quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Pronatec e a inclusão produtiva: Programa abre neste mês prazo para matrículas do Brasil Sem Miséria

As pré-matrículas dos beneficiários dos programas de distribuição de renda no Pronatec poderão ser feitas a partir da última semana deste mês de novembro, informa calendário do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) divulgado nesta quarta (9/11). Estarão aptas para ingressar nos cursos promovidos pelo Pronatec pessoas em condições de extrema pobreza – com renda até R$ 70 mensais – incluídas no programa Brasil Sem Miséria.

O anúncio do prazo das pré-matrículas foi feito no Encontro sobre Inclusão Produtiva Urbana do Plano Brasil Sem Miséria, promovido pelo MDS no Centro de Convenções Brasil 21, em Brasília, do qual participaram representantes do Senai de todo o país. Até o início da próxima semana, o Senai definirá quantas, das 80 mil vagas que oferecerá ainda este ano dentro do Pronatec, caberão aos beneficiários do Brasil Sem Miséria, na chamada inclusão produtiva.

O Pronatec, cuja lei de criação foi sancionada pela presidenta Dilma Rousseff no último dia 26, vai ampliar o número de cursos de educação profissional e tecnológica. Atenderá a três públicos principais: estudantes de ensino médio, trabalhadores desempregados e beneficiários de programas de transferência de renda, especialmente os atendidos pelo Brasil Sem Miséria.

Participaram também das negociações sobre o número de vagas técnicos do Ministério da Educação, do Senac, dos Institutos Federais de Educação, das Secretarias de Trabalho e de Assistência Social estaduais e municipais e do Sistema Nacional de Emprego (Sine).

A ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, revelou que pretende oferecer 60 mil vagas em cursos de formação inicial (para quem pretende aprender um ofício) e continuada (para quem quer aperfeiçoar os conhecimentos da profissão que já exerce) entre 2011 e o primeiro semestre de 2012 para os beneficiários do Brasil Sem Miséria. Foram escolhidos 161 municípios – entre os quais as 27 capitais – com mais de cem mil habitantes para serem atendidos na primeira etapa.

“Pretendemos capacitar, até o final de 2014, 1,1 milhão de brasileiros em condição de extrema pobreza. Essa é uma ação corajosa, necessária e somente possível graças à adesão de Senai, Senac e Institutos Federais”, disse a ministra. Acordo assinado entre o MEC e o MDS estabelece que o Ministério da Educação bancará os custos dos cursos, do transporte, do material didático e, em alguns casos, do uniforme.

Antes de se matricularem, no entanto, os beneficiários dos programas de transferência de renda passarão por oficinas de orientação vocacional e por atividades motivadoras para que entendam o que são os cursos e se sintam integrados aos programas. Os cursos que estão sendo oferecidos pelo Senai para essa primeira fase do Pronatec podem ser consultados pelo www.vocenaindustria.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário