sexta-feira, 23 de março de 2012

Investimentos em inovação devem alcançar R$ 4,5 bilhões em 2012, diz presidente do BNDES

O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, anunciou nesta sexta (23/3), que os desembolsos para projetos de inovação na indústria devem alcançar neste ano R$ 4,5 bilhões. Um aumentar em 50% ante 2011, quando foram investidos R$ 3 bilhões. Coutinho participou da reunião da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), promovida pela CNI em São Paulo, com presidentes de empresas como Vale, Braskem, Ford, Natura, Odebrecht e outras.

Raupp, Andrade e Coutinho: esforços conjuntos para incrementar
e fortalecer a inovação nas indústrias (Foto Marcos Issa/Argosfoto)
“Boa parte desses recursos deverão ser investidos em pequenas e microempresas, que estão começando a investir mais nessa área”, ressaltou Coutinho. O presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, acrescentou que, além dos investimentos diretos em inovação nas empresas, o BNDES já aprovou financiamento de R$ 1,5 bilhão ao Senai. Esses recursos, somados a mais R$ 400 milhões do próprio Senai, serão aplicados em 32 centros de pesquisas.

“Em dois anos vamos construir esses centros em diversos estados, aproveitando as potencialidades regionais, entre os quais o de produtos de madeira no Acre, e o de biotecnologia, na Amazônia”, assegurou Andrade.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, que também participou da reunião da MEI, adiantou que o governo vai incentivar o investimento privado em inovação na expectativa de que, até 2015, os dispêndios entre os setores público e privado sejam iguais. Hoje, o governo destina à inovação o equivalente a 0,61% do Produto Interno Bruto (PIB) ante 0,55% investidos pelas empresas.

“A nossa política visa estimular os empresários para serem protagonistas no sistema de ciência e tecnologia", disse o ministro, acrescentando que o governo está formatando incentivos, isenções e desoneração da folha de pagamento. Isso, segundo ele, dará aos empresários condições de aumentar a pesquisa, o desenvolvimento e a inovação nas indústrias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário