terça-feira, 11 de outubro de 2011

Brasil no WorldSkills Londres 2011: Destaques da equipe vice-campeã do torneio internacional

Dupla gaúcha é ouro em mecatrônica e destaque brasileiro

O Brasil foi o segundo colocado no 41º WorldSkills Competition 2011, maior torneio de educação profissional e tecnológica do mundo, que acaba de ser promovido (5 a 8/10)0 em Londres. À frente do Japão, da Suíça, de Singapura e outros países desenvolvidos e atrás apenas da Coreia do Sul, a equipe brasileira conquistou seis medalhas de ouro, três de prata, duas de bronze e dez certificados de excelência.

Destaque da equipe a dupla gaúcha Christian Alessi e Maicon Pasin (foto), do Centro Tecnológico de Mecatrônica, do Senai, em Caxias do Sul, ganhou o ouro em mecatrônica e a distinção Albert Vidal da organização da competição como a melhor pontuação dentro da delegação brasileira. O resultado foi anunciado neste domingo (9/10), em Londres.


Essa é a segunda vez que o Brasil fica em segundo lugar no WorldSkills Competition. A primeira foi 2007, no Japão. Em Londres, 28 estudantes representaram o Brasil em 25 ocupações; desses 23 são do Senai e cinco do Senac. O WorldSkills Londres 2011 reuniu 944 competidores, estudantes de cursos técnicos e de aprendizagem de 51 países, de todos os continentes. O evento, que recebeu mais de 200 mil visitantes, terá nova edição em julho de 2013, em Liepzig, na Alemanha.

A equipe brasileira chega ao Brasil nesta terça (11/10), às 5h40, em Guarulhos, São Paulo.

Distrito Federal também tem um melhor mundo
Willian Grassioti, aluno do Senai de Taguatinga, Distrito Federal, é o melhor profissional do mundo em mecânica de refrigeração, pódio alcançado no 41º WorldSkills Competition, realizado na semana passada (5 a 8/10), em Londres. O resultado da maior competição de educação profissional e tecnológica do mundo - em que os participantes executam tarefas do dia a dia do trabalho – foi revelado no domingo (9/10), na capital inglesa.

Além de Willian, outro representante do Senai-DF brilhou na competição: Jecivaldo de Oliveira recebeu certificado de excelência na ocupação de aplicação de revestimento em cerâmica. “Passou um filme pela minha cabeça. Três anos treinando dia após dia, sem feriado, sem fim de semana. Muita dedicação e esforço. Valeu a pena”, disse Willian, depois de se recuperar da emoção do pódio. Segundo ele, que é filho de mecânico de refrigeração, matricular-se no Senai mudou completamente sua vida.

“Espero que muitos jovens encontrem esse tesouro, que é o Senai.”  O ouro conquistada por Willian é o segundo do Senai-DF na história do WorldSkills. Em 1999, André Luiz Freitas foi medalhista de ouro na ocupação de eletricidade Predial, no Canadá.
Clique aqui para saber mais sobre o Brasil no WorldSkills 2011.

São Paulo conquista ouro e prata no torneio internacional
Representantes do Senai de São Paulo conquistaram quatro medalhas no 41º WorldSkills Competition, ajudando decisivamente o Brasil a  conquistar a segunda colocação no maior torneio de educação profissional e tecnológica do mundo, cujos resultados foram divulgados no domingo (9/10), na capital inglesa. Guilherme Augusto Franco de Souza, estudante do Senai da Mooca, capital, ficou com o ouro em desenho mecânico em CAD. Os medalhas de prata são Guilherme de Souza Vieira, em design gráfico; Paolo Haji de Carvalho Bueno, em tecnologia da informação; e Rodrigo da Silva Panifer, em polimecânica.

O aproveitamento do Senai-SP foi considerado surpreendente: quatro de seus sete representantes subiram ao pódio. No geral, a delegação brasileira faturou seis medalhas de ouro, três de prata, duas de bronze e dez certificados de excelência, batendo grandes potencias educacionais como Japão, Suíça, Alemanha e Singapura. A pontuação brasileira só foi superada pela Coréia do Sul, primeira colocada na competição.

Ouro em eletrônica industrial é de aluno do Paraná
Gabriel D’Espíndula é medalha de ouro no 41º WorldSkills Competition, maior torneio de educação profissional e tecnológica do mundo, que acaba de ser disputado em Londres, por 944 jovens de 51 países, em 46 ocupações profissionais. O resultado anunciado na noite de domingo (9/10) apontou o aluno do Senai do Paraná como o melhor do mundo em eletrônica industrial. Gabriel desembarca nesta terça (11/10), às 12h15, no Aeroporto Afonso Pena, em Curitiba.

“O resultado (da equipe) é fruto da qualidade do ensino ofertado pelo Senai-PR e pelo Senai de todo o Brasil”, afirmou o presidente do Sistema Fiep, Edson Campagnolo, que esteve em Londres acompanhando as provas do WorldSkills Competition. “Nos próximos anos, vamos reforçar ainda mais nossos investimentos em educação profissional e fortalecer parcerias com os governos federal e estadual para responder plenamente às necessidades de qualificação de mão de obra que o Brasil precisa”, enfatizou Campagnolo.

Gabriel fez o curso de eletrônica industrial, na modalidade aprendizagem, no Senai CIC, em Curitiba. Em 2009, venceu a etapa estadual da Olimpíada do Conhecimento, torneio promovido pelo Senai. No ano seguinte, conquistou medalha de ouro na etapa nacional da Olimpíada do Conhecimento, no Rio de Janeiro. Depois de um duro processo de treinamento e seletivas, conquistou vaga como um dos 28 representantes brasileiros no WorldSkills Londres 2011.

Catarinenses brilham no torneio internacional
O estudante catarinense Natã Barbosa, do Senai de Joinville, conquistou o ouro na ocupação de webdesign do WorldSkills Londres 2011, torneio internacional de educação profissional e tecnológica encerrado neste domingo (9/10). Leandro Duarte Machado e André Luiz Peripolli, também de Joinville, classificaram-se como a quinta melhor dupla do mundo em robótica móvel. Por terem superado a marca de 500 pontos, os dois ganharam certificado de excelência.

O evento reuniu 944 competidores, de 51 países, em 46 ocupações. Os competidores foram desafiados a realizar atividades típicas de suas ocupações e foram avaliados pelo conhecimento, habilidades, atitudes, capacidade de planejamento e de aproveitamento de recursos e de tempo que apresentaram. Natã teve que desenvolver sites para internet, do desenho da página à programação, atendendo especificações pré-estabelecidas pela organização. André e Leandro tiveram que programar um robô móvel.

Para o presidente do Sistema Fiesc, Glauco José Côrte, que acompanhou o evento, as medalhas coroaram o esforço e a dedicação dos estudantes. "O WorldSkills reúne os melhores de cada país em cada ocupação e é uma competição dificílima". Alem de alunos do Senac, alunos do Senai formaram a equipe do Brasil, que conquistou seis de ouro, três de prata e duas de bronze e dez certificados de excelência. Dos 28 brasileiros, 21 receberam premiação. A delegação ficou com a segunda melhor média de pontuação por medalha, atrás apenas da Coréia do Sul.

Natã entra para a história da educação profissional de Santa Catarina como o primeiro catarinense 
a conquistar o ouro em um WorldSkills. Esta foi também a quarta edição consecutiva que estudantes do Senai-SC conquistam medalha na competição. O ciclo do torneio começa com a etapa escolar, seguida pela estadual e a nacional da Olimpíada do Conhecimento, competição promovida pelo Senai a cada dois anos pares. Os principais colocados da fase nacional disputam rigorosas seletivas, nas quais os que tiverem melhores desempenhos e alcançarem os índices mínimos exigido pela coordenação da equipe brasileira se classificam para o WorldSkills.

Em Santa Catarina um novo ciclo se inicia no final de outubro, coma etapa estadual, evento que ocorre durante o projeto Senai Casa Aberta, em várias cidades catarinenses. "O bom desempenho em Londres será uma motivação a mais para os competidores da fase estadual", salienta o diretor regional do Senai-SC, Sérgio Roberto Arruda. A etapa nacional da 7ª Olimpíada do Conhecimento será realizada pelo Senai em novembro de 2012, em São Paulo.

A excelência catarinense no WorldSkills:
  • Ouro em 2011, em Londres, webdesign, com Natã Barbosa, de Joinville
  • Bronze em 2009, no Canadá, webdesign, com André Luiz Martins Ramos, de Tubarão
  • Prata em 2007, no Japão, webdesign, com Carla De Bona, de Criciúma
  • Bronze, em 2005, na Finlândia, redes de computadores, com Paulo Alberto Violada, de Florianópolis.
Rio de Janeiro também garimpa o ouro em Londres
Rodrigo Ferreira Silva foi peça decisiva para que o Brasil conquistasse o segundo lugar no 41º WorldSkills Competition. Com apenas 20 anos, Rodrigo fez o curso de técnicas básicas de produção de jóias na Escola de Joalheria do Senai do Rio de Janeiro. Agora, orgulha-se de ser o melhor do mundo na ocupação de joalheria no principal torneio internacional de educação profissional e tecnológica, que acaba de ser realizado em Londres. Representado por alunos do Senai e do Senac, Brasil ficou à frente do Japão, Suíça, Singapura e outros países desenvolvidos e atrás apenas da Coreia do Sul. Os brasileiros ganharam seis medalhas de ouro, três de prata, duas de bronze e mais dez certificados de excelência.

Filho de um segurança de uma rede de joalherias, Rodrigo se interessou pela profissão durante visita ao setor de joias da empresa em que o pai trabalha. Iniciou seus estudos no Senai em outubro de 2008. Seu desempenho durante o curso foi reconhecido pelos instrutores e indicado para representar sua turma na etapa escolar da Olimpíada do Conhecimento, principal torneio de educação profissional das Américas realizado pelo Senai bianualmente e que credencia para a competição mundial. Nesta terça (11/10), Rodrigo e seus 27 companheiros de delegação chegam às 5h40, no aeroporto de Guarulhos, em são Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário