quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Do O Globo: empresas valorizam habilidades que vão além das capacidades técnicas*

Beatriz Mantovanini tem 23 anos, mas ao contar suas experiências, parece ter muito mais. Formada em Administração em Ribeirão Preto, no interior paulista, seu primeiro trabalho foi aos 17 anos, quando deu aula de dança para deficientes auditivos.
 
Um ano depois, já na faculdade, entrou para uma organização estudantil e fez intercâmbio na Polônia, onde conviveu com gente do mundo inteiro. Aos 21 anos, encarou a aventura do Projeto Rondon: morou durante um mês em Brejinho do Nazaré, no interior de Tocantins.

Tudo isso foi decisivo para que conseguisse uma vaga como trainee na Shell, em janeiro. Essas experiências talvez não sejam iguais ao estágio numa multinacional, mas contam tantos pontos quanto. O mercado de trabalho valoriza, cada vez mais, experiências além do campo técnico. A vice-presidente de RH da Shell para América Latina, Milena Martins, explica que esta é uma forma de avaliar quem está no início da carreira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário