terça-feira, 27 de novembro de 2012

Pronatec: programa registra 1,1 milhão de matrículas no Senai


A presidenta Dilma Rousseff disse nesta segunda (26/11/2012) que o Pronatec atingiu a marca de 1,1 milhão de matrículas em cursos técnicos, de aprendizagem e de qualificação do Senai em todo o país.

No programa semanal Café com a Presidenta, ela avaliou que o Brasil precisa de uma indústria forte e competitiva para garantir o crescimento e a criação de oportunidades de trabalho. “Mas, para ter uma indústria forte, o país precisa de mão de obra qualificada e de técnicos bem formados”, disse, ao destacar áreas como automação industrial, petróleo e gás, mineração, mecatrônica, manutenção de aeronaves, eletrônica, indústria naval e computação.



Dilma lembrou que a meta do governo é criar, por meio do Pronatec, 8 milhões de vagas em cursos técnicos e de qualificação profissional até 2014. Atualmente, 2,2 milhões de jovens estão matriculados no programa.

De acordo com a presidenta, o governo planeja expandir as ações do Senai, destinando R$ 1,5 bilhão à construção de escolas, modernização e ampliação das 251 unidades já existentes. “Um país que aposta na educação profissional e que tem uma indústria forte e competitiva consegue crescer, se desenvolver, gerar mais oportunidades, mais renda e emprego de qualidade. Com isso, podemos melhorar a vida de todos.”

25 mil desempregados em cursos de qualificação
Em setembro passado, o Pronatec contabilizou cursos de qualificação profissional para 25,2 mil trabalhadores desempregados, segundo levantamento do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O governo estima que, até o final de 2012, 120 mil pessoas sem emprego deverão ser beneficiadas.

Os desempregados são atendidos pelo Pronatec na modalidade Bolsa Formação Seguro-Desemprego, que conta também com 50 mil pré-matriculados. Ainda fazem parte do Pronatec, o Bolsa Formação Estudante e o Bolsa Formação Trabalhador, dos quais participam pessoas empregadas.

O estado em que houve maior quantidade de desempregados interessados foi o Rio de Janeiro, com 7,5 mil matriculados, seguido por São Paulo, 7 mil; e Mato Grosso, 6,4 mil.

O objetivo do Bolsa Formação Seguro-Desemprego é associar o recebimento do benefício à demanda por mão de obra, por meio da qualificação profissional. Para ter acesso ao seguro-desemprego, pode haver a exigência de comprovante de matrícula e de frequência do trabalhador em curso de formação ou de qualificação com carga mínima de 160 horas.

Os trabalhadores que recorrerem ao seguro-desemprego pela terceira vez poderão ser encaminhados  diretamente pelo MTE a cursos de formação, de acordo com a escolaridade e o perfil profissional.

“O Pronatec Seguro-Desemprego vem realizando um forte trabalho de melhoria da qualificação profissional dos beneficiários, melhorando substancialmente suas chances de retornar ao mercado de trabalho em um menor espaço de tempo”, explica o diretor do Departamento de Empregos e Salário do MTE, Rodolfo Torelly.

O dirigente estima que o programa encerre 2012 com mais 120 mil segurados em sala de aula. “Para 2013, este número deverá alcançar um patamar recorde, dando cumprimento fiel ao que determina a legislação do programa”, afirmou.



Nenhum comentário:

Postar um comentário