quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Mercado de trabalho: como crescer na profissão em um cenário competitivo

O mundo do trabalho tem apresentado nas últimas décadas um panorama mutante, exigente, competitivo e global. “O mercado passou por mudanças revolucionárias nas últimas décadas e o novo cenário é consequência da tecnologia eletrônica e dos avanços na comunicação em tempo real.” Esse foi um dos alertadas que o professor e consultor em desenvolvimento de pessoas e organizações, Ronaldo Negromonte, destacou no programa Café Empresarial, do Ciemg, nesta terça (6/11/2012), em Belo Horizonte. Autor do livro Estratégias de sobrevivência no mundo do trabalho – 10 dicas para você vender seu peixe, Negromonte apresentou aos participantes do encontro estratégias inteligentes de crescimento profissional em um cenário competitivo.

O escritor apontou a necessidade de mudanças comportamentais. “Muitos jovens chegam ao mercado muito ansiosos, ao mesmo tempo em que vejo profissionais de outra geração que ainda sentem dificuldades com as novas tecnologias. É importante alinhar as competências técnicas às humanas, sendo as segundas muitas vezes mais valorizadas.”

Entre as dicas de Negromonte, está a necessidade de cada profissional encontrar seu espaço. “Acredito que existe um lugar ideal, um espaço com o nosso nome gravado esperando por nós no mercado de trabalho”. Com isso, ele aconselha a se permitir sonhar também no mundo do trabalho, e a sair de situações e postos que geram insatisfações constantes. Saber que existe espaço no mercado pode motivar e fazer com que as energias sejam direcionadas para uma meta.

A criatividade também é incentivada pelo especialista. Onde há a cultura do medo não existe espaço para novas iniciativas. “As boas ideias costumam encontrar quem as está procurando. Posturas muito rígidas afastam as ideias, assim como preconceitos e tradições inúteis”, argumenta.

Para Negromonte, a palavra do momento é mudança. Especialmente no mercado competitivo, os profissionais precisam ter a capacidade de pensar e resolver problemas, para ajudar empresas e organizações a inovarem. Por último, ele lembrou: “São muitas horas dedicadas ao trabalho. É possível manter a alegria e a satisfação. O trabalho não pode ser um fardo.”


Nenhum comentário:

Postar um comentário