quarta-feira, 5 de outubro de 2011

WorldSkills Londres 2011: Brasil quer manter performance das duas últimas edições do torneio de educação profissional e tecnológica

Começaram nesta quarta (5/10), no centro de convenções e exposições Excel, em Londres, as provas do 41º WorldSkills, o maior torneio de educação profissional e tecnológica do mundo, que reúne 944 alunos de cursos técnicos e de aprendizagem profissional de 51 países, entre eles o Brasil. Nas provas, os competidores, todos jovens com menos de 23 anos de idade, precisam executar tarefas do dia a dia nas diversas áreas profissionais dentro de rigorosos padrões internacionais de qualidade. Vencem aqueles que conseguem apresentar as melhores soluções dentro de prazos compatíveis com o desafio apresentado.

Guilherme Vieira, competidor na ocupação de design
gráfico – Foto Ronaldo Batalini
Neste ano, a avaliação inclui 46 ocupações. O Brasil, com 23 alunos do Senai e cinco do Senac, compete em 25 delas: aplicação de revestimento cerâmico; confeitaria; construção de moldes; desenho mecânico em CAD; design gráfico; eletricidade industrial; eletricidade predial; eletrônica industrial; fresagem CNC; instalação e manutenção de redes; joalheria; marcenaria; mecânica de refrigeração; mecatrônica; polimecânica; robótica móvel; sistema de transporte da informação; soldagem; tecnologia da informação; tornearia CNC; webdesign; cabeleireiro; técnico em enfermagem; serviço de restaurante e cozinha. Os representantes brasileiros são de Minas Gerais, São Paulo, Distrito Federal, Paraná, Alagoas, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e Bahia.

Na cerimônia de abertura da competição, na noite de terça (4/10), no centro de eventos O2, os ingleses, anfitriões do 41º WorldSkills, apresentaram a uma platéia de cerca de 5 mil pessoas um show multicultural que mostrou as características dos quatro países integrantes do Reino Unido - Escócia, País de Gales, Irlanda e Inglaterra. O vice-primeiro ministro da Inglaterra, Nick Clegg, deu as boas vindas aos competidores.

Em seu discurso, o presidente do 41º WorldSkills, Chris Humphires, disse que a educação profissional transforma a vida dos jovens e é decisiva para o bom desempenho da economia dos países. Segundo ele, os competidores que estão em Londres para mostrar suas habilidades técnicas e pessoais já são vencedores, porque estão entre os melhores profissionais em seus ofícios. Os campeões do WorldSkills serão conhecidos na noite do domingo (9/10).

“Nossa expectativa é ficar entre os cinco primeiros colocados. De preferência, queremos chegar ao pódio”, disse o diretor de Educação e Tecnologia do Sistema Indústria, Rafael Lucchesi, que também é diretor-geral do Senai. Em 2007, quando o WorldSkills foi realizado no Japão, a equipe brasileira ficou em segundo lugar, atrás da Coreia do Sul. Em 2009, no Canadá, o Brasil obteve o terceiro lugar, atrás de Coreia do Sul e Irlanda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário