terça-feira, 29 de novembro de 2011

Olimpíada de Química: Três únicos medalhistas de ouro são do Senai-SC

Apenas alunos do Senai de Santa Catarina alcançaram pontuação suficiente para conseguir a medalha de ouro na categoria A da VII Olimpíada Catarinense de Química, que envolveu estudantes do ensino médio com idade até 18 anos. Além das três primeiras posições na lista dos melhores do estado, a organização teve quatro medalhistas de prata e onze medalhistas de bronze. Os 20 alunos melhores classificados das primeiras séries e 20 das segundas séries participarão da Olimpíada Brasileira de Química, em agosto de 2012.

Dos três medalhistas de ouro, um é do Senai de Tijucas e dois são da unidade de Joinville, onde os alunos puderam participar de aulas extras específicas para a competição. As medalhas de bronze são concedidas a alunos que conseguiram notas entre 6,0 e 6,9, prata para índices entre 7,0 e 7,9 e ouro para os que obtiveram nota acima de 8.

Além de cursarem o segundo ano do ensino médio no Senai de Joinville, os alunos Rafael Böeger e Ricardo Huelsmann, respectivamente primeiro e segundo colocados, também são da primeira turma do curso técnico em Química da unidade. "Faço o curso pensando em minha carreira, pois essa formação pode me dar boa carga de conhecimento para faculdade e trabalhar", explica Huelsmann. 


Aluno do primeiro ano do ensino médio do Senai de Tijucas, Frans Craesmeyer, diz que a medalha de ouro foi inesperada. “A prova incluía conteúdos que ainda não vi, pois são do segundo ano. Mas me foquei em fazer o que sabia e ir pela lógica nas demais", explica o aluno, que pretende fazer curso técnico em eletromecânica.

Craesmeyer diz ter sido incentivado a participar por sua professora de química, cuja aula faz questão de prestar atenção. “Em geral, tendo entender bem o conteúdo quando ele é dado, e muitas vezes gravo bem e não sinto necessidade de estudar em casa." Com apenas 15 anos, ele assegura que gostar de química por envolver matemática e lógica. Para a etapa nacional da Olimpíada de Química, o estudante está ainda mais empolgado. “Até lá já terei visto e estudado a maior parte do conteúdo do segundo ano, daí vou poder competir de igual para igual com os demais”.       


Confira os medalhistas do Senai

Categoria A (1º e 2º anos)
  • Ouro: Rafael de Melo Böeger e Ricardo Dagnoni Huelsmann, de Joinville; e Frans Joseph Craesmeyer, de Tijucas. 
  • Prata: Gabriel H. Knüpfer e Willian Schmitz, de Joinville.Bronze: Jessica Daiane Domingos, de Jaraguá do Sul; e Giovanni Francisco Weiss e Lucas Schlickmann, de Joinville.

Categoria B (3º ano)
  • Prata: Fábio César Menslin Júnior e Rafael Bini Leite, de Joinville.
  • Bronze: Roberto Duessmann, de Joinville; Vinícius Feller e Manoel M.R. Bitencourt, de Tijucas; 
  • Matheus Dal Mazo, Henry R. da Silva e Cledson Luiz Tragnago, de Concórdia; e Wendell Engelmann de Jaraguá do Sul.


    Soldado Cidadão: Militares são capacitados no Piauí

    O Senai do Piauí está qualificando para o mercado de trabalho mais uma turma de militares incorporados às fileiras do Exército baseado em Teresina. A iniciativa faz parte do programa Soldado Cidadão, viabilizado em parceria entre Ministério da Defesa e organizações do Sistema S.


    São dez militares que participam do curso Mecânico de Manutenção e Instalação de Aparelhos de Climatização e Refrigeração (foto), ministrado no Centro de Unidades Móveis do Senai de Teresina. “A importância da formação profissional para os militares é de um valor incalculável. Esta ação proporcionada pelo o Senai e o Exército é excelente porque já saímos daqui capacitados para o mercado de trabalho, hoje cada vez mais competitivo”, afirmou o cabo Emanuel, um dos participantes do curso.

    Para o diretor regional do Senai-PI, Ewerton Negri Pinheiro, “os cursos oferecidos pelo Senai visam profissionalizar os militares não estabilizados para enfrentarem o mercado de trabalho em condições competitivas”. O Soldado Cidadão é desenvolvido em diversos estados. O objetivo é dar condições para que o jovem militar tenha mais condições de ingresso no mercado de trabalho quando retomar a vida civil.
    Reportagem de Jânio Holanda - Foto Senai-PI

    Responsabilidade Social: Programa com deficientes intelectuais dá prêmio ao Senai-RJ

    Pelo sétimo ano consecutivo, o Senai do Rio Grande do Sul conquistou o Prêmio Responsabilidade Social da Assembleia Legislativa. O Senai-RS recebeu o certificado referente ao balanço social e relatório de responsabilidade social de 2010, quando foi apresentado o case o Programa Pessoas com Deficiência, com destaque para o curso para pessoas com deficiência intelectual desenvolvido em parceria com diversas empresas e instituições. O Senai-RS recebe este certificado desde 2005, concedido a empresas cujo sistema de gestão obtém destaque pela busca de negócios sustentáveis.

    Vinhos com qualidade: Senai recebe certificação do Mapa para atestar produção em Pernambuco

    Produtores de vinho de Petrolina, Juazeiro e cidades do entorno podem comemorar. O Senai de Petrolina, a 722 quilômetros do Recife, acaba de receber o certificado de laboratório para ensaios oficiais em vinhos, vinagres, sucos e derivados do vinho e da uva. O credenciamento realizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) ajudará a garantir agilidade no processo de venda dos produtos.

    A coordenadora dos laboratórios daquela unidade do Senai, Silvana Martins, informa que o laboratório foi construído em virtude de solicitação dos produtores da região. Antes, as análises eram realizadas em laboratórios do Recife. “Para haver o comércio dos produtos derivados de vinho e uva é necessário que os produtores realizem análises periódicas dos lotes. Como não havia nenhum laboratório na região, fomos solicitados a criar um. Agora o produtor tem a resposta mais rápida”, afirma Silvana.

    O credenciamento garante ao único laboratório da região a realização de ensaios de qualidade, dando credibilidade aos produtos, além de receber e agregar valor à educação oferecida no centro de educação do Senai.

    Segurança nas plataformas de petróleo: Seminário debate certificação de competências em instalações com atmosferas explosivas

    O Centro de Tecnologia Automação e Simulação do Senai de Benfica, na capital do Rio de Janeiro, promoverá na quinta (1/12), das 13h às 18h, o seminário A Importância da Certificação de Competências nas Instalações com Atmosferas Explosivas. Na agenda a segurança em diversos níveis em áreas classificadas das plataformas de petróleo. O objetivo é debater os equipamentos, manutenções e reparos necessários para assegurar um nível de segurança satisfatório nas instalações com atmosferas explosivas. 
     
    O evento é gratuito e as vagas limitadas. Para participar, ligue 0800 0231 231 (gratuito de telefone fixo no estado) ou 4002-0231 (custo local). As inscrições também podem ser realizadas pelo faleconosco@firjan.org.br




    Soluções tecnológicas: Senai-MS fecha acordo com Instituto Nacional de Tecnologia

    O Senai de Mato Grosso do Sul e o IEL-MS oficializaram nesta segunda (28/11), em Campo Grande, um acordo de cooperação com o Instituto Nacional de Tecnologia (INT) para a execução de ações, projetos, atividades e programas de extensão tecnológica no estado.

    A proposta do termo assinado pelo presidente do Sistema Fiems, Sérgio Longen, e pelo diretor do INT, Domingos Manfredi Naveiro, é ampliar o acesso de empresas a serviços de assistência tecnológica que forneçam soluções para gargalos nos processos produtivos e o desenvolvimento e apoio tecnológico em temas e projetos de comum interesse das instituições.

    Segundo Longen, este é o primeiro passo em direção à aplicação de projetos de inovação e pesquisa para elevar a competitividade das indústrias. “Há um ano o Senai, o IEL e o governo estadual conversavam com o INT para a criação de um escritório de representação da entidade.” O INT tem expertise em inovação tecnológica industrial e um escritório em Mato Grosso do Sul, explica Logen, servirá para orientar a indústria para obter mais eficiência e competitividade.

    Para Naveiro, a parceria que acaba de ser fechada viabiliza a entrada da instituição em Mato Grosso do Sul. “O INT precisava sair da sua área de conforto para levar seus serviços a todas as regiões do Brasil. Por isso chegamos para ajudar o Sistema Fiems a trazer mais inovação tecnológica para as empresas locais”, disse.

    Pelo acordo, o Senai e o IEL vão promover os meios necessários para a instalação de uma unidade operacional do INT, incluindo instalação física adequada e alocação de um conjunto de bolsas para atividades previstas. Adicionalmente as organizações vão fornecer a infraestrutura para o funcionamento da unidade e coordenar a execução técnica das ações, projetos, atividades e o programa de extensão tecnológica em Mato Grosso do Sul.

    O INT vai auxiliar no planejamento de estratégias de abordagem para as empresas locais relacionadas a atividades de extensão tecnológica e apoio na consecução de projetos tecnológicos de mútuo interesse e previamente estabelecidos. O INT também vai articular e facilitar a interlocução com as empresas prestadoras de serviços tecnológicos, acompanhar a execução das ações no âmbito do Sistema Brasileiro de Ciência e Tecnologia (Sibratec) e promover o treinamento de extensionistas designados.

    segunda-feira, 28 de novembro de 2011

    Pós-modernismo: Victoria & Albert dedica exposição a movimento controverso


    Victoria &
     Albert Museum apresenta mais uma grande exposição. O museu londrino agora dedica seu espaço para celebrar o Pós-Modernismo. O movimento artístico e cultural foi escolhido por ser um dos mais controversos e desafiadores. O intrigante universo do movimento que surgiu na década de 1970 retrata um novo estilo, marcado pelas contradições que vão do grotesco ao luxuoso, do colorido ao decadente. A exposição Postmodernism: Style and Subversion 1970-1990 exibe este cenário curioso que partiu do pensamento arquitetônico, mas também abraçou o mundo da arte, design, moda e cinema.

    A característica marcante da época foi a quebra com a visão utópica do modernismo, baseado na clareza e na simplicidade, abrindo as portas para um novo mundo. Segundo o Victoria & Albert, o pós-modernismo, ao contrário, era como "um espelho partido, refletindo uma superfície de muitos fragmentos". A naturalidade foi deixada de lado para dar vez aos conceitos de complexidade e contradição. Muito além de uma manifestação artística, o pós-modernismo transformou a atitude de uma geração. Trouxe a liberdade radical para a arte e o design, através de gestos irônicos ou desafiadores.

    São mais de 250 objetos de arte e design que exaltam a irreverência do período. Entre eles estão a luminária Super Lamp, criada em 1981 por Martine Bedin para o Grupo Memphis, a capa do disco Power, Corruption and Lies, da banda New Order e instalações de videoclipes de cantores que quebraram padrões com suas performances ousadas, como Grace Jones (foto) e Laurie Anderson. A mostra tem a curadoria da dupla Glenn Adamson e Jane Pavitt e fica em cartaz até o dia 15 de janeiro de 2012.

    Fonte: Portal Senai Design – Foto Victoria & Albert Museum

    Inovação na escola: Senai-RS abre exposições de projetos em prol de deficientes físicos

    Projetos de alunos de aprendizagem de nível técnico e básico das unidades do Senai do Rio Grande do Sul estão reunidos em mostras abertas às comunidades. A partir da próxima quinta (1/12), as unidades de Cachoeirinha e Gravataí apresentam seus projetos, das 8h30min até 21h. O diferencial desta exposição é que os trabalhos são destinados a pessoas com deficiência. As escolas Nilo Peçanha, José Gazola, Construção Civil e Plástico, de Caxias do Sul, terão a 2ª Mostra de Trabalhos Técnicos, em 3 de dezembro, a partir das 9h.

    No dia 10 de dezembro, será a vez dos alunos dos cursos técnicos em Automação Industrial e em Manutenção Automotiva dos Centros Tecnológicos Automotivo e de Mecatrônica apresentarem suas ideias, a partir das 9h, na 19ª Mostra de Trabalhos Técnicos, no CT Mecatrônica, em Caxias do Sul. Os trabalhos dos alunos da escola Carlos Tannhauser, de Santa Cruz do Sul, serão apresentados nos turnos das aulas, de 12 a 15 de dezembro. A ostra de projetos do Centro Automotivo de Porto Alegre será no dia 16, nos turnos da tarde e noite.

    Empreendedorismo: Encontro debate educação e internacionalização de empresas

    “Não é possível inovar sem educação. O alicerce de tudo é a educação básica. Para que uma empresa sobreviva hoje no mercado brasileiro, é necessário investir em pesquisa, desenvolvimento e na qualificação de seus funcionários”. A afirmação é de Ater Cristófoli, empresário de Campo Mourão, no Paraná, que participou do 2º encontro de Boas Práticas em Inovação, realizado pelo Centro Internacional de Inovação (C2i) na sexta (25/11), em Curitiba.

    O encontro reuniu empresários de diversas regiões do Paraná para gerar um conjunto de boas práticas na área da inovação, que serão disseminadas para outras empresas. “O empreendedorismo no Brasil é muito exacerbado, mas não porque as pessoas estejam preparadas ou porque tenham uma ideia fantástica, mas porque elas estão procurando emprego”, comentou o vice-presidente do Sistema Fiep, Sidney Paciornik, ao elogiar Cristófoli como um empreendedor de sucesso.

    “Quando comecei minha empresa, há 20 anos, não tinha dinheiro, não sabia nada da área, e não havia mão de obra especializada em Campo Mourão. Eu era um protético que começou a fabricar autoclaves (esterilizadores) semelhantes aos que já existiam no mercado nacional. Hoje, minha empresa é líder na América do Sul”, disse o empresário e proprietário da Cristófoli Equipamentos de Biossegurança, que também é coordenador regional do Sistema Fiep em Campo Mourão.

    Para minimizar os prejuízos por conta da falta de profissionais especializados, Cristófoli criou, em 1997, a Fundação Educere, que passou a funcionar como uma escola técnica de eletrônica. “Selecionávamos os melhores alunos das escolas para a qualificação. No começo, os engenheiros da empresa davam aulas para os alunos duas vezes por semana e nos outros dias eles ficavam nos laboratórios. Hoje, muitos destes jovens que foram qualificados abriram seu próprio negócio na área da saúde”, contou Cristófoli.

    Segundo o empresário, o Brasil ainda forma poucos profissionais, principalmente engenheiros, para trabalhar nas indústrias. Na China, 400 mil novos engenheiros chegam ao mercado de trabalho, uma média de 25 profissionais para cada 100 mil habitantes. No Brasil, são 30 mil formados – 6 a cada 100 mil habitantes.

    Outra questão que prejudica os empresários brasileiros é a concorrência estrangeira e a alta carga tributária. “Há cinco anos, eu exportava para 35 países, mas fui perdendo todos meus clientes para os chineses. Foi aí que resolvi arriscar e abrir uma fábrica na China. Em um ano, montei e estruturei uma empresa, formei um time com oito engenheiros e já desenvolvemos 10 produtos. No Brasil, demorei anos para chegar a este patamar”, relatou.

    Na avaliação do empresário João Alberto Soares, de Cascavel, que participou do encontro, no Brasil, há muita dificuldade para montar uma empresa de alta tecnologia por falta de mão de obra especializada. “Na China você tem essa possibilidade de ter profissionais especializados com um custo competitivo. No Brasil formamos muito, mas com pouca capacidade”, destacou o empresário.

    sexta-feira, 25 de novembro de 2011

    São Paulo prorroga inscrições para cursos de tecnólogo

    Com um modelo inédito de financiamento, o Senai de São Paulo lança mais quatro cursos superiores de tecnologia no atual processo seletivo, cujas inscrições se encerrarão na quarta (30/11). Com três novas habilitações na capital – Mecânica de Precisão, na unidade de Santo Amaro, Sistemas Automotivos, no Ipiranga, e Manutenção Industrial, no Brás – e da faculdade de Fabricação Mecânica, em Sorocaba, a organização passa a somar 13 títulos diferentes.

    Os candidatos aprovados podem se beneficiar do financiamento estudantil, aberto a alunos com renda familiar per capita de até três salários mínimos. Os estudantes apenas se comprometem a pagar, após seis meses de formados, o equivalente à mensalidade em vigor. “Nosso objetivo é criar condições para que os jovens já encaminhados profissionalmente possam subsidiar novas turmas”, explica o do Sistema Fiesp, Paulo Skaf.

    O estudante também pode solicitar bolsa de estudo por índice econômico familiar, monitoria ou iniciação científica, que permitem descontos de até 38% nas mensalidades. As inscrições podem pelo www.sp.senai.br/faculdades, ou na unidade onde será oferecido o curso pretendido.

    Clique aqui para saber mais sobre os cursos de tecnologia em São Paulo.

    7ª Olimpíada do Conhecimento: Paraíba promove fase estadual da competição

    Trinta e alunos do Senai e dois do Senac da Paraíba participam nesta semana (21 a 25/11), em João Pessoa, da etapa estadual da 7ª Olimpíada do Conhecimento. O evento, que é promovido em todo o país pelo Senai, é a principal competição de educação profissional e tecnológica das Américas. Durante as provas, os competidores são avaliados pelos seus conhecimentos e habilidades técnicas e comportamentais. A disputa é mais uma fase do processo do programa de qualificação desenvolvido pelo Senai, ao medir, em padrões internacionais, o grau de qualidade e eficácia dos profissionais que forma de acordo com as demandas do mercado.
                                                                                           
    O Centro do Senai da capital paraibana sedia as provas, que ocorrem nas seguintes ocupações profissionais: Aplicação de Revestimento Cerâmico; Confeccionador de Calçados; Cabeleireiro (Senac); Desenho Assistido por Computador; Eletricidade Predial; Eletricidade Industrial; Fresagem Mecânica; Mecânica de Automóveis; Mecânica Geral (Ajustagem); Metrologia Dimensional; Mecânica de Precisão; Mecânico de Refrigeração; Mecânico de Manutenção; Polimecânica; Soldagem; Técnico em Design da Moda e Tornearia Mecânica.

    Ao final das disputas deverão ter passado pelo Centro cerca de 5 mil visitantes. Eles contam com exposição dos trabalhos do Inova Senai (aberto a docentes e alunos da organização) e Desfile da Coleção Verão 2012, com a participação de alunos do Centro de Moda do Senai em Campina Grande, e outras atrações. Os vencedores de cada ocupação passarão por processo seletivo, a partir de abril de 2012, em busca de vagas na equipe que irá representar a Paraíba na fase nacional da competição, em novembro de 2012, em São Paulo.
    Mais informações: 83 2101-5374. Clique aqui para acompanhar ao vivo a competição.

    Olimpíada em Rondonópolis
    Após participar da etapa local da 7ª Olimpíada do Conhecimento, estudantes do Senai de Rondonópolis, a 210 quilômetros de Cuiabá, estão ansiosos para competir na fase estadual da competição, considerada a maior disputa de educação profissional e tecnológica das Américas. E o desejo dos alunos em se destacar na próxima estapa tem explicação: garantir a média necessária para conquistar vaga no evento nacional, que ocorrerá em 2012, em São Paulo. Em Rondonópolis, quatro jovens competiram nas ocupações Tornearia e Manufatura Integrada e demonstraram conhecimento técnico e habilidades pessoais.

    Um deles é Vinícius Santos Coutinho, que conta como foi a experiência. "Participar da Olimpíada do Senai nesta etapa foi muito produtivo, pude exercitar como é trabalhar sobre pressão". Ele refere-se ao fato de competir e ser observado pelo público e ser julgado pelos avaliadores da disputa. "Também dividi conhecimentos com quem já participou da competição, e recebi dicas de como agir em situações inesperadas e como deve ser a postura do competidor que briga por uma medalha". 
    Além disso, Vinícius explica que passou a conhecer seus pontos fracos bem como conseguiu identificar onde estão seus diferenciais como competidor. "Estou feliz e quero chegar na etapa nacional, representar meu estado com muito orgulho e trazer a medalha de ouro".


    No CIC, os alemães conheceram o projeto do Núcleo de Soluções Sustentáveis, que será construído em 2012 – Foto Rogério Theodorovy
    Valéria Adelaide: alunos visitantes ficaram impressionados com a oportunidade de conhecer o Senai – Foto Senai-MT


    A competição em Rondonópolis teve a participação de alunos de aprendizagem, na ocupação de mecânica de manutenção industrial, e do ensino técnico, em mecânica e mecatrônica. Eles foram treinados pelos instrutores Thiago Silva Leite e Diego Henrique de Andrade. O evento foi aberto ao público, com cerca de 600 pessoas, principalmente alunos do ensino médio, que conheceram os ambientes de ensino em automação, informática, eletricidade predial e industrial, solda e de grãos. Visitaram ainda a mostra tecnológica de produtos inovadores de alunos e docentes da unidade, com a apresentação do Elevador de Canecas, a Tomada Inteligente, a Geração de Energia e o Ar Condicionado com Umidificador.

    Na última edição nacional da Olimpíada do Conhecimento, em 2010, o Senai de Rondonópolis destacou-se na ocupação Tornearia, conquistando um certificado de excelência. No geral, o Senai de Mato Grosso obteve quatro certificados, além de medalha de prata em Robótica Industrial. No mês passado, foi realizada a competição estadual de Robótica Industrial, na qual a equipe de Rondonópolis obteve o terceiro lugar.

    Valéria Adelaide, coordenadora do curso técnico Segurança do Trabalho do Senai de Rondonópolis, que também liderou a organização do evento, destaca o resultado da abertura do Senai ao público. "Após o evento, representantes das escolas nos ligaram para agradecer a oportunidade de conhecer o Senai e para dizer como os alunos do ensino médio ficaram satisfeitos e impressionados".

    Missão Jamaica Senai executa projeto de criação de centro de educação na ilha caribenha

    O Senai de Minas Gerais é referência para a instalação do Centro de Formação Profissional da cidade de Portmore, na Jamaica. A partir da próxima segunda (28/11), gestores jamaicanos estarão em Belo Horizonte para passar por capacitação profissional. A iniciativa faz parte do projeto Brasil-Jamaica, iniciado em outubro de 2010, cujo objetivo é favorecer o desenvolvimento econômico e social daquela ilha do Caribe, via educação profissional. Naquela data, técnicos do Senai–MG levantaram dados in-loco para a instalação do Centro dentro dos padrões do Senai.

    O projeto, com investimento total de U$ 3,8 milhões financiados pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, é executado pelo Senai Nacional e a HEART Jamaica (Human Employment anda Resource Training). O governo brasileiro, por meio da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), do Ministério das Relações Exteriores, e o Ministério de Educação da Jamaica atuam como instituições coordenadoras.

    A proposta é promover a formação de profissionais em diversas áreas, como construção civil, serralheria e solda, hidráulica e gás, eletricidade, telecomunicações, refrigeração e marcenaria. Para isso, serão reformadas estruturas existentes e construídos novos laboratórios. A obra, em fase de licitações, deve começar em 2012. Além dos gestores, todos os instrutores receberão treinamento do Senai-MG.

    Missão Haiti: Senai-DF participa do esforço de levar segurança e cidadania aos haitianos

    “O Senai do Distrito Federal está contribuindo com a missão de paz no Haiti”. A afirmação é do sargento Mendes Júnior, oficial responsável pela tropa de cem militares que participam de cinco cursos de qualificação profissional nas unidades do Senai de Taguatinga e do Gama, antes de partirem para o Haiti, em 8 de dezembro. Trata-se de uma parceria entre o Senai-DF o e Exército Brasileiro, firmada por meio do 16º Batalhão Logístico. O resultado será o aperfeiçoar dos soldados, cabos, tenentes e sargentos que substituirão a tropa que atua na região há seis meses.

    O Brasil comanda a Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah) desde 2004, após um período de insurgência e a deposição do presidente Jean-Bertrand Aristide. O grupo assumiu a função de restaurar a segurança no país – por exemplo, com o combate às gangues armadas –, além de ações de fortalecimento das instituições e de defesa dos direitos humanos.


    Segundo Jonatas Nascimento, que trabalha na área de atendimento à empresa do Senai de Taguatinga, a partir da demanda do Exército foram formadas cinco turmas, de 20 pessoas cada, para capacitação de auxiliares de saladeiro; mecânico de motor a diesel; eletricista predial e residencial; reparador de ar-condicionado; e garçom. “Fomos solicitados para módulos específicos das necessidades encontradas no Haiti. O curso de salgadeiro, por exemplo, não podia ter receitas sofisticadas, considerando a escassez de ingredientes naquele país”, explica Nascimento. “Personalizamos os cursos, inclusive focando a prática, já que os oficiais estão sendo capacitados nas áreas que já atuam no exército."

    A parceria Senai e Exército é antiga. O sargento Mendes cita o programa Soldado Cidadão, realizado pelas duas organizações. “Conhecemos a qualidade da formação profissional do Senai e, inclusive, a seriedade do serviço oferecido. Por isso, recorremos ao Senai para qualificar nossos militares, que irão para o Haiti. Eles precisam estar qualificados para cumprir com a missão que receberam."

    Este é o caso do cabo Silva. Mineiro, Silva crê que a capacitação no Senai o ajudará a corrigir erros e vícios que se adquire no dia a dia do trabalho. “Estou aprendendo no curso de garçom o devido trato com o material, as pronúncias corretas dos utensílios de trabalho, a postura que se deve ter ao servir." O instrutor de hotelaria e turismo Nazareno Machado explica que, além das técnicas de serviço, os alunos aprendem como vender, as boas práticas de manipulação e saúde e sobre segurança no trabalho.

    O subtenente Claudir Souto atua como mecânico há mais de 20 anos. Com toda a sua experiência, Souto elogia a capacitação oferecida pelo Senai-DF. “Aqui tive a oportunidade de atualizar e reciclar aquilo que sei. No Senai, encontramos as novidades do mercado, porque os cursos oferecidos trazem o que há de mais moderno em termos de tecnologia." O subtenente completa: “Quanto melhor formos capacitados, melhor vamos atuar no Haiti”.

    A demanda do Exército Brasileiro foi atendida principalmente porque o Senai-DF, muito mais do que educação profissional, oferece um leque de serviços técnicos e tecnológicos. Estes serviços abrangem áreas como alimentação, meio ambiente, eletromecânica, design, construção civil, saúde e segurança do trabalho, gestão do negócio, tecnologia da informação e vestuário. As opções vão ao encontro das necessidades reais das empresas ao ser realizadas de forma personalizada. No Senai-DF, os empresários contam com consultorias e assessorias em diversos temas.

    Para saber mais ligue 61 3441-3030, em Brasília; 61 3384-3272, no Gama; e 61 3353-8700, em Taguatinga. Reportagem de Suzana Leite e foto de Cristiano Costa/Unicom Fibra

    Indústria saudável: Redução em 10% no consumo de sal entre os americanos evita 50 mil mortes por ano, diz especialista

    Cada 10% de redução do consumo de sal evita 50 mil mortes por ano no continente americano. A informação é do conselheiro do Instituto de Tecnologia em Alimentos, sediado nos Estados Unidos, Ray Winger (foto), que participou do Workshop Internacional de Alimentos, iniciativa do Senai, em Chapecó. Segundo Winger, a média anual de consumo de sal no mundo está entre 8 e 11 gramas por dia, enquanto a meta internacional é de 5 a 6 gramas.

    O especialista ressalta que as iniciativas são das próprias indústrias, que buscam atender às expectativas do consumidor. Winger cita pesquisas que indicam que 70% dos consumidores desejam produtos com menos sal, mas apenas 45% leem rótulos. Apesar da demanda vir do outro lado do balcão, paradoxalmente, a redução é gradual exatamente para adequar o paladar do consumidor.

    Uma experiência bem-sucedida, na opinião de Winger, é a do Reino Unido, onde o consumo per capita de sal caiu da média de 11 gramas para 8 gramas diárias, entre 1998 e 2005. Ainda assim, o professor salienta que, à exceção de Portugal, Finlândia e Suécia, os países ainda não estão adotando legislação restritiva ao consumo de sal. Ele também cita como importantes avanços algumas indústrias de queijo, que reduziu em 33% a quantidade de sal, e de conservas, com reduções de 11% a 18%.

    Ray Winger também analisou a situação do Brasil e ressaltou a iniciativa da indústria de pães, que se propôs a reduzir a quantidade de sal nos produtos em 10% ao ano, até 2014. "O pão é importante porque tem grande quantidade de sal", afirma. "Existem pães com 1% de sal e que têm o mesmo nível de validade e conservação de outros panifícios que carregam 3% de sal, então é um ganho considerável."

    O professor da Massey University observa que, apesar dos males que causa, o sal tem duas propriedades positivas nos alimentos: ajuda a construir o sabor e a conservar os produtos. Para o sabor, explica, é possível fazer ajustes gradativos. Reduzindo-se aos poucos, os consumidores não percebem e se adaptam seu paladar. Já como conservante, o desafio para os fabricantes é encontrar um produto alternativo. "Não existe substituto", afirma Ray Winger. Ele lembra que as indústrias encontraram opções para substituir as gorduras e os açucares, mas ainda não para o sal. Os produtos que poderiam substitui o cloreto de sódio têm sabor amargo e são rejeitados pelos consumidores.

    Winger esclarece que existem sódios que não têm o mesmo efeito que o sal. Portanto, os problemas para a saúde está na combinação do elemento com o cloro - ou seja o cloreto de sódio. Com mais de 360 inscritos, o Workshop Internacional de Alimentos de Chapecó foi o terceiro do gênero que o Sistema Fiesc promoveu desde setembro, quando foi lançado o Movimento Senai Mais Competitividade. Os outros dois eventos foram realizados em Joinville, focado na área metalmecânica, e em Blumenau, para os setores têxtil e do vestuário.

    Foto Senai-SC

    Formatura Ebep

    No CIC, os alemães conheceram o projeto do Núcleo de Soluções Sustentáveis, que será construído em 2012 – Foto Rogério Theodorovy
    O Sistema Fieap realizou cerimônia de formatura de 63 alunos de educação básica de nível médio do Sesi articulado com o ensino profissionalizante do Senai do Amapá, o chamado programa Ebep. O programa é oferecido em todo o país como estratégia de alinhamento das ações educacionais das duas organizações. A proposta é melhor atender às demandas da indústria e da sociedade.

    Engenharia elétrica: Instrutores e alunos do Senai-AC participam de encontro com acadêmicos e profissionais do setor

    Marcando o Dia do Engenheiro Eletricista (23/11), docentes e alunos do curso Eletricista de Manutenção Predial e Industrial do Senai do Acre participaram do 1º Encontro de Engenharia Elétrica, realizado por acadêmicos da primeira turma de engenharia elétrica do Instituto de Ensino Superior do Acre (Iesacre). O evento reuniu profissionais da área, que foram convidados à troca de experiências. 


    O engenheiro eletricista Francisco Flávio Rocha Palácio, instrutor do Senai, falou do Sistema Elétrico de Potência (SEP) e a Importância do Engenheiro na Sociedade. “A taxa de crescimento do consumo de energia no Estado tem uma média anual de 10%, com picos de até 20%, e a tendência é crescer cada vez mais numa velocidade alta e não há profissionais suficientes no mercado. Daí a importância de o Iesacre oferecer este curso”, analisou Palácio. “Engenharia é a profissão de ontem, hoje e de amanhã”.

    Costura industrial: Empresas de Campo Grande ganham novas profissionais qualificadas

    O Senai de Mato Grosso do Sul encaminhou à indústria, nesta quinta (24/11), um grupo de 12 profissionais capacitadas no curso de costura industrial, realizado na região do Jardim Noroeste, em Campo Grande. Com esse grupo, que vai fazer teste na indústria de confecção Kabriolli para eventual contratação, serão 150 trabalhadores enviados, entre junho e novembro deste ano, para quatro indústrias do município.

    Este é o segundo grupo encaminhado para atender à demanda da Kabriolli. O primeiro, com 20 mulheres, foi encaminhado no final de agosto. Agora são cinco turmas qualificadas, cujas alunas foram enviadas pelo Senai às empresas Universo Íntimo, Kabriolli, Cativa Têxtil e Agosto Confecções, todas da capital do estado. De acordo com o presidente do Sistema Fiems, Sérgio Longen, graças ao Programa Ação Fiems, o Senai confirma o sucesso o novo formato de formação profissional adotado neste ano na capital. “Com mais essa etapa do programa , cumprimos nosso compromisso de qualificar e encaminhar os trabalhadores capacitados pelo Senai ao mercado de trabalho. É uma ação que começou com o pré-cadastramento dos moradores, início e conclusão dos cursos e entrega dos certificados para os formandos."




    De acordo com a gestora de pessoas da Kabriolli, Karla Rodrigues, a fábrica sempre necessita de trabalhadores. “Nossa demanda é grande e esperamos até o primeiro semestre do ano que vem suprir o nosso déficit por profissionais capacitados. Contamos com a parceria do Senai, que é imprescindível para o crescimento do nosso empreendimento no estado."

    O presidente da Associação de Moradores do Jardim Noroeste, Carlos Henrique Faustino, destaca a participação das alunas. “É nítido o interesse de todas durante as aulas. Elas ficam ansiosas para finalizar o curso, serem aprovadas e  encaminhadas ao mercado de trabalho." Para Luceia Aparecida de Souza, de 35 anos, o programa representa a melhoria na qualidade de vida. “Acredito que a iniciativa contribui para a realização de sonhos de toda uma família: conseguir um emprego com carteira assinada e trabalhar em algo que se está apta." Maria Gomes da Silva Ribeiro, de 54 anos, deixou o emprego de diarista para se dedicar ao curso de costura industrial. “Sempre estive em busca de um emprego melhor e esta oportunidade chegou em boa hora."


    Da mesma forma fez Jucylene Chagas Rodrigues, com 27 anos, que trabalhou sempre como diarista, mas resolveu fazer o curso para trabalhar em algo que realmente gosta. “Sempre gostei de costura e agora vou poder trabalhar em uma empresa onde gosto de exercer esta função." Ramona Edilene Cardoso Mendes, de 37 anos, explica que a busca pelo curso surgiu como forma de se qualificar. “Queria uma novidade, algo que despertasse o interesse em aprender e trabalhar. Adorei o curso e agora tenho a chance de ser contratada."

    Foto Senai-MS

    TV Indústria: Moda de Mato Grosso é destaque internacional


    @PortalEducacao → Aumenta em 10 anos a procura por cursos de licenciatura presenciais t.co/iC7ksoZ3

     @revistagalileu → Estudo americano divide usuários de tecnologia em 3 grupos. Descubra de qual você faz parte t.co/pXFewMwW

     @SENAIsc → Veja as empresas preferidas dos estudantes. ow.ly/7ykrl #Carreira

    Cursos pelo Brasil

    Formação de tecnólogos em São Paulo – Com um modelo inédito de financiamento, o Senai de São Paulo lança mais quatro cursos superiores de tecnologia no atual processo seletivo, cujas inscrições ser encerrarão na sexta (25/11). Com três novas habilitações na capital – Mecânica de Precisão, na unidade de Santo Amaro, Sistemas Automotivos, no Ipiranga, e Manutenção Industrial, no Brás – e da faculdade de Fabricação Mecânica, em Sorocaba, a organização passa a somar 13 títulos diferentes.

    Os candidatos aprovados podem se beneficiar do financiamento estudantil, aberto a alunos com renda familiar per capita de até três salários mínimos. Os estudantes apenas se comprometem a pagar, após seis meses de formados, o equivalente à mensalidade em vigor. “Nosso objetivo é criar condições para que os jovens já encaminhados profissionalmente possam subsidiar novas turmas”, explica o do Sistema Fiesp, Paulo Skaf.

    O estudante também pode solicitar bolsa de estudo por índice econômico familiar, monitoria ou iniciação científica, que permitem descontos de até 38% nas mensalidades. As inscrições podem pelo www.sp.senai.br/faculdades, ou na unidade onde será oferecido o curso pretendido.
    Clique aqui para saber mais sobre os cursos de tecnologia em São Paulo.

    Formação integral – Fazer o ensino médio no Sesi e paralelamente a educação profissional técnica no Senai. Esta oportunidade está sendo oferecida gratuitamente em todo o país. Em Maceió, a unidade que promove o programa de articulação das duas modalidades de ensino (Ebep) está com as inscrições abertas para a seleção de jovens de 14 a 16 anos. Ela pode ser feita no www.master-al.com.br até 9 de dezembro.

    A escola integrada Sesi/Senai que promove o Ebep possui 448 alunos matriculados. Em 2012, serão mais 130 vagas, em cursos nas áreas de segurança no trabalho, logística, rede de computadores e administração. Nos três anos de estudos, os jovens contarão com o benefício do cartão eletrônico tíquete-restaurante, também gratuito, já entregue aos alunos matriculados.

    "Sentíamos a dificuldade dos pais em arcar com as despesas do almoço de seus filhos quando eles ficavam os dois horários na escola e ainda precisávamos melhorar a qualidade da alimentação dos estudantes com uma refeição equilibrada. Decidimos, então, oferecer aos alunos do Ebep o tíquete-restaurante, que é aceito em diversos estabelecimentos", explica a assessora de educação do Senai-AL, Nívia Andrade. O valor é de R$ 8,50 por refeição.

    930 vagas em Pernambuco – O Senai-PE oferece 930 vagas paras os cursos técnicos gratuitos de administração, alimentos, redes de computadores, eletrotécnica, vestuário, química, eletrônica, edificações, eletromecânica, refrigeração e climatização, automação industrial, manutenção automotiva e produção de moda. O prazo para inscrição vai até o próximo dia 27.
     
    As vagas da manhã e da tarde são destinadas a quem estará cursando o segundo ou terceiro ano do ensino médio em 2012 e tiver entre 16 anos e 22 anos. Os interessados nas vagas da noite deverão ter concluído o ensino médio e ter até 22 anos completos no ato da matrícula.
    Mais informações: www.upenet.com.br e 81 3183-3710/3752.

    Arte Brasileira

    quinta-feira, 24 de novembro de 2011

    Energia eólica: Senai e alemães ampliarão formação de pessoal para expansão do setor

    Bahia, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo. Esses serão os estados que desenvolverão programa de formação de profissionais na área de energia eólica. Até 2014, serão capacitadas 500 pessoas, entre técnicos de planejamento e análise de instalação de parques eólicos, profissionais para construção, operação e manutenção desses parques e instrutores do Senai.

    A meta é do projeto que acaba de ser fecha pelo Senai e a Cooperação Alemã para o Desenvolvimento (GIZ, na sigla em alemão). O acordo foi assinado pelo diretor-geral do Senai Nacional, Rafael Lucchesi, e o diretor da GIZ para o Brasil, Ulrich Krammenschneider. As duas organizações investirão US$ 2 milhões. Estão previstas ainda visitas técnicas de profissionais do Senai a parques eólicos da Alemanha e de outros países europeus referências na oferta de energia gerada pelos ventos.


    De acordo com o analista do Senai Nacional, o Marcello Coelho, a falta de profissionais qualificados é um grande obstáculo para o crescimento do setor. Estimativas da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) indicam que a energia eólica representará 7% da energia gerada no Brasil em 2020. “Investidores e governos dos estados com grande potencial de geração de energia eólica têm procurado o Senai para intensificar a formação de profissionais para o segmento. Agora vamos atender à demanda.”

    Até 2014 o Brasil deve gerar 7,2 gigawatts de energia eólica, o que representa 1% da energia gerada no país por fontes renováveis. Para isso, está prevista a construção de mais de 200 parques eólicos em dez estados. Conforme o supervisor técnico da área eólica do CTGás&ER do Senai do Rio Grande Norte e da Petrobras, Daniel Faro, o setor vai demandar para os próximos três anos cerca de 40 mil profissionais, tanto para instalação quanto para operação e manutenção de parques eólicos.

    “Serão necessários desde auxiliares de construção civil, mestres de obras até engenheiros”, destaca Faro. Segundo ele, os salários devem variar em torno de R$ 700, para profissionais de base, a R$ 12 mil, para engenheiros. Marcello Coelho explica que boa parte dos profissionais do setor é formada em cursos genéricos, como o de construção civil. Por isso, assinala, o Senai quer ampliar a oferta de cursos e serviços específicos para o setor. “Esse projeto com a GIZ será um pontapé inicial para os estados onde o Senai não desenvolve ações em energia eólica e intensificará resultados naqueles em que já oferece cursos e serviços.” O Senai dispõe de cursos e serviços específicos no Rio Grande do Norte, Ceará e Rio Grande do Sul.

    No projeto em parceria com a GIZ, serão capacitados 72 instrutores do Senai e 360 profissionais para o setor. De acordo com o Senai, o profissional para trabalhar na instalação e montagem de parques eólicos deve planejar, acompanhar e executar a instalação dos aerogeradores, avaliar riscos, interpretar manuais e procedimentos, reparar sistemas e componentes dos equipamentos, controlar estoques de peças, elaborar relatórios de manutenção, entre outras atividades.

    Os da fabricação de equipamentos e de operação e manutenção de parques eólicos devem desenvolver projetos de componentes, de materiais, de processos de confecção e de montagem de aerogeradores. Também têm a tarefa de fabricar e montar peças e controlar a conformidade dos processos e dos componentes desses equipamentos.

    O Senai vai capacitar mais 45 profissionais para oferta de serviços de consultoria em análise de áreas para instalação de parques eólicos, elaboração de planos de negócios, acesso a banco de dados em energia eólica e consultoria para a instalação de laboratórios. Nos cursos e visitas técnicas, esses especialistas vão aprofundar conhecimentos em identificação e seleção de locais para exploração eólica, análise preliminar do potencial eólico, elaboração de projetos básicos de infraestrutura civil e elétrica e de processo de licenciamento ambiental, entre outros.

    Há mais de 40 anos, o Senai é parceiro da GIZ. Desde 2009, as duas organizações realizam ações conjuntas na área de energia, considerada prioritária para o Senai. Naquele ano, assinaram convênio para um projeto que, até 2013, capacitará 80 técnicos do Senai para prestar serviços a empresas na área de eficiência energética. “A cooperação com a Alemanha é fundamental para garantir a competitividade da indústria brasileira”, disse Rafael Lucchesi, na assinatura do acordo. Segundo Ulrich Krammenschneider, o projeto se insere na estratégia de cooperação da Alemanha com Brasil.

    Educação profissional e tecnológica: Especialistas dão dicas para vencer os desafios da qualificação

    Benefícios que vão além do salário, ambiente saudável, estímulo à educação e inovação, valorização do profissional, flexibilização das relações do trabalho e criação de ambientes de aprendizagem. Estas são as dimensões que as empresas precisam atentar para atrair, qualificar e reter talentos, segundo Rafael Lucchesi, diretor de educação e tecnologia do Sistema Indústria. Ele participou nesta terça (22/11), em Curitiba, do workshop Desafio da Qualificação, promovido pelo Senai e Sesi do Paraná e a Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-PR).

    “A cultura das organizações se traduz na soma dos indivíduos. São os profissionais de recursos humanos que vão se valer de um conjunto de tecnologias e ciência para trabalhar melhor e potencializar o capital humano nas organizações”, disse Lucchesi, que também é o principal executivo do Senai Nacional. O encontro reuniu empresários e representantes de mais de cem empresas do Paraná.


    O presidente do Sistema Fiep, Edson Campagnolo, destacou a responsabilidade dos profissionais de recursos humanos dentro das empresas. “Apesar de toda turbulência instalada nas economias do mundo, existe no Brasil um grande potencial de consumo e de atração de investimentos. Para dar conta das novas demandas, precisamos de uma força de trabalho eficiente e capacitada, e é responsabilidade dos profissionais de recursos humanos pensar em estratégias para reter os talentos nas empresas.”

    Para Sonia Gurgel, presidente da ABRH-PR, as parcerias são fundamentais para desenvolver ações concretas que ajudem os profissionais das empresas a traçar metas e planos de qualificação. “O mundo é complexo e precisamos fazer parcerias com instituições como o Sesi e o Senai, que têm know how, com empresas, com sindicatos e dentro dos segmentos. O país precisa crescer e, para isso, são necessários profissionais qualificados.”

    O workshop de Curitiba é o primeiro de uma série de eventos que ocorrerão em várias capitais. Segundo presidente da ABRH Nacional, Leyla Nascimento, uma das principais preocupações da entidade é a disseminação do conhecimento para os gestores de pessoas nas organizações. “Discussões sobre gestão de talentos e qualificação sempre estão na pauta da ABRH, mas agora teremos a oportunidade de conversar diretamente com as empresas.”

    Na avaliação de Rafael Luchesi, a educação profissional depende diretamente da qualidade do ensino básico. “Temos dificuldade em formar técnicos, pois nossa matriz educacional incentiva o bacharelado. Não incentivamos a educação profissional. De cada cem graduados no Brasil, cinco são engenheiros e arquitetos.” Luchesi ressaltando que o Brasil precisa pensar em uma agenda que não contemple apenas a qualidade da educação, mas também a matriz educacional.

    Uma pesquisa realizada pelo Senai Nacional mostra que a 53% da demanda futura de trabalhadores para a indústria, entre 2011 e 2014, será de cursos de qualificação com até 200 horas. A demanda por formação técnica será de 18%. Somente este ano, o Senai registrou 2,3 milhões e matrículas em todo o país, sendo 377 mil destinadas à qualificação.

    Segundo o economista e especialista em relações com o mercado, Marcelo Neri, pesquisa da Fundação Getúlio Vargas sobre educação básica e educação profissional mostra que quem faz o ensino médio técnico tem um retorno maior do que quem fez apenas o ensino médio. Quanto mais elevado o nível de educação, maior o salário e maiores as chances de ocupação.

    “Na corrida de obstáculos entre oferta e demanda, a educação profissional permite às pessoas conciliarem trabalho e estudo, em prazo mais curto e mais direto às necessidades das empresas”, disse Neri, citando pesquisa feita em seis regiões metropolitanas. O levantamento constatou que entre 2004 e 2007 houve um aumento de 75% na oferta de educação profissional do país.

    Para o diretor de educação da ABRH Nacional, Luiz Edmundo Rosa, as empresas são os principais agentes de transformação do país. “É necessário incentivar o jovem a seguir uma carreira no setor produtivo, uma vez que a maioria dos recém-formados quer fazer concurso público.”

    De pés descalços Marca espanhola cria sapatos elásticos, ultraleves e biodegradáveis

    A marca 01M OneMoment, do Figtree Factory Studio, desenvolveu os primeiros sapatos 100% biodegradáveis. Perfeitos para viagens e atividades ao ar livre, eles são uma alternativa aos modelos tradicionais e unem praticidade, design, funcionalidade e responsabilidade ambiental.


    Produzidos na Espanha e inspirados na natureza, eles proporcionam o máximo de conforto e ao mesmo tempo, resistência. A inspiração para o calçado de material elástico surgiu dos indígenas, que pintavam as solas de seus pés com látex para facilitar o caminhar nas florestas em dias de chuva. A fina camada da substância vegetal degrada naturalmente e volta ao ambiente depois de decomposta.

    As vantagens do uso do produto são várias. Devido à escolha do componente, os modelos são ergonômicos, se adaptam à forma exata dos pés, são extremamente leves e compactos, podendo ser transportados para qualquer lugar facilmente. As solas são antiderrapantes e proporcionam alta resistência. Além disso, os biocalçados tem apenas 1 mm de espessura em seu corpo e 2 mm na sola, proporcionando ao usuário a sensação de andar descalço. O design ultrafino permite uma ventilação adequada pra os pés.

    Eles também são criados a partir do processo carbono compensado, ajudando na redução de emissão de gás carbônico. O maquinário especial e os métodos de produção contribuem para a redução de energia consumida e por conseqüência, para um menor impacto ao ambiente.

    Lean manufacturing: Senai inicia consultoria na Electroman do Paraná

    A Electroman Indústria e Comércio, unidade de Londrina, no Paraná, está recebendo consultoria para a implantação de técnicas de lean manufacturing (fabricação enxuta). O projeto é desenvolvido em parceria pelo Senai local e o Senai de Itajaí, de Santa Catarina. O consultor empresarial e docente do Senai de Londrina, Mário Abraham, acompanha o processo – que terá seis meses de duração.

    A Electroman pertence ao Grupo Empresarial Propart, composto pelas empresas Electroman e NovaKoasin. A empresa atua na manufatura de produtos eletroeletrônicos e eletromecânicos e na montagem de placas de circuito impresso (PCI’s), que utilizam as tecnologias SMT e PTH.

    Casa Aberta: Senai reúne mais de mil jovens e professores de Parnaíba

    A segunda edição do programa Casa Aberta realizado no Senai de Parnaíba, no Piauí, reuniu no início desta semana (21 e 22/11) mais de mil alunos de diversas instituições de ensino da região, além de professores, colaboradores e diretores do Sistema Fiepi.

    Os visitantes conheceram os espaços educacionais da organização, entre oficinas e laboratórios de setores como mecânica, alimentos, têxtil, eletricidade, metrologia e automotiva. Também tiveram acesso a cursos, palestras e oficinas. O Casa Aberta é desenvolvido em todo o país para mostrar à sociedade, principalmente estudantes e empresários, as propostas de educação profissional e tecnológica e de serviços técnicos e tecnológicos.

    No CIC, os alemães conheceram o projeto do Núcleo de Soluções Sustentáveis, que será construído em 2012 – Foto Rogério Theodorovy
    Os jovens alunos conheceram o universo de diversas profissões, o que pode ajudá-los a decidir com mais segurança qual carreira seguir no futuro – Foto Senai-PI


    Breno de Souza Pinho, estudante do nono ano da Unidade Escolar Cândido Oliveira, a experiência foi proveitosa. “Este projeto mostra que a formação profissional é muito importante. O Senai está de parabéns por proporcionar iniciativas como estas.” De acordo com o presidente do Sistema Fiepi e vice-governador do Piauí, Zé Filho, o Casa Aberta destaca “a nossa preocupação em promover a qualificação profissional e todos os caminhos que o Senai oferece.”

    Inclusão profissional: Sistema Fiea forma primeira turma de colaboradores na língua de sinais

    A primeira turma (foto) de 15 colaboradores do Senai e do Sesi de Alagoas receberam certificados de conclusão do curso de Língua Brasileira de Sinais (Libras). O instrutor Ítalo Mafra ministrou as aulas no período de agosto a novembro. O programa é mais uma iniciativa do Sistema Fiea para melhor receber pessoas com deficiência em seu time de funcionários. A área de recursos humanos do sistema iniciou neste ano uma ação de inclusão.

    Trinta e cinco candidatos estão participando do curso Auxiliar Administrativo no Senai, na modalidade aprendizagem. Ao final, os alunos vão estagiar em unidades do Sesi e do Senai alagoanos. A segunda turma do programa, com 20 alunos, já estão estudando. Serão abertas outras turmas em 2012.


    Foto Senai-AL

    quarta-feira, 23 de novembro de 2011

    Educação articulada: Programa Ebep abre inscrições em Alagoas para o ensino médio e técnico gratuitos

    Alunos já matriculados receberam
    cartão de alimentação – Foto Senai-AL

    Fazer o ensino médio no Sesi e paralelamente a educação profissional técnica no Senai. Esta oportunidade está sendo oferecida gratuitamente em todo o país. Em Maceió, a unidade que promove o programa de articulação das duas modalidades de ensino (Ebep) está com as inscrições abertas para a seleção de jovens de 14 a 16 anos. Ela pode ser feita no www.master-al.com.br até 9 de dezembro.

    A escola integrada Sesi/Senai que promove o Ebep possui 448 alunos matriculados. Em 2012, serão mais 130 vagas, em cursos nas áreas de segurança no trabalho, logística, rede de computadores e administração. Nos três anos de estudos, os jovens contarão com o benefício do cartão eletrônico tíquete-restaurante, também gratuito, já entregue aos alunos matriculados.

    "Sentíamos a dificuldade dos pais em arcar com as despesas do almoço de seus filhos quando eles ficavam os dois horários na escola e ainda precisávamos melhorar a qualidade da alimentação dos estudantes com uma refeição equilibrada. Decidimos, então, oferecer aos alunos do Ebep o tíquete-restaurante, que é aceito em diversos estabelecimentos", explica a assessora de educação do Senai-AL, Nívia Andrade. O valor é de R$ 8,50 por refeição.

    Educação a distância: Senai-RJ abre 1.620 vagas para quem não pode pagar os estudos

    O Senai do Rio de Janeiro abriu o prazo para inscrições em cursos gratuitos de qualificação profissional a distância para aqueles que não têm condições de pagar pelos estudos. São 1.620 vagas nos cursos Assistente de Logística, profissional que dá suporte na recepção, armazenagem e expedição de materiais; Operador de Telemarketing, que prepara pessoal para o teleatendimento em relação a produtos e serviços; e Operador de Suporte Técnico em TI (helpdesk), que qualifica para o suporte a usuários de microcomputadores. Os interessados devem ter idade mínima de 17 anos e estar cursando ou ter concluído o segundo ano do ensino médio. As inscrições vão até 19 de dezembro, pelowww.firjan.org.br/educamais

    Durante a inscrição, o candidato fará o agendamento de prova objetiva on-line, que deverá ser realizada até 21 de dezembro. As questões envolverão português, matemática e raciocínio lógico. A relação dos aprovados será divulgada em 27 de dezembro, e as aulas começarão em 4 de fevereiro, com 160 horas de duração para cada curso, sendo 32 presenciais (oito aulas), que ocorrerão no Senai de Jacarepaguá, de Macaé, do Maracanã e de Niterói.

    Mais informações: 0800 0231231, ou www.firjan.org.br/educamais.

    Soluções sustentáveis: Empresários alemães prospectam novas parcerias com o Senai-PR

    O nível da qualidade da formação profissional ministrada pelo Senai do Paraná facilita parcerias internacionais. Essa é a opinião do diretor da VDMA, Ulrich Hermani, associação dos fabricantes de máquinas e equipamentos do Estado de Baden-Württemberg, da Alemanha, que esteve no Senai da Cidade Industrial de Curitiba (CIC). O Senai-PR e Baden-Württemberg têm parceria já há 20 anos nas áreas de madeira e mobiliário, meio ambiente e energia.

    Outros 15 empresários e representantes do governo daquele Estado visitaram o Senai para conhecer oportunidades de novas parcerias. “Vejo muitas possibilidades, principalmente nas áreas metalmecânica, robótica, tecnologias inovadoras e tecnologias de eficiência energética”, afirmou Hermani, ressaltando a importância do trabalho conjunto. “As máquinas precisam ser adaptadas à realidade de cada país. Uma máquina usada na Alemanha não é a mesma que é utilizada no Brasil. 
    É através de parceiros, como o Senai, que entramos em contato com a realidade e necessidades de cada localidade”.

    No CIC, os alemães conheceram o projeto do Núcleo de Soluções Sustentáveis, que será construído em 2012 – Foto Rogério Theodorovy
    No CIC, os alemães conheceram o projeto do Núcleo de Soluções Sustentáveis, que será construído em 2012 – Foto Rogério Theodorovy

    O grupo de visitou o Senai CIC faz parte da comitiva de Baden-Württemberg que esteve no Brasil para diversos encontros econômicos com empresários. No Paraná, os alemães conheceram o projeto do Núcleo Senai de Soluções Sustentáveis para a Indústria, que será construído a partir de janeiro de 2012, na unidade do Senai CIC. O núcleo funcionará como um escritório sustentável e contará com uma série de tecnologias limpas, como telhado verde com horta orgânica, reaproveitamento de água das chuvas, iluminação LED, energia fotovoltaica, compostura de resíduos orgânicos, aquecimento de água por painéis solares e isolamento térmico e acústico.

    Este empreendimento chamou a atenção dos empresários e despertou possibilidade de parceria. “Nossa ideia é construir um gerador eólico com dimensões menores e que atenda às necessidades do Senai”, afirmou Gerhard Aldinger, diretor de projetos da Uhl Windkraft Projektierung, empresa alemã que trabalha com energia eólica. Segundo Aldinger, na Alemanha há uma lei que garante a compra de energia, por 20 anos, de projetos que invistam em energia limpa.

    “Estive outras vezes aqui e sempre vejo novidades. Ficou claro em nossa visita que a cooperação entre a Alemanha e o Senai vai continuar nos próximos anos e vemos grande possibilidade de expandir a parceria para outras áreas”, disse Ewald Stirner, da divisão de Economia Internacional de Relações com a América Latina, do Ministério de Finanças e Economia de Baden-Württemberg.

    O grupo visitou também as instalações dos laboratórios de meio ambiente e de eficiência energética do Senai CIC, e teve contato com alguns projetos inovadores desenvolvidos por indústrias paranaenses em parceria com o Senai, na área da sustentabilidade. Entre eles, a madeira plástica, da Madeplast, de Curitiba, cujo produto é resultante de uma liga de resíduos industriais de plástico e de resíduos de madeira, que se destina a construção civil de alto padrão e arquitetura de estilo, contribuindo para a redução do passivo ambiental.

    Conheceram ainda os estofados desenvolvidos pela empresa Molufan em parceria com o Senai de Arapongas. O diferencial do produto é a ausência de grampos que fazem ligação entre as madeiras que dão a estrutura do estofado. A tecnologia de encaixe de madeiras substitui o método convencional, o que aumenta a resistência do estofado. Outro projeto inovador apresentado foi a linha de móveis Design Seguro, da Movelaria Paranista, desenvolvido junto com o Núcleo de Design do Senai-PR. Os móveis contribuem para a redução de furtos e a ampliação da segurança nos espaços de hotéis, de gastronomia e eventos.

    Formação de tecnólogos: Senai-SP abre quatro novos cursos superiores de tecnologia

    Com um modelo inédito de financiamento, o Senai de São Paulo lança mais quatro cursos superiores de tecnologia no atual processo seletivo, cujas inscrições ser encerrarão na sexta (25/11). Com três novas habilitações na capital – Mecânica de Precisão, na unidade de Santo Amaro, Sistemas Automotivos, no Ipiranga, e Manutenção Industrial, no Brás – e da faculdade de Fabricação Mecânica, em Sorocaba, a organização passa a somar 13 títulos diferentes.

    Os candidatos aprovados podem se beneficiar do financiamento estudantil, aberto a alunos com renda familiar per capita de até três salários mínimos. Os estudantes apenas se comprometem a pagar, após seis meses de formados, o equivalente à mensalidade em vigor. “Nosso objetivo é criar condições para que os jovens já encaminhados profissionalmente possam subsidiar novas turmas”, explica o do Sistema Fiesp, Paulo Skaf.

    O estudante também pode solicitar bolsa de estudo por índice econômico familiar, monitoria ou iniciação científica, que permitem descontos de até 38% nas mensalidades. As inscrições podem pelo www.sp.senai.br/faculdades, ou na unidade onde será oferecido o curso pretendido.

    Clique aqui para saber mais sobre os cursos de tecnologia em São Paulo.

    Pré-sal: Investimentos de US$ 55 bi abrem oportunidades para Santa Catarina

    Os US$ 55 bilhões que a Petrobras investirá no pré-sal até 2015 abrem a oportunidade para a indústria catarinense ser fornecedora dos 350 mil itens que a cadeia petrolífera demandará. O diretor financeiro e de relações com investidores da Petrobras, Almir Guilherme Barbassa, afirmou em seminário na sede do Sistema Fiesc, em Florianópolis, que estão em fase de construção 19 plataformas que terão de 60% a 70% de conteúdo nacional. Até 2020 serão mais 35 plataformas que equipadas custam entre US$ 5 e 6 bilhões cada uma. O encontro foi promovido nesta segunda-feira (21) pelo jornal Notícias do Dia em conjunto com o Sistema Fiesc.

    Barbassa, que ministrou o primeiro painel do evento, disse que a estatal está solicitando a todos os fornecedores que incluam nos bens e serviços uma quantidade de produto nacional. Também está em desenvolvimento programas para facilitar o crédito e permitir que quem esteja fornecendo até o quarto elo da cadeia possa ter acesso com custo menor.

    "Temos no pré-sal a grande alavanca. É uma demanda que estará presente por até 30 anos. O empresário quando faz investimento não é para curto prazo", salientou ele, destacando que a demanda é consistente, de longo prazo e com escala. "Estamos falando de um programa real".

    O presidente do Sistema Fiesc, Glauco José Côrte, afirmou no encontro que Santa Catarina tem uma indústria atualizada, diversificada e preparada para atender essa demanda. Ele lembrou que dentro dos 350 mil itens estão produtos que vão do setor de alimentos até o metalmecânico. "Temos uma cadeia de oportunidades. Vamos fazer um grande esforço para estar presente nessa fase admirável de investimentos no país." Côrte chamou a atenção para os 200 mil novos empregos que a Petrobras vai criar até 2015 e ressaltou que o Senai e o Sesi catarinenses vão investir na formação da força de trabalho. "Estamos nos preparando para qualificar o jovem catarinense", disse.
    Reportagem de Dâmi Cristina Radin/Sistema Fiesc