quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Empreendedorismo inovador: C2i assina termo de cooperação entre os Brics

O diretor-executivo do Centro Internacional de Inovação (C2i) do Sistema Fiep, Filipe Cassapo, voltou do Global CEO Conference, que ocorreu na semana passada, na China, com novidades para o Brasil. Como representante do país, Cassapo assinou no encontro acordo de cooperação com os demais países que compõem o Brics. O encontro reuniu CEOs (Chief executive officer, ou diretor-geral) de diversos países para compartilhar experiências e discutir novas possibilidades de crescimento. O Brics é uma organização política de cooperação composta pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Cassapo viajou a convite do Centro Internacional de Formação de Atores Locais (Cifal) de Shanghai, órgão ligado às Nações Unidas e cuja representação na América Latina está sediada no Sistema Fiep. “Além de apresentar o trabalho do C2i e mostrar como ele de fato criou um ambiente propício à aceleração do empreendedorismo inovador, assinamos este documento voltado ao desenvolvimento das indústrias dos Brics”, esclarece Cassapo.

O acordo prevê o compartilhamento de informações, necessidades e focos estratégicos em termos de inovação. “A intenção é facilitar o intercâmbio de informações e as oportunidades de negócios entre as indústrias desses países”, explica Cassapo, acreditando que “isso vai culminar rapidamente em um ambiente de web para começarmos os primeiros trabalhos de compartilhar informações sobre necessidades e ofertas tecnológicas em termos de empreendedorismo e inovação."

Ele defende o início dos trabalhos com ações simples e pragmáticas. “Precisamos atender rapidamente às necessidades reais das indústrias e agregar valor. A proposta é compartilhar informações de demandas e ofertas tecnológicas que podem levar a parcerias internacionais e licenciamentos de patentes. Mapear isso é algo fácil de ser feito”. A partir disso, será possível promover rodadas de negócios concretas.

Pelo momento que o mundo passa, explica o diretor do Centro, os chamados emergentes têm a responsabilidade de puxar, com seu crescimento, a retomada do desenvolvimento da economia mundial. "Também posicionamos o Paraná como estado inovador que foca nestas questões do futuro”, acrescenta Cassapo, destacando o papel do Cifal: “Aproveitamos para também conversar sobre trazer um capítulo regional da conferência para o Brasil”.

Compartilhar conhecimento é uma forma de melhorar o mundo. E essa é uma das grandes demonstrações do C2i em relação ao futuro da iniciativa privada, que é um dos maiores protagonistas do desenvolvimento econômico, social e ambiental. Apresentado ao mercado em 2009, com a sigla C2i (C do Centro e o 2 de duas vezes o I de Internacional e Inovação), o centro é uma concessionária de inovação e articula produtos e serviços de inovação do Sesi, Senai, IEL e parceiros do Sistema Fiep. O C2i também oferece educação voltada para a gestão das empresas que inovam ou querem inovar por meio da Unindus, a Universidade da Indústria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário