quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Ecoauditoria: Senai capta tecnologia italiana para o setor moveleiro


Pedro César de Paiva e Willy Catani Romeiro, técnicos da gerência de tecnologia e inovação do Senai de Mato Grosso do Sul, acabam de passar por capacitação em ecoauditoria e análise do ciclo de vida (LCA) por meio da aplicação das ferramentas Everdee e Tespi (softwares). A qualificação, que faz parte da segunda etapa do treinamento de transferência de tecnologia entre Brasil e Itália, foi realizada no início deste mês em Linhares, no Espírito Santo, e reuniu técnicos do Senai de outros cinco estados.

Agora Paiva e seus colegas de capacitação estão aptos a fazer análises em empresas do segmento moveleiro. “A LCA faz o exame do impacto no meio ambiente desde a retirada da matéria-prima, transporte e também no processo produtivo. São avaliados vários impactos, como a emissão de gases na atmosfera, o consumo de energia, a geração de resíduos, a geração de esgoto e o consumo de água.”

Ele explica que a ferramenta Everdee faz o levantamento das informações e a Tespi cruza subsídios para verificar qual parte do processo precisa ser adaptada para gerar menos impacto. “A ecoauditoria aliada com a aplicação da LCA de um produto nas indústrias do Mato Grosso do Sul buscará inserir um novo conceito baseado completamente na sustentabilidade.”

Para Catani, o principal objetivo do treinamento foi entender a filosofia da metodologia da LCA e a necessidade das empresas se adaptarem às normas técnicas relativas aos parâmetros de segurança, qualidade e emissão de formaldeído.

A capacitação foi ministrada pelo especialista Paolo Masoni, presidente do Enea (Agência Nacional Italiana de Novas Tecnologias, Energia e Desenvolvimento Sustentável), e por uma especialista responsável técnica pelo laboratório de LCA e de Ecodesign do Enea. Os dois são responsáveis por todas as análises e pesquisas realizadas para o desenvolvimento das ferramentas da LCA e pela aplicação dos softwares nos diversos segmentos industriais da Itália.

Para os técnicos, as indústrias e o próprio Mato Grosso do Sul adiantam-se no fator readequação das empresas quanto à sustentabilidade frente ao mercado, comparado aos demais estados devido à seleção que receberam durante o treinamento em ecoauditoria e na aplicação da metodologia LCA.

“Diante deste cenário, as indústrias terão a oportunidade de se integrarem quanto aos aspectos ambientais e de planejamento estratégico de novos negócios e terá como opção, trabalhando aliado ao Senai, de tratar as questões ambientais, após adquirirem total conhecimento do processo produtivo e do produto”, destacou Paiva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário