segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Jimy Tomás e Jackson da Silva - Foto Senai-AC
Jimy Tomás e Jackson da Silva
Foto Senai-AC

Inclusão digital
Deficientes visuais do Acre aprendem informática 
 A informática é parte cada vez mais necessária para se trabalhar, estudar, comunicar ou o entretenimento. Quem não está apto a utilizar o computador e seus programas fica à margem da vida produtiva social e profissionalmente.

No Acre, o Senai promoveu o acesso de quatro alunos deficientes visuais à tecnologia da informação, em parceria com a associação da classe. O treinamento, que durou 80 horas, ensinou como trabalhar com editores e leitores de textos, planilhas, cálculos, internet e redes sociais.

O instrutor Jimy Tomás ficou satisfeito com o resultado das aulas. “O curso permitiu que o aluno interagisse normalmente com um computador. Com isso podem conquistar melhores oportunidades no mercado de trabalho graças ao domínio de ferramentas computacionais essenciais." Essa oportunidade é oferecida pelo Programa Senai de Ações Inclusivas (Psai), oferecido em todo o país.

Para Jackson da Silva, o curso superou expectativas e agora pretende fazer outros do Senai. “Apesar de já ter tido contato com computador antes de iniciar o curso, aprendi muitas coisas que ainda não sabia. O Senai está de parabéns, pretendo fazer outros cursos e me especializar cada vez mais”.
Segundo Tomás, a deficiência visual é apenas um obstáculo, podendo assim ser superada quando o indivíduo realmente quer. "A superação desses obstáculos é a nossa maior meta”.

Reunião Psai
O Senai do Brás, em São Paulo, capital, receberá em 5 e 6 de outubro, a Reunião Nacional dos Interlocutores do Psai (Programa Senai de Ações Inclusivas). Participarão um representante de cada estado e do Distrito Federal responsável pelas ações de inclusão nas unidades operacionais da organização. Na pauta principal o alinhar estratégias e direcionadores nacionais para a educação profissional com ações para o atendimento do público-alvo – idosos, pessoas com deficiência, altas habilidades/condutas típicas, gênero, raça e etnia.

Os trabalhos vão abordar: atualizar os interlocutores por meio de palestras na área da inclusão; validar documento de avaliação escolar para pessoas com deficiência; apresentar documentos impressos em 2011 e como divulgá-los; apresentar ações do programa e possibilidades para 2012; apresentação dos relatórios e ações de 2011; alinhamento nacional sobre direcionadores e possíveis ações para 2012 alinhadas às políticas públicas.


Na tarde do dia 6, das 14h às 18h, ocorrerá o seminário Envelhecimento da Força de Trabalho: o que a indústria tem a ver com isso?, com as participações de Eduardo Nunes, do IBGE, e da consultora Laura Machado, da Interage. As vagas são limitadas e as inscrições são gratuitas. Clique aqui para se inscrever.

Nenhum comentário:

Postar um comentário