segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Design antropofágico: Designer se inspira na cultura brasileira e ressignifica objetos do cotidiano

Salvador Chair, 2010 - Foto Divulgação
Rodrigo Almeida é mais um brasileiro talentosíssimo. Ele utiliza objetos do cotidiano para criar peças que ultrapassam as barreiras do óbvio. Rodrigo não tem formação acadêmica. Apesar de achar importante para o mercado, acredita que "há certa uniformização de pensamento, e para as artes isso é muito perigoso por gerar uma estagnação criativa", segundo declara ao Design PVC. Ele conta que sempre se encantou por objetos, mas não sabia o que era design, então começou a pesquisar sobre a profissão e descobriu uma linguagem própria.

O artista tem a cultura como sua maior inspiração. A miscigenação é um dos temas preferidos por ele: tudo é híbrido e não óbvio. Uma de suas criações mais famosas - a cadeira África - por exemplo, exalta o design e um ritmo que remete à influência da cultura africana no Brasil. Para Almeida, é essencial que o objeto se comunique, faça parte do seu tempo e represente sua cultura.

Outra ferramenta de criação é encontrar significados para os objetos, dando nova função ao uso comum. Ele trabalha em estúdio próprio fazendo protótipos ou edições limitadas. Por isso, está sempre a procura de pessoas interessadas em produzir seus projetos. É o caso da galeria de artes de Xangai, Contrasts Gallery, que participa das mais importantes feiras de design e arte do mundo e já apoiou diversas ideias do designer. Também já trabalhou em parceria com a brasileira Habitart e com isso, desponta no mercado nacional e internacional.

Rodrigo acredita na ideia de "antropofagia contemporânea", que, segundo ele, é "a desconstrução e reconstrução dos ícones contemporâneos. Desconstrução porque anula a função do objeto e o desloca de seu uso e construção porque esses objetos unidos se transformam em novos objetos". É o objeto que absorve o próprio objeto pra se reproduzir. "Para mim a reciclagem tem essa simbologia e essa linha de pensamento nasceu a partir da pesquisa do trabalho de Oswald de Andrade em seu manifesto antropófago", completa.

As estruturas são mais uma vertente importante do trabalho do artista. Ele trabalha com plataformas visíveis, que se sobrepõem em diferentes camadas de materiais, de forma muito natural, como se estivessem ali por acaso. A beleza da obra de Rodrigo se dá justamente pela mistura de referências, de cores, culturas e materiais. A combinação incerta e ao mesmo tempo, harmônica de camadas, marca um estilo próprio e original do designer. Fonte Portal Senai Design

Nenhum comentário:

Postar um comentário