quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Eficiência energética: Granja vende crédito de carbono depois de consultoria do Senai

O serviço de consultoria em eficiência energética realizado pelo Senai de Santa Catarina à Granja São Roque, de Videira, no meio-oeste catarinense, está ajudando a empresa em seu projeto de sustentabilidade e vai contribuir para que possa fazer parte do mercado de créditos de carbono. Com o sistema implantado pelo Senai, a empresa sabe exatamente a quantidade de biogás que esta sendo convertida em energia elétrica, além de quanto gás metano deixa de ser despejado na atmosfera. O projeto também conta com a parceria da SCGás.


Conhecida nacionalmente por seu cuidado com a sustentabilidade na criação de suínos, a São Roque aloja cerca de 50 mil suínos, que produzem 300 mil litros de dejetos por dia. A granja possui um sistema que utiliza as fezes e urina dos animais para produzir biogás, a partir de biodigestores. O combustível é usado na própria empresa, na produção de energia elétrica. A granja é a primeira empresa no estado a possuir autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para a venda da energia excedente.

A TAM transportou em 2010 34,5 milhões de pessoas em suas linhas domésticas e internacionais. Atualmente, a empresa conta com 156 aeronaves, sendo 86 A320 (foto) – Foto Marcio Jumpei
Sistema ajuda a contabilizar quanto biogás é produzido – Foto Senai de Florianópolis

Apesar da produção de biogás ser feita há quase dois anos, a empresa não tinha informações sobre quanto de gás era gerado, quanto era consumido nos geradores e quanto sobrava (e precisava ser destruído antes de ser jogado na atmosfera). Com isso, não possuía condições de contabilizar a produção e realizar a venda de crédito de carbono. O sistema implementado pelo Senai também pode ter a confiabilidade de suas informações auditada por terceiros, qualificando a granja para vender créditos de carbono.

O veterinário Nelson Pascoal, proprietário da granja, destaca que esse é um dos três projetos existentes do país com a possibilidade de obter receita a partir da venda de crédito da produção de biogás. "Para vender os créditos, precisamos ser autorizados pela Organização das Nações Unidas. Como a visita às instalações já foi feita, agora estamos na fase de certificação, esperamos em breve entrar nesse mercado".

Segundo o consultor Roberto Philippi Füllgraf, do Senai de Florianópolis, o sistema ainda permite monitorar as temperaturas de combustão e ambiente, além da porcentagem de metano contida no gás, a partir de uma central ou remotamente, por meio da internet. "Para gerar energia térmica ou elétrica de modo mais eficiente é necessária a quantificação do metano existente no biogás, definindo o seu poder calorífico", explica Füllgraf. Ele esclarece que "a análise da qualidade e da quantidade do gás, quando comparada com a demanda de energia da granja, torna possível prever a disponibilidade de gás para a produção de energia elétrica e posterior venda."

O projeto foi realizado com recursos do sexto edital estratégico do Senai Nacional, voltado para projetos de eficiência energética. Em função de suas ações em benefício do meio ambiente, a granja recebeu esse mês o Prêmio Expressão de Ecologia. O projeto também será um dos 15 apresentados na Mostra Inova Senai, de 26 a 28 de outubro, no Senai de Florianópolis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário