quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Fashion Rio 4: Indústria Criativa é tema de abertura da feira de moda e de negócios

Especialistas do negócio da moda debateram a força da indústria criativa para a economia brasileira na abertura da 20ª edição do Fashion Rio e do 19º Rio-à-Porter, nesta terça (10/1), no novo endereço da bolsa de negócios: a Casa Firjan da Indústria Criativa, em Botafogo, zona sul da capital fluminense. O local, adquirido recentemente, abrigará o trabalho do Sistema Firjan envolvendo o setor, com a participação do Senai Moda Design. Esse escritório é o centro de inteligência para o setor da moda fluminense, promovendo o segmento em todo o Brasil e no exterior. Oferece às empresas soluções na área de design, tecnologia e mercado, por intermédio da prestação de serviços diferenciados.

Mediada pelo jornalista Guto Abranches, a conversa teve a participação do presidente em exercício do Sistema, Carlos Mariani Bittencourt. “Há dez anos a Firjan acordou para os diversos aspectos que norteiam a moda e lançamos nosso olhar para esse segmento da indústria criativa. Começamos com a moda e a cada ano fomos expandindo nossas ações. É um orgulho participar deste processo”, disse Bittencourt. Ao responder pergunta sobre geração de empregos e potencial de vendas, ele ressaltou o impacto da cadeia criativa no total de empregos do Rio.


“Atuamos há dez anos no setor. Nesse período o potencial de consumo de quem produz esses produtos também aumentou. A indústria criativa do estado ocupa hoje 25% da mão de obra carioca, algo em torno de 700 mil empregos. O salário médio desses profissionais é o mais alto do país. É bom enfatizar que este momento econômico acontece graças ao alinhamento político que há entre as esferas municipal, estadual e federal”.

Também participaram do bate-papo o diretor criativo do Fashion Rio, Paulo Borges, o diretor-superintendente do Sebrae-RJ, Cezar Vasquez, o presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil, Aguinaldo Diniz Filho, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Júlio Bueno, o secretário de Turismo do Município do Rio, Antônio Pedro Figueira de Mello, e a diretora-executiva de Marketing e Vendas do Boticário, Andrea Mota.

Local da recepção à imprensa e sede do Rio-à-Porter desta edição do evento, a Casa Firjan da Indústria Criativa foi bastante elogiada. “Compramos este palacete no último ano e vamos trabalhar para transformá-lo no endereço da indústria criativa do Rio. Desenvolveremos diversas ações que vamos detalhar em breve”, explicou Carlos Mariani.

Segundo o site oficial do Rio-à-Porter, o evento é um salão de negócios de moda e design oficial do Fashion Rio, importante ferramenta de marketing e de relacionamento e plataforma lançadora de tendência. A cada edição, o salão vem se fortalecendo pela bem-sucedida sinergia entre seus realizadores: o Grupo Luminosidade, de Paulo Borges, que traz na bagagem a realização dos principais eventos ligados à moda no país; o Sistema Firjan, que fomenta a realização de negócios no setor de moda; e a InBrands, holding operacional que investe em empresas de moda. O Rio-à-Porter reúne as principais grifes e compradores do Brasil e do exterior; promovendo negócios e encontros de marcas e novos clientes.
Foto Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário