistência dos dados coletados. O sistema do Censo será então reaberto para conferência e validação dos dados pelas instituições.

A reabertura este ano ocorrerá do dia 14 de maio a 19 de junho. As instituições que não participarem do Censo terão a situação avaliada pelo Inep. A divulgação do levantamento será feita no dia 12 de agosto.

O modelo atual do Censo é definido pelo Decreto 6.425, de 4 de abril de 2008. O objetivo é oferecer à comunidade acadêmica e à sociedade informações detalhadas sobre a situação e as grandes tendências do setor.



Educação: Dilma debate conteúdos interativos com Salman Khan

Em encontro com o professor norte-americano Salman Khan, nesta quarta (16/1/2013), a presidenta Dilma Rousseff debateu a aplicação de conteúdos interativos na educação. Segundo o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, também presente na reunião, Dilma convidou Khan (veja vídeo) a colaborar nas pesquisas de desenvolvimento de conteúdos para a educação básica, que reforçariam o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa.


Khan, com tem três graduações pelo Massachussetts Institute os Technology (MIT) e MBA pela Harvard Business School, fundou a Khan Academy, onde oferece videoaulas de ciências, além de lições de humanidades. A Fundação Lemann trabalha na tradução da ferramenta pedagógica para o português. Os vídeos e exercícios estão disponíveis no Portal do MEC, em página dedicada ao professor.



terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Design de calçados: book de inspirações antecipa tendência da moda verão 2013/14

Com design moderno e criativo, os calçados e acessórios brasileiros ganham cada vez mais destaque no mercado internacional. Para orientar os micros e pequenos empresários, o Senai de São Paulo acaba de lançar o Senai Mix Design: Inspirações para calçados, bolsas e artefatos.  

O book de inspirações apresenta novas tendências do mercado internacional de moda, na área de calçados e acessórios, aplicadas ao processo de criação e desenvolvimento de novas coleções.

O Senai-SP coloca à disposição um aplicativo exclusivo, no qual o internauta tem acesso a vídeos exclusivos e conteúdos para download gratuito, via www.mixdesign.sp.senai.br

Entre as novidades estão o mix de textura e o uso de produtos artesanais, como vime, rendas de bilros, sementes e sisal; padronagens de couro que remetem ao cascalho, cerâmica e frutos (como o caju e coco) presentes no solo brasileiro; e peças com design moderno inspiradas na obra do arquiteto Oscar Niemeyer.

O lançamento do book ocorreu durante a terceira edição do Senai Mix Design, com a participação do estilista Alexandre Herchcovitch.

Utilizando o tempo como fonte de inspiração e uma importante ferramenta organizacional, o Senai-SP enfatiza que a relação da moda com passado, presente e futuro é muito positiva. Além disso, esse movimento estratégico entre os mais variados períodos da história serve de base para criação, direcionamento e planejamento de coleções. Neste sentido, o Senai-SP dividiu as macrotendências em três grupos:

Memórias: caracteriza-se pelo aconchego e hospitalidade encontradas no passado, com destaque para mistura de etnias e diversidades culturais, que são as marcas registradas do Brasil.

Momentos: reflete o tempo presente, relaciona-se ao cenário de incertezas e inseguranças de uma sociedade que encara o desejo da mudança, onde a velocidade do mundo virtual recai diretamente na velocidade do consumo.

Maturidade: o movimento caracteriza-se pelo compromisso e transparência no processo de consumo e na adoção de novos hábitos de vida. Este conceito reflete as questões ligadas à sustentabilidade, considerando os recursos recebidos do passado, sua utilização com responsabilidade no presente, prevendo o legado deixado para o futuro.

Mais informações sobre o book: 16 3727-1101, ou marketing604@sp.senai.br%20.

Fonte Senai-SP


segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Design: como inovar em negócios?


Inovar é uma tarefa árdua e muitas vezes frustrante, mas essencial para obter diferenciação no mercado. O Design Thinking aborda problemas tradicionais de negócio sob multiplas perspectivas, ajudando a solucioná-los de maneira mais efetiva, que conduz a novos caminhos.

O livro apresenta etapas, técnicas e ferramentas, ilustradas através de cases genuinamente brasileiros, para inspirar e auxiliar na empreitada rumo à inovação.



Clique aqui para baixar o livro, pagando com um post.

Cursos gratuitos no DF: Senai de Taguatinga tem vagas abertas em diversas áreas


O Senai do Distrito Federal está com mais de 400 vagas gratuitas abertas em cursos de qualificação e de aperfeiçoamento, em sua unidade de Taguatinga. As oportunidades são nas áreas de vestuário; alimentos; construção civil; tecnologia da informação; automotiva e outras. As inscrições estão abertas e devem ser feitas na secretaria escolar do Senai de Taguatinga.

Podem participar pessoas com mais de 16 anos, e que tenham cursado, no mínimo, até a quarta série do ensino fundamental. No ato da inscrição, é necessário que o interessado tenha em mãos os seguintes documentos: registro geral, CPF, comprovante de residência e declaração de escolaridade.

Há opções, nos três turnos, para cursos de Modelista; Costura Industrial; Modelagem Industrial; Segurança em Manipulação de Alimentos; Reparador de Aparelhos de Climatização e Refrigeração; Mecânico de Manutenção Automotiva; Pedreiro de Alvenaria; Auxiliar em Web Design, etc.

Além dos cursos gratuitos, o Senai-DF abriu vagas nos cursos pagos de Operador de Empilhadeira e de Instalador de Condicionador de Ar Modelo Split.

Clique aqui para saber mais sobre os cursos e os horários, ou ligue 61 3353-8715/8716/8718/8719.


Design de moda: Bahia abre curso de pós-graduação a distância


O Senai da Bahia, em parceria com o Senai/Cetiqt, está com as inscrições abertas até 1º de março para o curso de pós-graduação Design de Moda, que será ministrado a distância.

O curso, que teve conceito máximo (5) dado pela Comissão Avaliadora do Inep, do Ministério da Educação, vai capacitar profissionais para atuar de maneira crítica, criativa e inovadora no projeto e desenvolvimento de produtos do vestuário que atendam às demandas do mercado e tenham como diferencial a adoção do design no desenvolvimento do projeto.

Clique aqui para saber mais sobre este curso e outros oferecidos pelo Senai/Cetiq, unidade localizada no Rio de Janeiro. 

O designer terá condições para pesquisa, experimentação, inovação e criação de produtos do vestuário para a indústria de moda e o desenvolvimento de competências que facilitem o ingresso dos novos formandos no mercado de trabalho ou ampliem suas oportunidades de atuação no segmento.

Os encontros presenciais serão no Senai de Dendezeiros, em Salvador.


Educação: filme argentino incentiva debate sobre novas formas educativas, diferentes da atual produção industrial*


Pode ser que a ordem mundial esteja mudando, que o combustível das crises do norte faça funcionar os motores do sul, que os Estados Unidos passem a segundo plano e que o mundo árabe se transforme na Europa do futuro. Porém, por enquanto, dormimos e acordamos com velhos esquemas. A Educação, por exemplo, é a mesma desde o século XVII, quando o chamado despotismo ilustrado criou a educação pública, gratuita e obrigatória, que evoluiu nos séculos seguintes para o modelo de escola prussiano, adotado até hoje.


A informação está no documentário argentino A Educação proibida, um filme viral que circula livremente pela internet desde sua estreia, em agosto deste ano. O longa, pensado para ser um fenômeno da web, mas que ultrapassou e muito as metas de seus idealizadores, já foi visto mais de cinco milhões de vezes no You Tube e baixado outras cinco milhões. Tanto sucesso parece vir exatamente dessa constatação de que as formas educativas que nos moldam há tempos merecem, no mínimo, uma revisão.

Por onde se olha, estudar parece um dia da marmota em eterna repetição. O sujeito entra num bom jardim infantil que o impulsione a uma boa escola, que o permita fazer um colegial forte que, por sua vez, o coloque dentro de uma boa universidade. Ele “precisa” desenvolver suas capacidades, mas dia após dia, são os interesses alheios que guiam seu desenvolvimento, sempre pautados por repetição simbólica, concorrência e um sistema de prêmios e castigos. De segunda a sexta, ficam de fora a individualidade, a criatividade, a curiosidade e o chamado pensamento divergente – aquele que ensina a ver o mundo de formas diversas, a resolver problemas, a manter a mente aberta.

Em suma, a escola, como cita o filme, é, “um estacionamento de crianças”, um espaço que costuma passar longe de reais expectativas de qualidade de vida, um mero centro de instrução onde se aprende que o futuro é melhor do que o presente e que as respostas são mais importantes do que as perguntas.

Clique aqui para ver a reportagem completa no Operamundi