sábado, 10 de março de 2012

Mercado de trabalho: Envelhecimento da população amplia necessidade de qualificação

A queda demográfica que o Brasil deverá enfrentar a partir de 2025, aliada ao baixo nível de educação da população, sinaliza a necessidade do país aumentar a qualificação profissional de adultos no futuro. O alerta é do diretor de Educação e Tecnologia do Sistema Indústria, Rafael Lucchesi, durante encerramento do 4º Seminário de Desenvolvimento Econômico Local, na quinta (8/3).

“Esse envelhecimento da população acarretará redução do ingresso de jovens no mercado de trabalho”, explicou Lucchesi, que também é diretor-geral do Senai Nacional. Segundo ele, a atual falta de profissionais qualificados gera problemas de produtividade, sobretudo nos pequenos negócios de regiões com infraestrutura precária.

Lucchesi reiterou que, para apoiar o desenvolvimento industrial em diversas regiões do país, o Senai, juntamente outros integrantes do Sistema Indústria: Sesi e IEL, estão ampliando ações de educação e apoio à gestão e inovação nas empresas. Exemplo desse esforço será a duplicação, em dois anos, das atuais 2,5 milhões de matrículas na educação profissionalizante do Senai para 4 milhões até 2014.

Esse esforço conta com crédito de R$ 1,5 bilhão do BNDES. Com mais R$ 400 milhões de recursos próprios, a organização vai construir 53 centros de formação profissional, adquirir 79 unidades móveis e reformar várias unidades. Também serão instalados 23 institutos de inovação e 48 institutos de tecnologia para apoiar o crescimento da competitividade das indústrias.

A quarta edição do Seminário de Desenvolvimento Econômico Local foi realizada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) em parceria com o Sistema Indústria. O encarregado da representação do BID no Brasil, Juan Carlos de La Hoz (foto), e especialistas trocaram informações e experiências sobre iniciativas financiadas pelo Fundo Multilateral de Investimentos (Fomin), do BID, em países da América Latina e Caribe. Os temas principais foram inovação, internacionalização de pequenas e médias empresas, sustentabilidade e cadeias globais de valor.

Desde 2009, o Sistema Indústria, por meio da CNI, executa com o Fomin o Programa de Desenvolvimento Territorial, que beneficia pequenas e médias empresas em cadeias produtivas de quatro estados: segmento de madeira e móveis, no Acre; metalmecânico no Complexo Portuário de Suape, em Pernambuco; rochas ornamentais, no Espírito Santo; e automobilístico, em Goiás. Em quatro anos, serão investidos US$ 6,5 milhões na primeira etapa do programa.

Ao todo, o Fomin apoia 500 projetos na América Latina e Caribe, voltados para o desenvolvimento de pequenas e médias empresas. Do total, 61 estão sendo executados no Brasil.
(Foto Miguel Ângelo/Sistema Indústria)



Nenhum comentário:

Postar um comentário