sexta-feira, 21 de setembro de 2012


Educação e saúde: Cozinha Brasil terá cursos para prevenção de doenças crônicas não transmissíveis

Diabetes, hipertensão, obesidade e colesterol alto são doenças crônicas não transmissíveis que vêm crescendo entre a população brasileira. São causadas, principalmente, por alimentação inadequada e sedentarismo. Para prevenir novos casos e ajudar no tratamento dessas enfermidades, o Sesi promoverá, a partir do próximo ano, cursos de Educação alimentar específicos para esses tipos de doença, por meio do programa Cozinha Brasil.


As aulas incluirão orientações de nutricionistas, cartilhas com informações e receitas. Os cursos, que serão abertos à comunidade em geral, estão sendo elaborados por um comitê formado por nutricionistas do Sesi de Mato Grosso, Piauí, Rondônia, Tocantins, Maranhão, Rio Grande do Norte e Amazonas.

A coordenadora do comitê, Cecília Lopes, explica que a integração entre as profissionais dos sete estados foi proposital: “são realidades e culturas diferentes que nos ajudarão a produzir um material rico, a partir das experiências de cada um”. Segundo ela, o novo produto – que ainda não foi batizado – é inspirado no programa Sabor na Medida Certa, desenvolvido pelo Sesi de São Paulo. A iniciativa oferece cursos com duração de 10 horas, em que são apresentadas receitas específicas, técnicas dietéticas e informações nutricionais, sempre com o foco na alimentação saudável.

Cecília Lopes conta que a ideia surgiu da demanda de algumas indústrias com altos índices de trabalhadores obesos e hipertensos. “Uma alimentação adequada traz inúmeros benefícios, tanto para um trabalhador da indústria, quanto para qualquer pessoa. Ela melhora a qualidade de vida, aumenta a produtividade e reduz o absenteísmo [faltas ao trabalho]”, destaca. De acordo com ela, entre os industriários, mais de 90% das doenças não infecciosas tem como causa a má alimentação.

Mas o problema é nacional. Dados de relatório divulgado este ano pelo Ministério da Saúde (MS) mostram o crescimento das doenças crônicas. Segundo a diretora do Departamento de Análise de Situação em Saúde do MS, Deborah Malta, o conjunto das Doenças Crônicas Não Transmissíveis, é responsável por 72% dos óbitos no Brasil.

De acordo com o relatório da Vigitel 2011 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), o excesso de peso e a obesidade aumentaram nos últimos seis anos no Brasil. A proporção de pessoas acima do peso no país avançou de 42,7%, em 2006, para 48,5%, em 2011. No mesmo período, o percentual de obesos subiu de 11,4% para 15,8%.

O levantamento também mostrou uma tendência ao crescimento do diabetes. Foram entrevistados mais de 54 mil adultos em todas as capitais e também no Distrito Federal. Desse total, 5,6% declarou ter a doença.

Cozinha Brasil
O programa beneficiou quase um milhão de pessoas, a maioria mulheres que recebem até um salário mínimo e moram nas cidades. Além disso, o Cozinha Brasil foi exportado para o Uruguai e Moçambique e está em fase de implementação em El Salvador, Honduras e Guatemala. 

Recentemente, técnicos da Guatemala estiveram no Paraná para conhecer, na prática, a metodologia do Cozinha Brasil. Eles sinalizaram que, naquele país, o programa será implantado como política pública inserido no Pacto Hambre Cero Guatemala, que seguiu o modelo do programa Fome Zero, do governo brasileiro.

Clique aqui para saber mais sobre o Cozinha Brasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário