segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Torneio Mundial de Profissões: Brasil quer promover o WorldSkills de 2017


O Brasil poderá, em 2017, ser a sede do WorldSkills Competition, maior competição e mais importante de educação profissional e tecnológica do mundo. A pré-candidatura do país foi anunciada neste domingo (9/10), em Londres, pelo presidente do Sistema Indústria, Robson Braga de Andrade, que também está à frente do Conselho Nacional do Senai. Segundo ele, a ideia é fazer o evento no Rio de Janeiro. “Temos instalações e disposição para ser a sede da competição internacional que avalia a educação profissional no mundo”, disse Andrade, antes da cerimônia de encerramento do 41º WorldSkills.

A carta na qual o Senai comunica a intenção de sediar o torneio em 2017 foi entregue por Andrade ao presidente do WorldSkills International, o australiano Tjerk Dusseldorp. O encontro entre os empresários brasileiros e os dirigentes do WorldSkills International, a instituição que reúne organizações de educação profissional de todo o mundo e organiza a competição, ocorreu  no sábado (8/10), durante as provas finais do torneio.

Conforme o chefe da delegação brasileira no WorldSkills 2011,  José Luís Gonçalves Leitão, no próximo ano, o Senai oficializará a candidatura do Brasil. A eleição da cidade-sede do torneio em 2017 será feita em julho de 2013, em Leipzig, na Alemanha, em 2013, durante o próximo 42º WorldSkills. Em 2015, o torneio ocorrerá em Madri, na Espanha.

“O Brasil tem vários pontos fortes que pesam na decisão dos organizadores do torneio”, contou Leitão. O primeiro, afirmou ele, é que o país nunca foi sede da competição e há uma tendência entre os dirigentes de diversificar os locais do torneio. Além disso, o Brasil tem se destacado no cenário econômico internacional, e o Senai é referência mundial em formação profissional.

Neste ano, o WorldSkills foi realizado de 5 a 8 de outubro, no centro de convenções e exposições ExCel, em Londres. O torneio reuniu 944 estudantes de cursos técnicos e de aprendizagem profissional de 51 países, que competiram em 46 ocupações. O Brasil participou da disputa com 28 estudantes, dois quais 23 são alunos do Senai e cinco do Senac. Os brasileiros competiram em 25 ocupações profissionais. As provas simulam desafios do dia do trabalho nas diversas profissões. Mais de 200 mil pessoas visitaram o evento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário