quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Primeiro emprego: Jovens do Piauí têm a chance de entrar para o mercado de trabalho

Trinta meninos e meninas de 14 a 22 anos da cidade de Picos vêm participando desde junho passado do curso Auxiliar Administrativo. A ação integra a modalidade Jovens Aprendizes, cujo objetivo é aumentar ainda mais o número de pessoal contratado com vínculo formal de trabalho. O curso é ministrado pelo Senai do Piauí, durante dois anos. As empresas cadastradas no programa são Correios, Mel Wenzel, Pincol, Hidroterra, Pinguim, Paulo Lopes Construções e Itapissuma. De acordo com o gerente da unidade, Júlio Rodrigues, as disciplinas que estão em andamento são Gestão Organizacional, Comunicação e Informação.

Edilson Ferreira, Nádia Martins, Breno Gomes e Cíntia Almondes - Foto Senai-PI
Nádia de Oliveira Martins, de 15 anos, está feliz com a oportunidade oferecida pelo Senai e com o estágio na Hidroterra, ligada ao ramo de eletricidade. “Para mim é uma alegria enorme atender as pessoas quando procuram a empresa.” Breno Gomes da Luz, também de 15 anos; Edilson Ferreira de Sousa Júnior, de 18, e Cíntia Conceição Souza de Almondes, de 14, respectivamente estagiando nas empresas Itapissuma, Correios e Mel Wenzel, destacam a chance dada pelo programa “É uma oportunidade que caiu do céu para nós. Graças ao Senai, conseguimos nosso primeiro emprego”.

Para o diretor regional do Senai-PI, Ewerton Negri Pinheiro, a aprendizagem está ligada às origens da organização. Revitalizada e adequada às novas necessidades do mercado de trabalho, a modalidade ganhou em flexibilidade e eficácia. Uma das alternativas criadas é a aprendizagem na empresa.

De acordo com o presidente do sistema Fiepi, Moraes Souza Filho, “a aprendizagem na empresa é resultado de uma parceira na qual ambos os atores têm responsabilidades e atribuições bem definidas e negociadas. Criteriosamente planejados, acompanhados, controlados e auditados, os cursos de aprendizagem na empresa representam a possibilidade de unir o cumprimento às leis, o exercício da responsabilidade social e o treinamento de futuros trabalhadores.”

A lei determina que é considerado jovem aprendiz aquele contratado diretamente pelo empregador ou por intermédio de entidades sem fins lucrativos; que tenha entre 14 e 24 anos; esteja matriculado e freqüentando a escola, caso não tenha concluído o ensino fundamental; e esteja inscrito em curso ou programa de aprendizagem desenvolvido por instituições de aprendizagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário