segunda-feira, 30 de julho de 2012

Carteira assinada: melhoria da Educação do brasileiro contribui para forte crescimento do emprego formal


A formação nem sempre é de qualidade, mas o aumento do número de anos estudados tem contribuído de forma relevante para a geração de empregos com carteira assinada. Pesquisa recente do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da FGV, revela que 60% da queda da informalidade entre 2002 e 2009 decorrem da maior escolarização do brasileiro.

Com base em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE, os pesquisadores dividiram a queda da informalidade em dois componentes. O efeito composição está relacionado à formação Educacional. O efeito nível mede os demais fatores, como crescimento da economia, expansão do crédito e medidas de estímulo pelo governo. A predominância da Educação surpreendeu os pesquisadores.

“Esse resultado nos causou perplexidade, e mostra, acima de tudo, que a Educação está mudando diversos aspectos da economia do país, inclusive a estrutura do mercado de trabalho”, diz Rodrigo Moura, que fez a pesquisa com o professor Fernando Holanda Barbosa Filho. O estudo considerou como trabalhadores informais apenas os empregados sem carteira assinada. Profissionais que trabalham por conta própria, como eletricistas e encanadores, foram enquadrados como trabalhadores formalizados.

Pelo critério dos pesquisadores, a taxa de informalidade entre os trabalhadores caiu de 43,6% em 2002 para 37,4% em 2009. No mesmo período, foram criados cerca de 9 milhões de empregos com carteira assinada em todo o país. Em todas as faixas educacionais, a taxa de informalidade caiu. Esse recuo está ligado ao efeito nível porque, para um mesmo nível de escolaridade, a economia criou mais empregos formais.

O efeito composição aparece ao comparar o tempo de estudo ao total da força de trabalho. De 2002 a 2009, a parcela de trabalhadores sem o ensino médio completo caiu de 66% para 53%. Nesse caso, o mero ganho de anos de estudo impulsiona significativamente a formalização, porque a proporção de trabalhadores informais é bem maior na população de menor escolaridade.

Com ensino médio completo, o vendedor Rodrigo Castro, 21 anos, trabalha em uma banca de produtos de informática na Feira dos Importados, em Brasília. Ele acredita que o estudo foi determinante para conseguir emprego com carteira assinada. “A Educação não me qualificou muito bem, mas ajudou”, diz. Antes do primeiro emprego formal, Rodrigo trabalhou por cerca de um ano e meio sem carteira assinada em uma lan house no interior da Bahia.

Para Rodrigo Moura, coautor da pesquisa da FGV, depois de elevar o tempo de estudo da população, o próximo desafio do país será a melhoria da qualidade do ensino. “O Brasil hoje tem maior proporção de trabalhadores com nível médio e superior, mas o percentual de instituições privadas de ensino superior de alta qualidade é bem baixo”, diz.

Apesar da qualidade questionável de boa parte das instituições de ensino superior, a gerente de lanchonete Fernanda dos Santos, 30 anos, não pretende desistir de estudar. Atualmente no primeiro emprego formal, ela tem o ensino médio completo, mas pretende cursar administração para conseguir um trabalho melhor e se adaptar a um mercado cada vez mais exigente. “Hoje, boa parte dos empregadores só aceita quem tem nível superior”, constata.
Fonte Agência Brasil


quinta-feira, 26 de julho de 2012

Casa sustentável: Senai vai criar soluções para a construção civil


Uso de painéis de madeira reflorestada, reaproveitamento da água da chuva, aquecimento de água por painéis solares e revestimentos ecológicos são algumas das características da Casa Sustentável, que está sendo construída pelo Senai do Paraná, em parceria com a empresa Tecverde. Iniciativa do Núcleo Senai de Soluções Sustentáveis, a estrutura, de aproximadamente 200 metros quadrados, está localizada na unidade do Senai na Cidade Industrial de Curitiba e estará finalizada no próximo mês.

A construção usa a tecnologia Wood Frame, surgida nos Estados Unidos, em 1880. A tecnologia é uma solução descomplicada para construção de casas, se destacando por possuir vantagens em comparação com a alvenaria, como tempo de execução inferior, redução de 80% nas emissões de CO2 e redução dos resíduos da construção civil em até 85%. O nível de isolamento de uma parede de Wood Frame chega a ser duas vezes superior ao de uma parede de alvenaria convencional.

A tecnologia foi trazida ao Brasil pelo Senai, após uma missão técnico-empresarial à Alemanha, em 2009, organizada pela organização e o Ministério da Economia da região de Baden-Würtemberg. A empresa alemã Homag-Weinmann, produtora das máquinas usadas na construção de casas pelo sistema Wood Frame, também é parceira.

A Casa Sustentável terá telhado verde com horta orgânica, iluminação em LED, energia fotovoltaica, composteira para resíduos orgânicos, vidros duplos, isolamento térmico e acústico, descargas econômicas e torneiras com controle de vazão. Serão ainda agregados à obra um gerador eólico, cujo objetivo é demonstrar, em um projeto, as diversas possibilidades de soluções sustentáveis e ambientalmente corretas.

No local da casa, o Núcleo Senai de Soluções Sustentáveis irá disseminar as tecnologias do Wood Frame e promover intercâmbio de informações e materiais técnicos. Também será instalado serviço de disseminação de novas tecnologias com práticas focadas em eficiência energética e em isolamento térmico e acústico.


Inovação: indústria do Ceará se mobiliza pela gestão e desenvolvimento de negócios


O Sistema Fiec e o Sebrae do Ceará realiza uma série de eventos para sensibilizar as empresas a implantarem uma cultura de inovação em seus ambientes corporativos. O próximo será em 8 de agosto, das 18h30 às 21h30, na sede do Sistema Fiec, em Fortaleza.

Eduardo Grizendi fará a palestra Gestão de Mudanças e Sistemas da Inovação: Identificando e Avaliando Oportunidades para a Inovação. Entre outros títulos, Grizendi é mestre em Telecomunicações pelo Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), no qual é professor na área de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação.

Ele é autor do Manual de Orientações Gerais sobre Inovação, publicado pelo Ministério das Relações Exteriores (disponível em www.brasilglobalnet.gov.br/ARQUIVOS/Publicacoes/Estudos/PUBEstudosManualDaInovacao.pdf). É consultor da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e em empresas e instituições em desenvolvimento de negócios e gestão da inovação, implanta políticas de inovação e Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) em instituições científicas tecnológicas, orienta empresas na aplicação de incentivos diretos e fiscais à inovação, a chamada Lei do Bem.

Saiba mais: 85 3421 6515 e 85 3421 6517 ou mecoelho@sfiec.org.br.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Acessórios: bolsas de grife despertam paixões nos britânicos

Os britânicos amam bolsas de grife mais do que qualquer outro país. É o que aponta a World Luxury Index: pesquisa conduzida pelo Digital Luxury Group que analisa as marcas de luxo mais requisitadas.


O levantamento, que considera os hábitos do consumo online global, mostra que o Reino Unido acumula 422 pesquisas de bolsas a cada mil usuários de internet – comparado aos números de 315 buscas nos Estados Unidos e 196 na Itália. A label mais procurada pelos britânicos foi a Mulberry, enquanto a Coach foi a que registrou a maior demanda no mundo, seguida pela Louis Vuitton, Chanel, Gucci e Longchamp. A Hermès Birkin foi o modelo mais procurado como bolsa ícone.

De olho nas novidades que os grandes nomes da moda estão preparando, encontramos a Longchamp Le Pilage, com mais um lançamento marcado. A nova bolsa, assinada por Jeremy Scott, exibe uma estampa de teclado colorida. O design, inspirado na geração digital, representa a 12ª colaboração entre estilista e a Longchamp. Os modelos chegam às lojas no final deste mês e estarão à venda por U$355. Confira na galeria as it-bags que estão roubando a atenção dos fashionistas!

Fonte Portal Senai Design

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Cursos gratuitos no DF: mais de mil vagas no Senai de Taguatinga

Cursos gratuitos de aperfeiçoamento e qualificação profissional estão com vagas abertas no Senai do Distrito Federal. As 1.085 oportunidades estão distribuídas em 12 áreas industriais, que vão desde capacitações em tecnologia da informação até marcenaria. Todas as turmas serão realizadas no Senai de Taguatinga, com opções para os três turnos
 
Os cursos duram de 20 horas a 200 horas. Segundo o gerente de formação profissional da organização, Cláudio Tavares, os cursos de menor abordam noções básicas acerca da área pretendida para que o aluno possa participar de outros cursos de capacitação do Senai-DF, e escolher de maneira segura uma profissão. “O Senai trabalha quase 100% da sua capacidade com cursos gratuitos. Portanto, quem fizer um curso de 20 horas em vestuário, por exemplo, terá os pré-requisitos básicos para fazer um curso de 160 horas ou até mesmo um de 1,2 mil horas, como é o caso das capacitações de nível técnico”.

O interessado tem que ter, no mínimo, o quarto ano do ensino fundamental e idade mínima de 16 anos. Para alguns cursos da construção civil, a faixa-etária limite sobe para 18 anos. Algumas turmas já iniciam os estudos nesta segunda (16/7/2012). Mais informações: 61 3353-8718/8719.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Competitividade: indústria de SC aposta na automação, TIC e inovação

Cada vez mais, o setor produtivo investe em tecnologias que possibilitem o aumento da produtividade e da qualidade de produtos, além de realizar ações de inovação. Por isso, uma série de novidades nas áreas de automação industrial e tecnologias da informação e comunicação (TIC) serão apresentadas em workshop internacional que será realizado nesta terça (17/7/2012), em Florianópolis, pelo Senai de Santa Catarina.


Serão tratadas tecnologias emergentes como robótica, redes industriais e de computadores, computação em nuvem e apresentação de cases de inovação. Participarão das palestras representantes de empresas de referência internacional e especialistas da Sociedade Fraunhofer, uma das principais instituições de pesquisa e desenvolvimento da Europa. A participação é gratuita e pode ser confirmada pelo 0800 48 1212 ou www.fiescnet.com.br/jornada.

"Todas as indústrias precisam se dedicar às áreas de automação e tecnologia da informação, pois estão presentes, em menor ou maior intensidade, nessas indústrias. Daí relevância do workshop", explica Sérgio Roberto Arruda, diretor regional do Senai-SC. "A competitividade está na pauta na indústria catarinense. E esse desafio passa pela inovação, serviços técnicos e tecnológicos e pela educação profissional", completa.

A inovação, outro tema que também pode ajudar a impulsionar o setor produtivo, será um dos temas do encontro. Serão apresentados detalhes dos projetos do SENAI/SC para reforçar o apoio à indústria, como a ampliação das opções de consultorias, serviços laboratoriais de metrologia. Também haverá exposição de casos de sucesso de pesquisa aplicada, nos quais especialistas do Senai ajudaram empresas a desenvolver produtos e conquistar mercados.

O workshop faz parte da Jornada Inovação e Competitividade da Indústria Catarinense, que o Sistema Fiesc realiza nesta semana (16 a 20/7/2012). Serão realizadas palestras sobre educação, inovação, perspectiva da indústria e competitividade. Haverá ainda a entrega da das comendas do Mérito Industrial e Mérito Sindical 2012.

Clique aqui para ver a programação do workshop e da Jornada de Inovação.



Capital do couro e do calçado: Semana Mix coloca Franca no centro nacional do design


Franca, capital nacional do calçado masculino localizada a 416 quilômetros da cidade de São Paulo, abre suas portas para a 2ª Semana Senai Mix Design, na próxima terça (17/7). Gratuito, o evento reunirá até o dia 19 especialistas do setor em torno de palestras, workshops e exposição.

Na abertura, a designer de calçados do Núcleo de Tecnologia e Design do Couro e do Calçado do Senai-SP, Débora Catelani, apresentará o book de inspirações para a temporada Outono/Inverno 2013.

Confira a programação:


Palestra
Dia 18, 19h30: A gestão da mudança na era do consumo emocional, com Edson D’Aguano, articulista, professor de Gestão de Varejo de Moda e diretor presidente da Consultive Branding – Gestão de Marcas; 20h30: Design estratégico: case da empresa Ciao Mao, com Priscila Callegari, empresária. Ganhadora de prêmios internacionais de design, que falará sobre sua empresa de calçados interativos.

Dia 19, 19h3: A transformação do olhar através do design, com Ronaldo Fraga, estilista, conhecido por criar coleções que valorizam a cultura brasileira, discorrerá sobre a busca da construção de uma identidade de moda.

Workshop
Metodologia Senai Mix Design para criação de calçados, bolsas e artefatos: processo de criação e aplicação do Senai Mix Design no desenvolvimento de coleções para sua empresa. É possível agendar visita personalizada com os designers do Senai pelo design604@sp.senai.br ou 16 3727-1101.

Exposição
Com apresentação de materiais e componentes Outono/Inverno 2013 para calçados, bolsas e artefatos. A Exposição também será apresenta em outras unidades do Senai-SP:

Capital: 24 e 28 de julho, no Senai do Ipiranga; Jaú: 31 de julho; Birigui: 1 de agosto; Santa Cruz do Rio Pardo: 2 de agosto.

Saiba mais: 16 3727-1101 e senaifranca@sp.senai.brClique aqui para fazer sua inscrição.


terça-feira, 10 de julho de 2012

Novo perfil profissional: professor de hoje é um mediador do conhecimento


Profissionais alinhados aos novos tempos. Assim como nas demais áreas, os docentes também precisam se adaptar às novas demandas, compreendendo e adequando-se às mudanças tecnológicas e de comportamento de seus alunos. Esta é a mensagem que o diretor regional do Senai de Santa Catarina, professor Sérgio Roberto Arruda, vai transmitir a cerca de 200 profissionais da organização na região do Vale do Itajaí, em palestra nesta terça-feira, às 16h, na unidade de Blumenau. "O professor de hoje é um mediador do conhecimento", enfatiza.

Arruda salienta que o discurso sobre a mudança do papel do professor já está disseminado na sociedade, mas falta ser colocado em prática. Há muito tempo, se fala que o professor não é mais o transmissor do conhecimento, no entanto é preciso formar um profissional que leve esse novo conceito à sala de aula e, no caso do Senai, aos laboratórios didáticos. "Esse é o papel da Academia Senai, que vamos implantar no estado, para a formação dos docentes da instituição", explica.

"Entendemos que a metodologia da Educação por competência seja o caminho para levar o professor a ser o mediador do conhecimento", afirma Arruda. O modelo pedagógico estimula os estudantes a desenvolver os conhecimentos, habilidades e atitudes desejadas em sua profissão. É a união da teoria, com a capacidade de fazer e de atitudes, como o respeito às pessoas, o respeito ao meio ambiente, a capacidade de trabalhar em equipe e a iniciativa de solucionar problemas.