sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Educação e tecnologia: Sistema Indústria vai investir em inovação e na competitividade do Maranhão

No Brasil, os desafios lançados para o setor industrial estão exigindo investimentos em inovação para impulsionar a competitividade e o crescimento. O tema esteve em pauta nesta semana no Sistema Fiema, em São Luís. À frente dos debates, durante dois dias, o secretário de Estado de Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Maurício Macedo; o presidente do Sistema, Edilson Baldez das Neves, e o diretor de Educação e Tecnologia do Sistema Indústria, Rafael Lucchesi, entre outros.

O foco é o enfrentamento dos obstáculos ao desenvolvimento industrial no Maranhão e no país e adequação da oferta de serviços das organizações que compõem o Sistema, como o Sesi, Senai e IEL. A discussão é nacional e está na agenda do Sistema Indústria, que propõe um amplo processo de reestruturação e modernização dos serviços, principalmente os técnicos e tecnológicos oferecidos.

Premiação das primeiras colocadas na Competição Estadual de Robótica Industrial de Mato Grosso - Foto Senai-MT
Macedo, Baldez e Lucchesi: união pelo crescimento industrial – Foto Ascom/Sistema Fiema
“Elegemos potencializar as discussões em segmentos específicos considerados desafios para o crescimento da indústria do país”, disse Lucchesi, que também é o principal executivo do Senai Nacional. Segundo ele, assim como o Sistema Indústria foi essencial para o Brasil na evolução econômica do século 20, é preciso reforçar a carteira de programas e projetos para contribuir com o crescimento industrial também neste século.

Neste contexto, estão previstos reforços em áreas estratégicas, como educação profissional e tecnológica, inovação, reforço educacional, saúde e segurança do trabalho, educação executiva e melhoria nos padrões de gestão. Elas foram eleitas pelo Sistema Indústria como fundamentais para a mudança de cenário exigida pelo mercado para o novo século. “O país mudou, a economia cresceu, o acirramento da competição internacional também. Estamos em um ciclo de desenvolvimento sustentável para os próximos anos e tudo isso precisa ser levado em consideração”, destacou Lucchesi.

Outro ponto ressaltado por Lucchesi é que a reestruturação passa ainda pela capacidade do Sistema Indústria de atuar em rede, mantendo permanente o diálogo com entidades, organizações e governos federal e estadual. Para Edilson Baldez, o Sistema Fiema vai continuar trabalhando para potencializar o desenvolvimento do setor industrial maranhense, por meio da gestão estratégica de serviços e conhecimentos, alinhados às estratégias do Sistema Indústria.

Também participaram da reunião, o diretor regional do Senai-MA, João Alberto Schalcher, a superintendente regional do Sesi, Andréia Marão, o superintendente de Serviços Compartilhados do Sistema Fiema, Benigno Almeida, e o superintendente regional do IEL Marco Antônio Moura, que ainda é superintendente corporativo do Sistema Fiema. Maurício Macedo, expos no encontro o ambiente favorável para negócios pelo qual o Maranhão passa atualmente, com a instalação de indústrias na área de petróleo e gás, papel e celulose, alimentos (avicultura), energia renovável e outras. “Estamos dando relevância aos estados com esse perfil, e o Maranhão tem um potencial de crescimento expressivo que, sem dúvida, vai impactar economicamente a região e o país”, frisou Lucchesi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário