segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Petróleo e gás: Petrobras e Senai vão qualificar profissionais no Maranhão

O Senai do Maranhão vai formar 600 profissionais da construção civil até agosto próximo, para trabalhar nas obras da Refinaria Premium I. A parceria foi fechada na quinta (12/1), e garante investimento de R$ 726 mil na implementação do programa nos municípios de Bacabeira, de Santa Rita e de Rosário.

A proposta é preparar pessoal para trabalhar nas próximas fases da construção do empreendimento da Petrobras, em Bacabeira. “Temos interesse em que as pessoas dos municípios do entorno façam parte do projeto”, frisou o gerente geral de Implantação da Refinaria Premium I da Petrobras, Fernando Fernandes Martinez, na assinatura do documento.

Ainda assinaram o convênio, o gerente de Relacionamento Industrial da empresa, Michel Fabianski Campos, a diretora do Senai em exercício, Luciana Leão, e o vice-presidente do Sistema Fiema, Luiz Fernando Renner. O convênio prevê a seleção de 200 pessoas em cada município para os cursos de Armador de Ferragens, Carpinteiro de Formas e Pedreiro. De acordo com Martinez, a intenção da Petrobras é ter esses profissionais preparados até o meio do ano, quando finda o período chuvoso, e as obras de construção civil da Refinaria serão retomadas em um ritmo ainda mais acelerado.

“A partir de julho, finalizaremos a terraplanagem do terreno e começaremos obras como a de uma subestação de energia para atender ao projeto. O início da construção da Refinaria propriamente dita está marcado para começo de 2013”, explicou Martinez. Segundo ele, depois da conclusão da capacitação com o Senai, os trabalhadores sairão com um diploma reconhecido e que tem credibilidade no mercado. O convênio Senai/Petrobras garante ainda bolsa de R$ 300, por meio do Prominp.

“Esperamos que esse seja apenas o primeiro de muitas outras parcerias a serem firmadas entre a Petrobras e o Sistema Indústria no Maranhão”, afirmou Renner. A Refinaria Premium I será a maior do Brasil e a quinta maior do mundo, com capacidade para processar 600 mil barris de petróleo por dia. Durante a sua construção, deverão ser gerados 132 mil postos de trabalho, diretos, indiretos e por efeito renda. Para a operação da refinaria, o efetivo estimado é de aproximadamente 1.500 trabalhadores.
Reportagem de Veruska Oliveira/Sistema Fiema – Foto Divulgação

Um comentário:

  1. Sou engenheiro já tentei várias vezes entrar neste mercado de trabalho e não consigo e o mais interessante é que tenho atribuições na área de petroleo e gás. E não vejo nada disso só picaretas e mentirosos roubando e a petrobras ignorando

    ResponderExcluir