quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Jovem Aprendiz: Senai orienta empresas do Acre sobre legislação

O Senai do Acre promoveu o Seminário da Aprendizagem Industrial, para orientar as indústrias a respeito da Lei do Jovem Aprendiz e a cota de aprendizagem que lhes cabe. De acordo com a diretora de Educação e Tecnologia da organização, Geane Reis, o evento esclareceu a função de cada uma das partes envolvidas neste processo – empresas, Senai, Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério Público do Trabalho e o jovem aprendiz.

A lei obriga estabelecimentos de qualquer natureza, com exceção das pequenas e micros, a contratar como aprendizes entre 5% e 15% do total de trabalhadores, matriculando-os nos serviços nacionais de aprendizagem, como o Senai e o Senac, ou em escolas técnicas e entidades sem fins lucrativos voltadas à educação profissional. Para ser aprendiz o jovem deve ter entre 14 e 24 anos. “Como nosso ano letivo começa em 6 de fevereiro, realizamos esta reunião técnica agora, apresentando nossos cursos e as vagas oferecidas", explicou Geane.

Ainda segundo ela, a aprendizagem se dá no nível básico. "Trata-se de uma preparação do jovem para o primeiro emprego, uma qualificação inicial, mas muitas vezes o mercado requer que o aluno já saia pronto do Senai, em nível técnico aprofundado." Atualmente o Senai-AC atende jovens contratados por 60 empresas do estado. Para 2012, a Escola Senai oferece 330 vagas, divididas pelos cursos Mecânico de Manutenção de Automóveis, Eletricista de Manutenção Predial e Industrial, Auxiliar em Redes de Computadores, Assistente de Produção na Confecção de Roupas, Assistente de Produção Industrial, Padeiro e Confeiteiro. O Cetemm coloca à disposição 210 vagas, para os cursos Auxiliar em Logística Industrial, Industrial de Operador de Máquinas para Marcenaria, Auxiliar de Obras de Edificações e Auxiliar Administrativo.
          
Outro ponto debatido foi a demanda de profissionais de cada empresa e a necessidade de adequar os jovens selecionados para atendê-las, uma vez que, não raro, acontecem desistências ou solicitações para mudança de curso tão logo as aulas se iniciam e os contratos entre empresa e aprendiz são assinados. “Seria interessante que Senai e empresa firmassem parceria neste sentido, para que não ocorra escassez de profissionais qualificados, que o investimento da empresa não se perca”, salientou Mariano Mozani, diretor da Escola Senai.

Uma das propostas apresentadas foi a da gerente de Recursos Humanos Oricélia Amaral, da Pinheiros e Medeiros Indústria de Carnes e Derivados, onde é feita uma pré-seleção. “Assim, traço o perfil do candidato para ver se ele vai atender àquela demanda específica da nossa empresa. Assim, evitamos que aconteça uma evasão." Até 13 de janeiro, as empresas podem enviar lista para pré-inscrição nos cursos oferecidos. Na primeira semana de aula, que começa em 6 de fevereiro, o Senai-AC fará a confirmação das inscrições com os alunos e, a partir daí, é que as empresas assinarão o contrato com aqueles que, de fato, apresentarem interesse de permanecer no curso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário