segunda-feira, 31 de outubro de 2011

2.907 vagas em cursos em São Paulo

São 32 cursos técnicos em 61 centros de educação profissional e tecnológica em 43 municípios paulista. É o que o Senai de São Paulo está oferecendo, sendo 1.252 na capital, 413 na Grande São Paulo e 1.242 no interior. As aulas começarão no primeiro semestre de 2012. Os programas técnicos do Senai, que habilitam profissionais em áreas industriais, têm duração de dois anos, incluindo estágio supervisionado obrigatório.

As inscrições podem ser feitas até 9 de novembro, pelo www.sp.senai.br/processoseletivo, ou nos centros de ensino que oferecem os cursos pretendidos. Aqueles interessados em estudar de manhã ou à tarde ou em horário integral deverão comprovar, até 15 dias antes do início das aulas, ingresso na segunda série do ensino médio.

Para os que pretendem cursar o período noturno, o pré-requisito é comprovar a conclusão do ensino médio ou estar matriculado em curso que lhe permita concluí-lo até a data do início das aulas. O candidato poderá se inscrever para o curso escolhido na primeira opção em mais de um turno, caso a escola onde pretenda estudar ofereça essa alternativa.

Os cursos do Senai-SP, assim como em outros estados e no Distrito Federal, estão sintonizados com as tendências do mercado, o que se reflete nos índices de absorção dos formandos. Segundo pesquisa feita com ex-alunos, após um ano da conclusão, 86% estavam empregados.

Curso de confeccionador de bolsas em Campina Grande

O Centro de Tecnologia do Couro e do Calçado, do Senai da Paraíba, em Campina Grande, está com as inscrições abertas para o curso Confeccionador de Bolsas, que será realizado de 16 de novembro à 27 de dezembro. Podem se inscrever interessados com idade mínima de 14 anos e que tenham concluído o ensino fundamental. As vagas são limitadas.
Mais informações: 83 3182-5500.

Cursos em Goiás

As unidades de educação profissional do Senai de Goiás estão com as inscrições abertas para diversos cursos nas modalidades de aprendizagem, habilitação técnica e graduação tecnológica.
Mais informações: 62 4002-6213, em Goiânia, e 0800 642-1313, para demais localidades, ou pelo www.senaigo.com.br

Inovação: Instrutora do Senai-MA ganha prêmio na China


Mais rápida e mais barata, a nova técnica de curtimento do couro do peixe criada por Jacirene França acaba de ser premiada na China, na 7ª Taipei Internacional Invention Show & Technomart 2011, evento de inovação. A utilização de um tanquinho de lavar no processo de curtimento, em substituição ao fulão – equipamento que faz o mesmo serviço, a um custo maior e com menos praticidade –, rendeu à instrutora do Senai do Maranhão a terceira posição na mostra chinesa, que reuniu países de todo o mundo. Bióloga e formada em artes plásticas e especialista em design de moda, Jacirene foi a única representante brasileira no evento.


A medalha chinesa é o primeiro prêmio internacional de Jacirene – Foto Senai-MA
A medalha chinesa é o primeiro prêmio internacional de Jacirene – Foto Senai-MA
“O projeto tem tudo a ver com a China, um país onde o peixe é muito consumido, porém do qual nada se aproveita”, explica Jacirene. A pesquisa chama a atenção pelo uso do couro do peixe na composição de ousados artigos da moda feminina, como roupas e acessórios (bolsas, sapatos, brincos), além de outras utilidades.

O prêmio internacional é prova de um trabalho minucioso de pesquisa que teve inicio em 2005, no laboratório de uma universidade e tomou corpo quando Jacirene começou a trabalhar para o Senai. “É um projeto que temos orgulho de apoiar. O reconhecimento ao trabalho da nossa colaboradora é obrigação da instituição e serve de exemplo aos demais, inclusive a  alunos do Sistema Fiema”, frisou o diretor regional do Senai-MA, João Alberto Schalcher.

A medalha chinesa é o primeiro prêmio internacional ganho pela instrutora, que aliando biologia e moda, já conquistou prêmios de relevância nacional em 2010, como o primeiro lugar na etapa nacional do Inova Senai. No 14º Salão do Inventor Brasileiro, em Vitória, Jacirene conquistou o primeiro lugar geral. Como parte da premiação passou automaticamente a compor o Comitê Internacional de Inovação e Tecnologia, pelo qual representou o Brasil na China.

A inovadora do Senai ainda representou o Maranhão em feiras e exposições no ano passado, como a 3ª Bienal Brasileira de Design, em Curitiba, e a São Luís Fashion Week, na qual apresentou uma coleção de roupas feitas com couro de peixe. A produção de projetos como o de Jacirene são incentivados pelo Senai-MA, que já se organiza para a realização da etapa estadual do próximo Inova Senai. Nesta edição, serão selecionados projetos de inovação desenvolvidos por docentes e alunos do Sistema S. O ganhador representará o Maranhão na etapa nacional, em novembro de 2012, em São Paulo.

Inovação: Empresa quer produzir produto inovador de docente do Senai-SC


A inovação do produto é tanta e os resultados são bons que uma empresa já tem interesse em fabricar a classificadora de frutas acoplável a tratores em escala industrial criada pelos instrutores Everton Farina e Mauro Heimfarth, do Senai de Luzerna, em Santa Catarina. A máquina venceu a categoria docente da etapa estadual do Inova Senai, realizado em Florianópolis com a participação de 14 novas propostas.

A medalha chinesa é o primeiro prêmio internacional de Jacirene – Foto Senai-MA
Marli: mira em novo nicho de mercado – Foto Ivonei Fazzioni
Outro projeto voltado para a área de alimentos conquistou o primeiro lugar na categoria aluno. Trata-se do iogurte de beterraba com limão, desenvolvido pelas estudantes Creciana Endres, Marli Viot Fabricio e Maryelen Souza e pela instrutora e Juliana Sávio, todas do Senai de Chapecó.

Os projetos vencedores se classificaram para a etapa nacional do Inova Senai, que ocorrerá em novembro de 2012, em São Paulo. A mostra é promovida em todo o país para valorizar e incentivar iniciativas inovadoras que contribuam com a indústria, a educação profissional e tecnológica e a sociedade.

A máquina criada por Everton e Mauro agrega valor e reduz desperdícios nas lavouras de frutas. A classificadora tem a vantagem de poder ser acoplada a tratores, diferentemente das máquinas importadas existentes no mercado. Depois de passar por uma rosca helicoidal, as frutas são separadas por tamanho e já caem em caixas próprias para o transporte sem danos. "No processo de transporte a granel, estima-se que um terço da produção seja perdida. Por isso, pensamos em algo para acondicionar as frutas logo após a colheita", explica Everton.

Ele também destaca que o equipamento ajuda aumentar a renda com as frutas vendidas pelos pequenos produtores, que podem vender os produtos já separados por destinação (maiores para exportação, menores para suco, por exemplo) e cobrar a mais por isso. Na mostra, a dupla apresentou um mock up (modelo analógico em escala reduzida) e desenhos em 3D do produto.

Criar um produto que fosse nutritivo e, ao mesmo tempo, agradasse o paladar foi o objetivo da equipe composta por Creciana, Marli, Maryelen e Juliana. Na forma de iogurte, elas imaginam que será mais fácil fazer com que as crianças comam legumes. "As empresas em geral vendem sabores de frutas, e não de legumes, que possuem alto valor nutricional. Esse é um nicho a ser explorado, pois alimentos saudáveis são cada vez mais valorizados", explica Marli, que frequenta o curso superior de tecnologia em alimentos do Senai de Chapecó.

Além do iogurte, outro representante de Chapecó ficou na segunda colocação do Inova Senai na categoria aluno: o queijo tipo Petit Suisse criado a partir de proteínas do soro do leite. Em terceiro, ficou o sistema de gestão de estoque compatível com dispositivos móveis, desenvolvidos pela equipe da unidade do município de Tijucas. Na categoria docente, a segunda e terceira colocações foram obtidas por projetos do Senai de Florianópolis: o Espectrofotômetro portátil para análises químicas e biológicas, e Eficiência na geração de energia com biogás em uma granja de suínos.

Inverno 2012: Publicação inspira produção do que estará nas vitrines daqui a um ano


Alunos de faculdades, artistas plásticos e empresários lotaram o auditório da Livraria Cultura, no Recife, para prestigiar a recém-apresentação do caderno Perfil Moda: Inspirações + tendências Inverno 2012. A docente de produção de moda do Senai de Paulista, Victoria Fernandez, apresentou as alternativas do que será usada nas ruas no inverno do próximo ano.

A medalha chinesa é o primeiro prêmio internacional de Jacirene – Foto Senai-MA

Baseado em pesquisas realizadas por especialistas que fazem parte do programa SENAI + Design, o caderno mostra quatro macrotendências – neosurrealismo, vício do exagero, curadoria digital e santuário primitivo –, além das perspectivas de cores, texturas, inspirações e contrastes de materiais que serão presença marcante na estação do frio.

Para quem já quer ir preparando o guarda-roupa, Victoria dá dicas. “As cores serão bem diversificadas nessa estação. Aposte nos azuis, laranjas, rosa suave e no vermelho crepuscular. Dourados e muito brilho serão recorrentes nos looks. Rendas, plissados, golas e sobreposições, isso garantirá um visual mais chique, pedido no inverno. A mistura entre lúdico e surreal, conectividade e tecnologia, exageros, sobriedade e singelo, tudo fará parte da moda customizada e pessoal, proposta para esse inverno."

Trabalho infantil: Cuiabá quer banir prática e qualificar os jovens


O Senai de Mato Grosso é um do desenvolvedores do programa Me encontrei, que foi apresentado neste mês de outubro, durante a I Conferência Estadual do Trabalho Decente. As ações terão as parcerias da Prefeitura de Cuiabá, do Sistema Fiemt e da OIT, entre outras organizações. A proposta é acabar com o trabalho infantil e, ao mesmo tempo, capacitar jovens de 15 a 18 anos para o mercado de trabalho.

Para a secretária municipal de Assistência Social e Desenvolvimento Humano, Regina Kaizer, o programa vem ao encontro das necessidades atuais. “É preciso que os pais tenham mais responsabilidade sobre seus filhos, e não os explorem colocando-os para trabalhar ainda na infância." 

A secretaria seleciona adolescentes, que ganharão salário de aprendiz, e jovens que estão em algum tipo de trabalho infantil. O estudante Paulo Ricardo, de 15 anos, está muito feliz por participar do projeto. “Com o programa não vou ficar mais nas ruas e agora posso ter um futuro melhor." Adriana Silva, também com 15, elogiou o projeto. “Vou ganhar muito em aprendizado, e assim, conseguir um bom emprego."

De acordo com o coordenador do Componente Nacional da OIT, Antônio Carlos de Mello, o programa é uma oportunidade de inserção produtiva de jovens em buscar atividades que vão ampliar seu conhecimento, conseguindo um bom emprego e deixando a vulnerabilidade social. A representante da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria Ivanete Barbosa, disse que é preciso criar políticas públicas para erradicar o trabalho infantil. “O capital e o trabalho incentivam a criação do trabalho infantil, para resolver esta questão devemos elaborar políticas públicas a exemplo de programas sociais com o Me encontrei”.

Qualidade de vida e produção: Brasil precisa construir estratégia de sustentabilidade, diz Washington Novaes


O jornalista Washington Novaes (foto), um dos mais severos críticos e defensor do meio ambiente, pregou mudanças radicais nas formas de produção e no estilo de vida das pessoas para evitar uma catástrofe ambiental. Ele participou da abertura do Workshop Internacional Senai de Sustentabilidade Ambiental e Têxtil, promovido pelo Senai de Santa Catarina e o Sistema Fiesc no Hotel Himmelblau, em Blumenau.

O evento contou ainda com palestrantes da Alemanha, Espanha, Portugal. O Workshop de Sustentabilidade Ambiental e Têxtil é o segundo que o Senai-SC promove para discutir temas relacionados à indústria catarinense. Em setembro, em Joinville, ocorreu o primeiro evento, para o setor metalmecânico. Na segunda quinzena de novembro, outro workshop abordará em Chapecó aspectos relacionados ao setor de alimentos.

Na opinião de Novaes, as mudanças devem abranger a matriz energética, os sistemas de transporte, os padrões de construção e o uso de recursos, como água e minerais. "Em matéria de meio ambiente, a humanidade age como a família que gasta mais do que recebe", comparou o jornalista. O modo de vida do homem moderno, segundo ele, "é incompatível com a disponibilidade de recursos, mesmo com 800 milhões de pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza". Novaes destacou que, para evitar que a temperatura média do planeta suba 2 graus Celsius, o mundo deveria reduzir a quantidade de emissões de carbono em 66%, "mas elas continuam crescendo".

O crítico entende que a matriz energética precisa ser modificada, ampliando a participação da energia renovável e, que neste aspecto, o Brasil tem grande potencial: dimensões continentais e possibilidade de produção de energia hídrica, solar e eólica. Outra mudança recomendada está no sistema de transporte, com ampliação e recuperação das ferrovias, cujos benefícios são ambientais e econômicos. Os padrões de construção devem ser modificados para a ampliação do aproveitamento de água da chuva e da iluminação natural.

"Um shopping center gasta energia com lâmpadas, que aquecem o ambiente, e depois consome mais energia para o ar condicionado compensar o calor produzido pela iluminação". Outra constatação: a retenção da água da chuva pelas residências, mesmo que não fosse aproveitada, reduziria o impacto das chuvas, pois os solos urbanos estão impermeados. Os padrões de construção também devem ser alterados para reduzir a quantidade de entulhos, analisa Novaes, que pede ainda investimentos em pesquisas sobre biologia e clima.

Quarto maior emissor de carbono do planeta e 11º em número de vítimas de tragédias ambientais, o Brasil tem seu dever de casa, na opinião de Washington Novaes. O jornalista defende que o país deva mudar sua posição de não acatar protocolos obrigatórios, pois hoje aceita apenas as recomendações.

"O Brasil é um dos países que mais sofrem com as mudanças climáticas, já tivemos um furação, além disso, deslizamentos, enchentes e secas se agravam". Ele observa que a própria pauta de exportações, baseada em commodities, é muito sensível aos problemas ambientais. "Temos que construir uma estratégia que leve em conta padrões de sustentabilidade."
Foto Divulgação

Inovação: Projeto de estudantes do Senai-MS vai participar de feira no Maranhão


Projetado por alunas do Cetec Campo Grande, do Senai de Mato Grosso do Sul, o colete net vest é um dos três projetos inovadores escolhidos para representar o estado na 6ª Fecitec – Feira de Ciências e Tecnologia do Sul do Maranhão, que será realizada na cidade de Imperatriz, em agosto do próximo ano. A participação na feira maranhense foi conquistada no encerramento da Fetec-MS – Feira de Tecnologias, Engenharias e Ciências de Mato Grosso do Sul, promovida pela Universidade Federal do estado, em Campo Grande. O grande diferencial do colete é que ele também pode ser utilizado como rede.

A coordenadora de tecnologia industrial do Senai-MS, Adriane Salazar, lembra que o projeto conquistou o terceiro lugar na categoria multidisciplinar da Fetec-MS e o primeiro colocado da categoria inovadora da etapa estadual da Mostra de Inovação Industrial do Senai, realizada durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2011. “Por meio desse projeto inovador, nossas alunas têm a possibilidade de projeção nacional. Essa participação será importante dentro do processo educacional."

A medalha chinesa é o primeiro prêmio internacional de Jacirene – Foto Senai-MA
O colete também poder ser usado como rede e para carregar equipamentos de práticas esportiva. Foto Senai-MS
Jacira Vasconcelos de Oliveira, uma das autoras do colete net vest, explica que foram vários meses de trabalho. "Estamos felizes que a ideia surgida durante uma aula de design tenha repercutido tanto. Acredito que a multifuncionalidade do colete agradou a todos.” A peça poder ser usada como rede e também para carregar equipamentos de práticas esportivas. “Agora, estamos com novas ideias para aprimorar o uso do colete”, adianta Jacira.

O Senai ainda conquistou na Fetec o terceiro lugar na categoria engenharia, com o gerador elétrico secador de grãos de circuito fechado, desenvolvido pelos alunos Thalis Cristiano Corrêa de Souza, Fábio Xavier Salina de Oliveira e Snayder Roberto Rodrigues, do CetecSenai Naviraí. “Há um ano estamos pesquisando e já conquistamos um grande espaço. É uma satisfação o reconhecimento do nosso trabalho”, afirmou Thalis. Segundo o coordenador da Fetec, Ivo Leite, a feira é um marco para estabelecer padrões de ensino e de qualidade. “Temos que despertar nos professores a iniciativa de criar um programa permanente de iniciação científica para que os alunos continuem se integrando com o que está acontecendo."

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Qualificação profissional: Má qualidade da educação básica impede expansão da indústria, dizem empresários


As deficiências na educação básica, especialmente em matemática e português, têm influído na qualificação de profissionais e, em conseqüência, na ampliação e modernização de projetos industriais. A conclusão é de empresários em debate nesta quinta (27/10), sobre a educação, no último dia do  6º Encontro Nacional da Indústria (Enai), promovido pela CNI no Transamérica Expo Center, em São Paulo.


O diretor Global de Recursos Humanos da Vale, Luciano Pires, um dos participantes do debate, revelou que, recentemente, a segunda maior mineradora do mundo abriu 600 vagas para aprendizes no Pará e conseguiu selecionar apenas 200 candidatos. “Existe muito o que fazer na base da pirâmide da educação, sobretudo em matemática e português”. Para o diretor de Educação e Tecnologia do Sistema Indústria, Rafael Lucchesi (foto), a matriz da educação básica tem de ser mudada porque a indústria apresenta novos desafios que exigem capacidade de inovação.

“O Brasil não prepara a juventude para o trabalho, para a inserção competitiva. Temos problemas também na escolaridade e isso prejudica a entrada de alunos na educação profissional, porque falta conteúdo básico”, diagnosticou Lucchesi, que também é diretor-geral do Senai Nacional.
Segundo Lucchesi, o país tem 6 milhões de estudantes universitários e 9 milhões no ensino  médio, dos quais apenas 1 milhão está no ensino profissionalizante. “No Brasil o jovem tem em média 12 anos de frequência à escola, sem uma hora sequer de educação profissional, e só 10% dessa juventude vai para universidade. Não há preparação dos outros 90%."

Ele citou como uma das alternativas para alinhar a educação do ensino médio com a educação profissional a execução do Pronatec, cuja lei acaba de ser sancionada pela presidenta Dilma Rousseff, e do qual o Senai e o Sesi são parceiros. “No outro período escolar o estudante do segundo e terceiro ano do ensino médio terá educação profissional, um link para inserção no trabalho."

Lucchesi confirmou que o Senai vai investir até 2014 R$ 1,5 bilhão na construção de cem novos centros de educação profissional e tecnológica, cem novas unidades de ensino móveis, 22 institutos de inovação e 40 institutos de tecnologia, tudo para ampliar a capacitação de profissionais e atender à demanda do Pronatec.   

Foto José Paulo Lacerda

7ª Olimpíada do Conhecimento: Catarinenses definem equipe para a final da competição


A edição 2011 dos eventos Senai Casa Aberta, etapa estadual da 7ª Olimpíada do Conhecimento e Inova SENAI está sendo realizada até esta sexta (24 a 28/10). As atividades começaram com uma videoconferência que reuniu cerca de 200 alunos e preparadores do Senai de Santa Catarina de 13 cidades. Os eventos acontecem em todas as unidades do Senai-SC, com expectativa de reunir 100 mil visitantes.

O diretor regional do Senai-SC, Sérgio Roberto Arruda, destaca os resultados catarinenses nas três últimas edições do WorldSkills, principal competição mundial de educação profissional e tecnológica. Foram três medalhas, sendo a última - de ouro - conquistada esse mês, em Londres. "Tivemos a participação de três catarinenses no WorldSkills 2011. Nosso desafio agora é dobrar esse número. E os representantes catarinenses serão escolhidos entre os alunos que serão selecionados para a fase nacional da competição promovida pelo Senai."

Arruda ressalta que os três eventos estão relacionados aos esforços do Sistema Fiesc para aumentar a competitividade da indústria catarinense, uma vez que eles incentivam os estudantes a desenvolver competências profissionais e a cultura da inovação. Os eventos também ajudam os jovens a despertar o interesse pela formação e carreiras na área industrial.

A etapa catarinense do Inova Senai reúne alunos e docentes do Senai de Caçador Chapecó, Luzerna, Canoinhas, São José, Tubarão, Florianópolis, Balneário Camboriú, Blumenau e Tijucas. Estão sendo apresentando em Florianópolis 14 projetos que podem contribuir para melhorias na indústria, na educação profissional e tecnológica e na sociedade. Como a proposta é de inovar, a estudante Marli Fabrício, de Chapecó, propõe um novo produto: um iogurte de beterraba com limão. Em sua opinião, mostras como essa são "oportunidade do aluno, junto com os docentes, de mostrar que é possível fazer produtos novos e diferenciados, que ainda não são explorados".

Fabrício Darossi Júnior, estudante de Tijucas, que bolou um novo sistema de gestão de estoques, já percebeu que o mercado de trabalho valoriza a inovação dos profissionais. "No mercado, as coisas vão caindo em desuso. Por isso, empresas e seus profissionais precisam estar sempre inovando e trazendo algo novo para seu público."


Inova Senai em Mato Grosso
Inovação pode ser definida pela criação de produto, processo ou serviço que resulte em um novo contexto ou novo sentido ao que já existe. E isso é um dos atributos do projeto "Cinto de segurança com acelerômetro e sensores para trabalho em espaço confinado", feito por alunos e docentes do Senai de Cuiabá e vencedor da etapa de Mato Grosso do Inova Senai. "Este é um trabalho de solução simples, mas de grande magnitude pelo resultado social que pode gerar", destaca o diretor regional do Senai-MT, Gilberto Figueiredo. A proposta do projeto é aumentar a segurança de trabalhadores que atuam em locais fechados, utilizando mecanismos eletrônicos que avisam quando a pessoa para de se movimentar para agilizar a prestação de socorro.

O projeto criado dentro da sala de aula dos cursos técnicos de Segurança do Trabalho e de Desenvolvimento de Sistemas, no Sena de Cuiabá, concorreu com outras 13 iniciativas. O evento foi realizado na semana passada (20 e 22/10), na capital, paralelo ao Senai Casa Aberta. De acordo com o coordenador da Unidade de Desenvolvimento Tecnológico do Senai-MT, Valdir Souza Júnior, o projeto vencedor não só surpreendeu a banca examinadora como atraiu atenção de representantes de indústrias de Cuiabá que visitaram a mostra dos projetos.

"Esta é a vitória de um aluno que criou muitas expectativas que foram supridas pelo Senai-MT. Estou muito feliz por integrar a equipe vencedora, não apenas pelo prêmio, mas por causa do reconhecimento a um projeto que olha a parte humana do operário", comemorou o aluno Abraão Nazário. Emocionada pelo resultado, a docente Ana Ferraz destacou o papel do  Inova Senai para promover o conhecimento e a pesquisa dentro de sala de aula. Ela também ressaltou a importância do projeto ter sido percebido pelo setor privado.

Em segundo lugar, ficou a Planta didática – elevador de canecas com sistema supervisório, do Senai de Rondonópolis. A equipe do Senai de Sinop conseguiu o terceiro lugar com o projeto Proteção para bomba de sucção, criado para atender a uma demanda do setor privado na região. Os integrantes das equipes vencedores assim premiados: primeiro lugar, Ipod 8GB; segundo; smartphone; terceiro, bicicleta. Os quarto, quinto e sexto colocados e o vencedor pelo voto popular levaram Micro System, que serão entregues nas escolas.

O Inova Senai é um concurso nacional, aberto a alunos, técnicos e docentes da organização. Durante a exposição dos projetos houve degustação e pesquisa de sabor do produto Fibras do Pantanal, projeto desenvolvido em parceria com a indústria Mix da Amazônia premiado na edição anterior do Inova Senai e que obteve o apoio financeiro e tecnológico do Edital Senai Sesi de Inovação.

Tecnologias na escola: Dois mil profissionais de educação são esperados no seminário Conecta

O Senai do Rio de Janeiro e o Sesi-RJ vão promover na próxima semana (3 e 4/11), das 9h às 18h, o primeiro Conecta – Tecnologias Educacionais, seminário que tratará das novas tecnologias utilizadas na educação. O Centro de Convenções Sul América, na região central da capital fluminense, deverá receber dois mil profissionais de educação de todo o Brasil, que participarão de oficinas, exposições e palestras.


Os principais palestrantes convidados são Erik Qualman, especialista em redes digitais/mídias digitais, e Anthony Williams, especialista em comportamento digital. O objetivo do Conecta é debater os potenciais e impactos das novas tecnologias no ensino e o papel do educador neste novo cenário.

A programação conta com conferência e mesa-redonda com a participação de todos os educadores, oficinas, palestras, com apresentação de experiências que deram certo, e exposição de tecnologias já desenvolvidas para a educação, que serão apresentados nos chamados espaços inovadores.

Entre as possibilidades de tecnologias educacionais, estarão simuladores virtuais de ensino e de realidade aumentada, biblioteca virtual, Web TV, games e lego education, que poderão ser experimentadas nas oficinas que acontecem simultaneamente.

Mais informações: 0800 0231 231, conecta@firjan.org.br, @evento_conecta e www.facebook.com/pages/Evento-Conecta/126948884071476.

Marcenaria: Designer brasileiro cria artesanalmente móveis de madeira


Rodrigo Calixto é um grande talento do design brasileiro. Ex-nadador do Botafogo, ele decidiu se dedicar a sua outra vocação: a marcenaria. Estudou desenho industrial na PUC-Rio e, na oficina da universidade, ele descobriu a paixão por criar belos objetos a partir da madeira. Há dez anos, o jovem abriu a Oficina Ethos, que funciona num sobrado de 1918, no centro do Rio de Janeiro.

O designer, que já morou em Rimini, na Itália, trabalha 10 horas por dia no ateliê, junto com quatro funcionários. A equipe produz artesanalmente cerca de 20 peças por mês e imprime o estilo Ethos em cada uma delas, utilizando diversos tipos de madeiras. Calixto desenvolve peças que nunca são exatamente iguais e aposta sempre no desenvolvimento de produtos diferenciados. "Faço peças para durar. Não concordo com o modelo de consumo atual. Acho que as pessoas perderam a afetividade com o consumismo excessivo", diz o artista em entrevista para o caderno Morar Bem, do jornal O Globo.




Calixto já participou de vários concursos no segmento. O banco Ágora, uma de suas criações, ganhou em 2004 o prêmio internacional do IX Salão de Design Movelsul. Já na Formóbile, que aconteceu no mesmo ano, foi a vez da mesa Tupã ser a vencedora. Além disso, Calixto já fez parcerias com artistas do mundo das artes plásticas, entre elas a mesa Ethos, com impressão digital tipo tatuagem, uma criação sua com Mateu Velasco.

Neste ano, ele criou o painel Xiloteca Brasilis – uma biblioteca com 50 cubos de madeiras diversas encaixados em uma estrutura de acrílico com o nome da espécie do material gravado. A arte é quase exclusiva: são sete unidades numeradas e assinadas. O designer ainda pretende completar o quadro quando chegarem novas madeiras.

Inverno 2012: Tendências de moda chegam às empresas do Ceará


O Senai do Ceará apresentou nesta quinta (27/10) o Caderno Perfil Moda – Inspirações + Tendências Inverno 2012, na cobertura da Casa da Indústria, sede do Sistema Fiec, em Fortaleza. A publicação é inspirada em pesquisas de macrotendências internacionais mescladas com informações locais acerca da cultura brasileira. O objetivo é colaborar com as empresas na identificação dos diversos perfis de consumidores de moda e apontar tendências para as próximas estações.

A publicação traz novidades e informação para o empresário, pois traduz as correntes de comportamento que irão orientar as ações futuras do setor. Além disso, estimula o uso de histórias e culturas regionais para o desenvolvimento de novos produtos. A publicação do caderno de tendências é fruto de estudos realizados pelo Programa Senai de Gestão de Design (PSGD), coordenado pelo Senai Nacional, que envolve profissionais da área em 15 estados.

O programa estimula o desenvolvimento de produtos diferenciados e competitivos para o mercado nacional. No Ceará, o PSGD é representado pela unidade da organização instalada na Parangaba. O Caderno é distribuição gratuita e dirigido a estilistas, designers e profissionais e indústrias do setor.

Novos estilistas: Desafio Passarela premia estudante do Cietep


A sexta edição da competição foi realizada na semana passada (17 a 21/10), coma participação de mais de 150 competidores na primeira etapa. Mariah Marra, aluna do quarto período do curso técnico de Estilismo do Senai Cietep, de Curitiba,foi a vencedora.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Pronatec: Dilma destaca trabalho do Senai ao sancionar lei que amplia acesso ao ensino tecnológico


A presidenta Dilma Rousseff destacou a excelência do Senai na capacitação profissional ao sancionar, nesta quarta (26/10), no Palácio do Planalto, a lei que cria o Pronatec. “Poucos países no mundo podem contar com a qualificação do Senai e Senac. Com o Pronatec, estamos dizendo: o Estado cumpre a sua parte e os setores produtivos, como a indústria, dão a sua importante contribuição”, declarou a presidenta da República.


Presidenta Dilma ao lado do vice-presidente Michel Temer e dos presidentes da Câmara dos Deputados, Marco Maio (esquerda), e do Senado, José Sarney – Foto Roberto Stuckert Filho/Presidência
Presidenta Dilma ao lado do vice-presidente Michel Temer e dos presidentes da Câmara dos Deputados,
Marco Maio (esquerda), e do Senado, José Sarney – Foto Roberto Stuckert Filho/Presidência 

O vice-presidente do Sistema Indústria, Paulo Tigre, lembrou, na solenidade, o desempenho dos alunos do Senai no WorldSkills Londres 2011, maior competição de educação profissional e tecnológica do mundo, cuja 41ª edição ocorreu no início deste mês de outubro, na capital inglesa. O Brasil obteve o segundo lugar entre 51 países competidores, à frente de países como Japão, Suíça e Singapura e atrás apenas da Coreia do Sul.

A elevada qualidade da competição torna esse resultado notável, sobretudo porque o nosso desempenho nas últimas três edições do WorldSkills (2007, no Japão; 2009, no Canadá e 2011, na Inglaterra), com dois segundos lugares e um terceiro, mostra que conseguimos construir uma das melhores educações profissionais do mundo”, assinalou Tigre.

A meta do Pronatec é criar 8 milhões de vagas, até 2014, no ensino profissionalizante. O público-alvo do programa são os estudantes do ensino médio de escolas públicas, bolsistas das escolas privadas, trabalhadores e os beneficiários do programa Bolsa Família. Além do Senai e de outras organizações do Sistema S, serão parceiros do programa as redes federal e estaduais de educação profissional.

O Senai tem disponíveis, ainda para este ano, mais de 80 mil vagas de cursos de qualificação. Com a iniciativa Você na Indústria, começará a atender a partir de 2012 também os trabalhadores que queiram se qualificar ou que sejam reincidentes no recebimento do seguro desemprego e ainda os beneficiários do Bolsa Família. Duas turmas oriundas do Bolsa Família estão frequentando cursos do Senai da Bahia, em um projeto-piloto.

Uma delas faz o curso de pintor de obras, na unidade de Dendezeiros, na região metropolitana de Salvador, e a outra está no curso de eletricista predial de baixa tensão, no Cimatec, em Salvador. Cinco alunos de cada uma dessas escolas participaram da solenidade da sanção da lei de criação do Pronatec. Desempregado há cinco anos, Jair Dias de Araújo, 50 anos, estava ansioso para ver a presidenta Dilma de perto.

Em dezembro, deve receber o diploma de habilitado no curso de eletricista predial de baixa tensão do Cimatec, depois de exercer a profissão por 11 anos. “Aprendi na prática. Mas resolvi estudar para conhecer mais e poder conseguir um emprego de carteira assinada”, contou Jair. Ele, a mulher e os três filhos recebem ajuda do Bolsa Família na Bahia.




Universalização da educação
Segundo o governo, serão 5,6 milhões de vagas para cursos de curta duração e 2,4 milhões de vagas para cursos técnicos, com duração de pelo menos um ano. A presidenta Dilma afirmou, em discurso, que a educação é "um dos melhores caminhos para o desenvolvimento".

'No nosso caso, estamos numa fase em que nós completamos o primeiro movimento, da universalização da educação e agora nós estamos buscando da creche ao pós-graduação modificar a qualidade da educação no Brasil. Hoje temos um desafio de assegurar capacitação para os nossos jovens, trabalhadores e adultos que, no passado, não tiveram oportunidade dessa qualificação", afirmou a presidenta.

Para a presidenta, o Pronatec possibilitará que o país tenha condições de aumentar a produtividade, melhorando a produção de bens e serviços no país. Dilma destacou ainda a parceira do governo com o chamado Sistema S. Para ela, “a indústria brasileira tem uma qualidade especial” porque pode contar com a qualificação do Sistema S.

Com a sanção do Pronatec, segundo informou o ministro da Educação, Fernando Haddad, o trabalhador que frequentemente recorre ao seguro-desemprego poderá participar de um curso de capacitação gratuito durante o período em que estiver sem ocupação. “Poderemos exigir do trabalhador que está recebendo pela quarta vez o seguro que ele frequente um curso para garantir que ele não será vitima novamente do desemprego. Naquele período que ele procura o emprego, ele vai dedicar algumas horas ao curso, [que será] custeado inteiramente pela União."

O ministro destacou também que o Pronatec prevê desoneração total do investimento em educação feito pelas empresas brasileiras. Segundo Haddad, “daqui para frente, nenhum investimento de empresas em educação profissionalizante será tributado, seja tributo trabalhista seja previdenciário”.

O Pronatec vai expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de educação profissional técnica de nível médio em colaboração com estados, o Distrito Federal e municípios. O programa deve fomentar e apoiar a expansão da rede física de atendimento da educação profissional e tecnológica e contribuir para a melhoria da qualidade do ensino médio público, por meio da articulação com a educação profissional.

Terão prioridade no acesso ao Pronatec estudantes do ensino médio da rede pública, beneficiários do programa Bolsa-Família, agricultores, povos indígenas e trabalhadores em geral. O Projeto de Lei nº 78/11, da Câmara dos Deputados, que acaba de ser sancionado por Dilma, ainda estimula o aumento das vagas ofertadas às pessoas com deficiência e a reserva de 30% dos recursos do Pronatec para as regiões Norte e Nordeste. Até 2014, o programa beneficiará 8 milhões de brasileiros.

Entre as ações previstas pela nova lei está a bolsa formação, nas modalidades estudante e trabalhador. A Bolsa-Formação Estudante será destinada ao estudante regularmente matriculado no ensino médio público, para cursos de formação profissional técnica de nível médio, de forma concomitante. A Bolsa-Formação Trabalhador, por sua vez, será destinada ao trabalhador e aos beneficiários dos programas federais de transferência de renda, para cursos de formação inicial e continuada ou qualificação profissional.

O projeto também muda o nome do Fundo de Financiamento ao Estudante de Ensino Superior (Fies) para Fundo de Financiamento Estudantil, mantida a sigla. O benefício será estendido a estudantes de cursos de educação profissional e tecnológica. Também institui o Fies-Empresa, financiamento com o qual empresas podem custear a formação profissional e tecnológica de seus trabalhadores.

Cursos do Prominp: Novo Centro vai formar profissionais para refinaria de Caxias


Em parceria com a Prefeitura de Duque de Caxias, o Senai do Rio de Janeiro instalou mais um centro de formação profissional para suprir demandas por pessoal qualificado da refinaria da Petrobras no município, a Reduc. Por meio do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp), serão ministrados cursos de caldeireiro, encanador industrial, mecânico montador e soldador de estrutura. Os 240 alunos que participarão do projeto foram selecionados pela Fundec e pelo Prominp.

De acordo com o presidente do Sistema Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, Caxias está no centro da demanda por profissionais capacitados, por ter uma refinaria de petróleo instalada em seu território. “Com isso, esses jovens alunos irão gerar renda para suas famílias em breve.” O chefe do setor de educação profissional do Senai de Duque de Caxias, Luiz dos Santos, explicou que, ao final do curso, os alunos serão encaminhados para as empresas que prestam serviços à Reduc para que possam ser aproveitados.

A coordenadora da Fundação para o Desenvolvimento Tecnológico e Políticas Sociais da Prefeitura de Duque de Caxias (Fundec), Edite Viana, destacou a importância da escolha do local de instalação da escola, uma área carente. “Estamos trazendo qualificação profissional para jovens desta comunidade. Isto porque acreditamos no lema do Sistema Firjan e lutamos por uma educação que forma, informa e transforma.” Também participaram da solenidade de inauguração da unidade a deputada federal Andrea Zito; o presidente da regional do Sistema Firjan em Duque de Caxias, Silvio Carvalho; o diretor-geral do Sistema, Augusto Franco; a diretora regional do Senai-RJ, Maria de Lúcia Telles.

Criatividade e competência: Senai expõe projetos inovadores em unidades de Santa Catarina

O modelo de educação profissional do Senai, com ênfase na criatividade e competência, pode ser conhecido, até amanhã (28/10), pelos catarinenses nas unidades operacionais em todo o estado. Algumas das atrações serão os ambientes educacionais e projetos desenvolvidos por estudantes em sala de aula.

Além disso, em 13 cidades, 110 estudantes estão disputando a etapa estadual da 7ª Olimpíada do Conhecimento, no início de um ciclo de disputas que poderá levá-los ao 42º WorldSkills, em 2013, na Alemanha. Em Florianópolis, 15 projetos inovadores de docentes e alunos de todo o estado são uma atração a parte para os visitantes.


Os projetos inovadores têm aplicação industrial ou na educação profissional e tecnológica. Vão de uma película que protege a água mineral a novos processos de produção de queijos ou ao aproveitamento do biogás em granja de suínos. Em torno de 100 mil pessoas são esperadas nas unidades do Senai, que também estão conhecendo oportunidades de cursos pelos quais podem iniciar uma carreira.

A Olimpíada do Conhecimento é uma competição promovida pelo Senai e empresas parcerias, em que os estudantes são desafiados a realizar projetos e tarefas como são realizadas no dia a dia da indústria. Podem ser peças ou produtos metálicos ou de marcenaria, calçados, roupas, sites, desenhos mecânicos, sistemas de segurança do trabalho, instalações elétricas e outros trabalhos, em 30 ocupações.

Os estudantes serão avaliados pelo conhecimento, habilidade e atitude que apresentarem no planejamento, execução e apresentação dos trabalhos. Serão considerados também o comportamento, a organização do ambiente de trabalho e o aproveitamento de recursos.

O campeão em cada ocupação e os segundos colocados que atingirem pelo menos 90% da pontuação do vencedor se habilitam a continuar a disputa vagas na equipe catarinense que participará na etapa nacional da competição. Eles realizarão provas de índice, nas quais o melhor classificado e que atingir um índice mínimo, vão à fase nacional. O mesmo sistema de classificação e disputa pode levá-los à competição internacional.

O sonho de cada competidor é repetir o feito dos três catarinenses que disputaram a última edição do WorldSkills, principal disputa internacional de educação profissional e tecnológica realizada no início deste mês de outubro, em Londres.

Nesta competição, Natã Barbosa conquistou a medalha de ouro em web design e André Peripolli e Leandro Duarte Machado classificaram-se na quinta posição em robótica móvel. Eles contribuíram para que o Brasil alcançasse a segunda posição na classificação geral. A trajetória de Natã, André e Leandro começou exatamente na etapa estadual da Olimpíada do Conhecimento, em 2009.

Excelência em educação: Senai-SP exportará modelo de capacitação profissional para a Nigéria

O Senai de São Paulo acaba de fechar acordo de cooperação educacional com a Nigéria. A assinatura ocorreu durante reunião da Diretoria Regional do Senai-SP com representantes do governo e empresários nigerianos. A partir de 2012, a organização paulista vai exportar seu modelo de ensino profissional e capacitação tecnológica em mais de dez segmentos industriais para aquele país, o mais populoso da África.

Em fevereiro de 2012, gestores nigerianos do ITF (Industrial Training Fund) desembarcarão em São Paulo para receber treinamento com foco em gestão de centro de formação profissional em diversas áreas industriais, como automação, construção civil, eletrônica, têxtil, cerâmica e costura industrial. Há ainda previsão de consultoria do Senai-SP para a instalação de quatro escolas, atualização de três unidades de formação profissional em Jos, Kano e Lagos e a aquisição de escolas móveis.

"A ideia principal é ajudar países que estão em processo de crescimento e desenvolvimento como o Brasil", ressaltou o diretor regional do Senai-SP, Walter Vicioni, que defende a divisão das experiências bem-sucedidas para a multiplicação de bons resultados na formação profissional. Para ele, a cooperação técnica exporta não só equipamentos, mas, também pessoas que criam espaços e oportunidades. "Essas trocas marcam a presença brasileira no cenário internacional", acrescentou.

O diretor-geral do ITF, Longmas Sambo Wapmuk, destacou que o desenvolvimento da educação profissional na Nigéria é um sonho e elogiou o engajamento das empresas com os alunos do Senai após a conclusão dos cursos. 

Durante a última semana, uma comitiva de empresários e membros do governo da Nigéria visitou algumas unidades do Senai-SP do interior e da capital, além de empresas como Indústrias Romi, Kraft Foods e Voith Brasil para conferir in loco as experiências da organização que qualifica profissionais para as indústrias.

"Como estratégia comercial, países desenvolvidos usaram a cooperação no campo da formação profissional como forma de posicionar o seu país em outros territórios", observou Vicioni. A Nigéria é o maior produtor de petróleo do continente africano e também detentor de um dos déficits educacionais mais expressivos do mundo – cerca de 50% das crianças estão fora da escola, de acordo com dados da Unesco.  

Reportagem de Danusa Etcheverria/Agência Indusnet Fiesp

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Encontro da Indústria: Indecisão na Europa pode arrastar todo o mundo para a crise, diz Summers

Os países europeus precisam adotar ações mais efetivas para combater a crise financeira na região. Caso contrário, as consequências serão desastrosas e atingirão todo o mundo. O alerta foi feito pelo economista Larry Summers (foto), ex-diretor do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca e ex-secretário do Tesouro dos Estados Unidos no governo Bill Clinton, nesta quarta (26/10), na abertura do 6º Encontro Nacional da Indústria (Enai).


“Os efeitos da indecisão dos governos europeus serão severos para todos”, advertiu Summers, no evento organizado pela CNI, que reúne cerca de 1.500 empresários no Transamérica Expo Center, em São Paulo, capital.

Na avaliação de Summers, apesar das reformas que fortaleceram a economia nos últimos anos, o Brasil não está imune às crises externas. Lembrou que, mesmo com a expansão do mercado interno e a redução da vulnerabilidade da economia na última década, o crescimento do Brasil também depende do cenário internacional. “Se os governos europeus não resolverem a crise financeira e restabelecerem a confiança dos mercados e os Estados Unidos não voltarem a crescer, o Brasil enfrentará problemas”, disse o economista.

Para ele, a retomada do crescimento econômico nos Estados Unidos depende de medidas fiscais que estimulem o consumo das famílias, do aumento dos investimentos em infraestrutura, de políticas de incentivo à criação de empregos e ao crédito. “É o momento de aceitar mais riscos, de fortalecer a confiança e evitar regulamentações que não sejam essenciais”, destacou Summers.

Apesar do pessimismo em relação à atual crise na Europa e à retração dos Estados Unidos, destacou que o Brasil está vivendo um bom momento e reúne as condições necessárias para ganhar importância no cenário econômico internacional. “O país tem recursos naturais abundantes e foi abençoado com uma grande reserva de petróleo”, enumerou, explicando que a demanda por matérias primas e energia aumentará muito assim que os problemas externos forem superados.

Nesta quinta (27/10), o 6º Enai apresentará debates sobre os desafios da indústria brasileira na economia globalizada, a complexidade do sistema tributário, a qualidade da educação, a conservação do meio ambiente e a modernização da infraestrutura.

O ministro da Educação, Fernando Haddad, também participa junto com empresários e acadêmicos as mudanças para garantir à população uma educação de qualidade, que atenda às necessidades de formação profissional da indústria. Ainda na quinta-feira, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, participará do painel que tratará dos desafios que o país precisa vencer para modernizar a infraestrutura e conservar os recursos naturais.
Mais informações: Theo Saad, 11-9306-8274 ou 11 3040-3874 – Foto José Paulo Lacerda/Agência CNI

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Encontro da Indústria Ex-secretário do Tesouro Americano discute no Enai crise global

Os rumos da crise internacional e os efeitos no Brasil serão avaliados pelo economista Larry Summers, ex-diretor do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca e ex-secretário do Tesouro dos Estados Unidos no governo Bill Clinton, nesta quarta (26/10), no 6º Encontro Nacional da Indústria (Enai). Organizado pela CNI, o evento reunirá cerca de 1.500 empresários no Transamérica Expo Center, em São Paulo, capital, até quinta (27/10).

A palestra de Summers ocorrerá às 10h30, logo depois da abertura do encontro. Depois, os empresários avaliarão propostas para fortalecer a competitividade da indústria e medidas para reduzir os impactos da crise externa no Brasil. “Vamos discutir os desafios da educação, do meio ambiente, da infraestrutura, do sistema tributário e da concorrência internacional. É uma pauta para um Brasil maior e melhor”, destaca o presidente do Sistema Indústria, Robson Braga de Andrade, que abrirá o 6º Enai.

O encontro será dividido em cinco sessões plenárias temáticas, que terão a participação de líderes industriais, como André Gerdau Johannpeter, presidente do grupo Gerdau; Josué Gomes da Silva, presidente da Coteminas; Carlos Fadigas, presidente da Brasken; Pedro Wongtschowski, presidente do Grupo Ultra; e Cledorvino Belini, presidente do grupo Fiat para América Latina, entre outros. O 6º Enai também terá a participação de representantes do governo.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio Mercadante, e o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, discutirão com os empresários as transformações e os desafios da indústria globalizada. O secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland de Brito, e os economistas Bernard Apy e Fernando Resende avaliarão o regime fiscal brasileiro.

No segundo dia do 6º Enai, o ministro da Educação, Fernando Haddad, debaterá com empresários e acadêmicos as mudanças para garantir à população uma educação de qualidade, que atenda às necessidades de formação profissional da indústria. Ainda na quinta-feira, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, participará do painel que tratará dos desafios que o país precisa vencer para modernizar a infraestrutura e conservar os recursos naturais.
Mais informações: Theo Saad, 11-9306-8274 ou 11 3040-3874.

Arte Brasileira


Arte Brasileira


Pronatec em Alagoas: Feira de cursos vai orientar estudantes de Maceió

A Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (SEE), em parceria com o Senai, o Senac, a Universidade Federal de Alagoas e o Instituto Federal de Alagoas, promove nesta semana (24 a 26/10), feira de cursos profissionalizantes para orientar alunos da rede pública estadual que estejam cursando o terceiro ano do ensino médio ou matriculados na terceira etapa da modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA).

O evento ocorre paralelamente nas unidades do Senai no Poço e do Tabuleiro, em Maceió, das 8h às 21h, para divulgar o Pronatec, iniciativa que vai expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos técnicos e de cursos de formação inicial e continuada para estudantes, trabalhadores e desempregados. Em Alagoas, o Pronatec vai oferecer inicialmente cinco mil vagas gratuitas para alunos na rede pública estadual. Coube à SEE selecionar os cursos oferecidos pelo Senai, Senac, Ufal e Ifal.


O Senai vai abrir mais de duas mil vagas em cursos de qualificação profissional, em seis cidades com a oferta de cursos em áreas como: construção civil; metalmecânica; alimentos; têxtil e vestuário; informática; gestão; artes gráficas; automotiva; eletricidade; refrigeração; plástica; madeira e mobiliário. “A iniciativa prioriza os estudantes para que obtenham qualificação e conquistem maiores chances de inserção no mercado de trabalho após a conclusão dos estudos da educação básica”, explica o diretor regional do Senai-AL, Marben Loureiro.

Em 2012, a oferta de cursos será ampliada, com a disponibilização de cursos de nível técnico e estágio. Depois da Feira, a SEE manterá as inscrições para os cursos profissionalizantes até o dia 4 de novembro, nas próprias escolas.


Parceiros lançam o programa em Mato Grosso do Sul
O Senai de Mato Grosso do Sul lança nesta terça (25/10) o Pronatec, em conjunto com o governo do estado, Senac e Instituto Federal de Mato Grosso do Sul. Serão abertas neste e no próximo ano, 12.340 vagas em 138 cursos gratuitos de educação profissional, distribuídos em 14 cidades. O Pronatec vai expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos técnicos e profissionais de nível médio e de cursos de formação inicial e continuada para trabalhadores.

Com as presenças do governador André Puccinelli, do presidente do Sistema Fiems, Sérgio Longen, do presidente da Fecomércio, Edison Araújo, e do reitor do Instituto, Marcus Aurélius Stier Serpe, a cerimônia será realizada no Centro de Convenções e Exposições Albano Franco, às 11h, em Campo Grande. 

Também estarão presentes os diretores de 140 escolas estaduais de ensino médio, já que o público-alvo do Pronatec é formado por alunos da rede pública de educação.

Atualmente, a indústria, com suas oportunidades e expectativas, é um dos campos mais promissores para se trabalhar. A demanda cada vez maior por profissionais qualificados, que contribuam para o aumento da competitividade do setor, faz com que as chances de quem quer ser contratado aumentem bastante. O Senai-MS oferece por meio do Pronatec 9.400 vagas em 83 cursos gratuitos de formação profissional, sendo 6.711 vagas em 64 cursos de qualificação e 2.689 vagas em 19 cursos de nível técnico distribuídos por 11 cidades.

Nacionalmente, o Pronatec tem como meta abrir 8 milhões de novas vagas no ensino profissionalizante até 2014, instalando novas unidades de ensino, concedendo bolsas de estudo e financiando estudantes e empresas que queiram qualificar melhor seus trabalhadores.

Mais informações: www.vocenaindustria.com.br

Minas Trend Preview: Nona edição do evento deverá bater recorde em negócios

Com 240 marcas de moda e acessórios, distribuídas em 191 estandes, a nona edição do Minas Trend Preview, que promove os lançamentos para a temporada outono/inverno 2012, começa em clima de otimismo com a previsão de crescimento de 10% no número de visitantes e incremento de negócios estimado em 15% em relação à mesma temporada do ano passado.

Para esta edição, que ocorrerá nesta semana (26 a 29/10), no Expominas, em Belo Horizonte, estão programadas várias ações. No desfile oficial de abertura do evento, 30 marcas apresentarão, sob a curadoria do estilista Ronaldo Fraga, suas propostas para o tema Inspiração. Ao longo dos quatro dias, serão 21 desfiles individuais e uma extensa lista de atividades, como palestras, debates, lançamentos e concurso para novos talentos.

Demonstrando a força do Minas Trend Preview, como o principal evento pré-lançador de tendências de moda do país, esta edição também amplia o número de patrocinadores qualificados de diversos segmentos, entre eles o Senai-MG, SindSorvete-MG, Fecomércio-MG, Cedro Têxtil, Coca Cola Zero, Abicalçados, Brazilian Footwear, Gol, Tex Brasil, Abit, Apex Brasil e governos estadual e municipal. Outro dado significativo é o aumento do número de “compradores vips” – incluindo 668 profissionais com alto potencial de decisão especialmente convidados para o evento – e a confirmação da presença de estrangeiros da África do Sul, Inglaterra, França, Portugal, Qatar, Itália, Bolívia, Peru e outros.

O Salão de Negócios também passou por alterações em seu layout, para melhor integrar e destacar os artigos e proporcionar aos compradores possibilidade de comparações e aquisições mais assertivas. Outra novidade é uma nova área de negócios destinada exclusivamente para os fornecedores da indústria de moda.

Exposição Legs Parade
Uma versão fashion da conhecida mostra de arte de rua internacional CowParade será apresentada dentro do Expominas. Trata-se da exposição Legs Parade, feita com pernas de manequins de vitrinas. As pernas foram customizadas – vestidas ou pintadas – por 15 renomados estilistas.

A programação do Minas Trend Preview inclui a gastronomia. A ação paralela intitulada Moda para Comer, que vai até 30 de outubro, reúne renomados chefs de 23 restaurantes locais, que vão oferecer pratos criados especialmente para quem visita a cidade em busca dos lançamentos para a temporada de inverno 2012.  Inspirados nas mais diversas influências, os pratos foram pensados para atrair os visitantes do evento.

O menu super variado inclui cores, sabores e aromas que reforçam a relação entre moda e gastronomia, provando que em ambas as áreas é possível encontrarmos tendências, regionalismos e sazonalidades. Muitos estilistas mineiros foram inclusive homenageados pelos chefs em pratos que variam de R$ 25 a R$ 65.

Recente pesquisa realizada pelo Sistema Fiemg revela que os setores de moda e acessórios de Minas Gerais têm aproveitado o crescimento da demanda interna brasileira, apontando que, em agosto passado, a utilização da capacidade instalada da indústria alcançou o índice de 87,94% e cresceu, em faturamento real 10,8% em relação ao mês anterior. Comparando o período de janeiro a agosto deste ano, em relação a 2010, a alta é de 5,21%.

A indústria de confecção mineira contabiliza mais de 76 mil profissionais, numero que representa 12% dos empregos gerados no setor em todo o Brasil. Dentro do estado, responde por 18% dos empregos industriais e quase 10% do total de empregos. O setor soma uma média de 4 mil empresas com produção anual de R$ 1,7 bilhão. Os principais pólos produtores, onde estão concentrados 86% dos empregos gerados no setor, são as regiões Central, Centro-Oeste, da Zona da Mata e Sul de Minas, onde se destaca a produção de peças em malha e tricô.

Inovação tecnológica: Encontro debate acessibilidades de pessoas com deficiência


Dep. federal Rosinha da Adefal aprovou a cadeira de rodas motorizada - Foto Divulgação
Dep. federal Rosinha da Adefal aprovou a cadeira de rodas motorizada - Foto Divulgação

O Senai está expondo inovações tecnológicas para pessoas com deficiência na 3º Encontro Internacional de Tecnologia e Inovação para Pessoas com Deficiência, cujo tema é O Desenho Universal na Indústria Brasileira. O evento ocorre até quarta (26/10), em São Paulo, capital. 

Estão expostos no estande do Senai oito soluções criadas por Regionais da organização: Cadeira de rodas motorizada e acionada por comando de voz; ela atende a qualquer idioma previamente configurado; Dicionário Técnico de Libras: Dicionário em Língua Brasileira de Sinais para apoio ao aprendizado do aluno surdo; Aparelhos para alimentação de tetraplégicos e amputados; Projeto Mega acessibilidade; Design de moda como inclusão para deficientes visuais; Máquina de costura adaptada para pessoas com deficiência física; Cadeira Multimove; Aparelho Cadepeck Alpha.

Segundo os organizadores do encontro, o conceito de acessibilidade é pedra fundamental para a inclusão da pessoa com deficiência. Os princípios do Desenho Universal fazem uso e ampliam a visão de acessibilidade, porque trabalham outros elementos igualmente importantes.

Nesse sentido, a idéia não é apenas tornar locais, produtos e serviços acessíveis, mas contemplar outras necessidades de usuários em geral, como a usabilidade, a potencialização de habilidades e a segurança.

O Desenho Universal busca contemplar, além das pessoas com deficiência, as necessidades de outros segmentos da sociedade, como o idoso, o obeso e a criança, entre outros.

No terceiro encontro está sendo discutido em que medida os princípios do Desenho Universal vêm influenciando a indústria brasileira no desenvolvimento atual e futuro de produtos e serviços projetados para atender às mais variadas demandas por funcionalidade, usabilidade e segurança.