segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Pronatec contra a miséria: Programa terá cursos para pessoas que vivem em extrema pobreza

Pronatec oferecerá ainda neste ano vagas em cursos de educação profissional para pessoas em situação de extrema pobreza, ou seja, com renda inferior a R$ 70 ao mês. O anúncio foi feito pela ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Tereza Campello (foto), na sexta (4/10), durante videoconferência na sede do Sistema CNI, em Brasília.

Um dos principais parceiros do Pronatec, o Senai terá cursos para qualificar essas pessoas. O número de vagas a ser oferecido pela organização deve ser definido em reunião que ocorrerá na quarta (9/10), no Palácio do Planalto, entre representantes do Senai, do Senac, das Secretarias de Trabalho e das de Assistência Social de estados e municípios e do governo federal.


“O Brasil tem 16,2 milhões de pessoas em condição de extrema pobreza, ou seja, cuja é menor que R$ 70 ao mês. São esses brasileiros que queremos qualificar por meio do Pronatec”, explicou a ministra. “A nossa parceria com o Senai permitirá que o Brasil que está na miséria se encontre com o que está em crescimento e precisa de trabalhadores qualificados”, assegurou Tereza Campello.

Os brasileiros que serão beneficiados fazem parte do Cadastro Único para Programas Sociais do governo. Nele, estão, entre outros, os beneficiários do programa Bolsa Família. Antes da matricula nos cursos, explicou Tereza Campello, as pessoas receberão orientação vocacional e terão informações sobre as ofertas de trabalho em sua região. Além disso, serão orientadas a buscar outros serviços, como os de saúde, por exemplo.

O diretor de Operações do Senai Nacional, Gustavo Leal, que também participou da videoconferência, afirmou que a formação profissional de pessoas de baixa renda será um grande aprendizado para todos os atores envolvidos na iniciativa. “Esse projeto é muito nobre. Esperamos que o Brasil se torne um país equânime. E isso só se dará pela inclusão dessa pessoas.” A diretora de Integração das Redes de Educação profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Patrícia Barcelos, destacou que os calendários dos cursos deverão refletir a realidade das pessoas.

Além dos brasileiros em condição de extrema pobreza, são também públicos prioritários do Pronatec trabalhadores reincidentes do seguro desemprego e estudantes do ensino médio de escolas públicas. O Senai já oferece oportunidades para os jovens. Há 80 mil vagas em cursos de qualificação nas unidades espalhadas em todo o país.

Mais informações: www.vocenaindustria.com.br. Foto Miguel Ângelo/Sistema Indústria

Nenhum comentário:

Postar um comentário