terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Expansão em Pernambuco: Senai vai aplicar R$ 170 milhões em educação e inovação no estado

O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, comunicou ao governador Eduardo Campos, em recente encontro no Recife, novos investimentos do Senai de R$ 170 milhões em Pernambuco, destinados à ampliação da qualificação de profissionais para a indústria e à disseminação da inovação tecnológica nas empresas.

Os investimentos se justificam, segundo Andrade, que também está à frente do Conselho Nacional do Senai, pelo elevado número de projetos industriais implantados e a serem instalados em Pernambuco, principalmente nos setores automotivo, farmacoquímico, naval e petróleo, que irão gerar mais de 30 mil empregos diretos. Entre os futuros empreendimentos está a nova fábrica da Fiat, a ser construída no município de Goiana e que atrairá diversas empresas fornecdoras.

O diretor de Educação e Tecnologia da CNI e diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi, detalhou ao governador o programa que vai apoiar competitividade da indústria no estado. Participaram ainda do encontro com Eduardo Campos o senador Armando Monteiro Neto, ex-presidente da CNI, e o presidente do Sistema Fiepe, Jorge Corte Real.

O programa prevê a construção de três novos centros de educação do Senai: em Goiana (R$ 21,5 milhões), Ipojuca (R$ 16 milhões) e Jaboatão dos Guararapes (R$ 52 milhões). Serão criadas também três unidades do Instituto Senai de Tecnologia: em Petrolina, de alimentos e bebidas; em Paulista, de química; e em município ainda a ser escolhido o de automação.

Com aportes de R$ 50 milhões, será instalado ainda o Instituto Senai de Inovação em Tecnologia da Informação e Comunicação, para dar suporte ao pólo de TI em operação em Pernambuco. Com estes investimentos, explicou Andrade, o Senai vai dobrar o número de matrículas no estado, passando de 45 mil para 90 mil, até 2013.

O novo polo industrial do estado já está sendo atendido pelo Senai. Em janeiro, 38 turma concluíram a etapa de qualificação e são esperadas mais 54 para fevereiro, graças ao Projeto Automotivo. Por meio dele serão qualificados mais de 6,6 mil profissionais de 13 municípios da Zona da Mata Norte do estado. O projeto formará, ao todo, 342 turmas qualificadas para as obras da fábrica da Fiat.

De junho de 1976 a junho de 2009, a Fiat produziu em Betim (MG)
 e vendeu 10 milhões de unidades em todo o país (Foto Divulgação)

 As ações serão desempenhas pelas unidades do Senai de Paulista e de Água Fria que atenderão, respectivamente, 3.120 e 3.566 pessoas até o final da execução do projeto. São 15 opções de cursos que garantirão a formação profissional, no primeiro momento, de cerca de 3.160.

As atividades foram desenvolvidas em duas etapas: uma a ser desempenhada dentro do Projeto Automotivo do governo estadual e outro a partir do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico (Pronatec), o qual também está inserido no programa Brasil Sem Miséria do governo federal. Os cursos terão duração entre 1 e 8 meses, de acordo com a qualificação.

A fábrica da Fiat em Pernambuco poderá produzir entre 200 mil e 250 mil unidades por ano, a partir do início de 2014, com investimentos entre R$ 3 bilhões e R$ 3,5 bilhões. O número de empregos diretos deve superar os 3,5 mil postos inicialmente projetados.

A decisão de investir no estado decorre do cenário favorável de mercado para os próximos anos, com projeção de expansão de vendas de automóveis e comerciais leves em todas as regiões do país, com destaque para o Nordeste.

Além disto, o projeto da Fiat tornou-se possível porque a empresa detectou em Goiana uma área contínua que comportará o novo polo automotivo, composto pela fábrica de automóveis, parque de fornecedores de primeiro nível (sistemistas), centro de capacitação e treinamento, centro de pesquisa e desenvolvimento, pista de testes e campo de provas. A Fiat também manterá um centro logístico em Suape, que continuará a ter importância estratégica para o projeto.



Nenhum comentário:

Postar um comentário