quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Design gráfico: Exposição no Fashion Rio destacou capas de discos de César Villela

O artista gráfico e desenhista César Villela foi o responsável pela imagem de diversas capas icônicas de discos da Bossa Nova. Traços simples onde predominavam o preto e o branco, com pequenos pontos em vermelho e o selo Elenco, criado em 1962 por Aloysio de Oliveira, marcaram a estética do design gráfico brasileiro da época.

A cenógrafa do Fashion Rio, Mari Stocker, teve a intenção de realizar a mostra depois de folhear o livro Bossa Nova e Outras Bossas - A Arte e o Design das Capas dos LPs. "Vi o livro de capas de discos da Bossa Nova do Charles Gavin e mostrei ao Paulo Borges. Sempre gostamos de falar da produção e da criatividade brasileiras. Chamamos o Charles, que é músico e pesquisador, para fazer uma exposição que mostrasse os caminhos do design gráfico nesse período", diz ao FFW.

A exposição trouxe 64 capas de discos, sendo 60 delas parte da coleção de Gavin. Um dos maiores expoentes do design dos anos 1960, Villela criou capas para artistas como Tom Jobim, Nara Leão, Vinícius de Moraes, Baden Powell e Maysa, criando "sem querer" um estilo que marcou a década.

No dia 11 de janeiro, o curador da exposição Design na Música Brasileira, esteve na Casa Firjan da Indústria Criativa para conversar com Villela sobre sua importância no design gráfico brasileiro e na própria definição da identidade da Bossa Nova. O designer contou sobre algumas técnicas de ilustração utilizadas para criar as capas e declarou ao FFW que se define como "um grupo de artistas incorporado em si mesmo".

Sobre a linguagem autêntica, ele comenta que foi muito influenciado pelo canadense Marshall McLuhan, que dizia a seguinte frase: "O excesso de detalhes no trabalho são ruídos visuais". Isso fez com que percebesse a necessidade de eliminar os ruídos visuais de seu trabalho e desenvolvesse um traço simples e original.
Fonte Portal Senai Design – Foto FFW

Nenhum comentário:

Postar um comentário