sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Crescimento do Paraná: Campagnolo defende Banco de Projetos e investimentos em educação profissional

A nova diretoria do Sistema Fiep, que será empossada nesta sexta (30/9), assume com o compromisso de trabalhar com foco total no crescimento do setor industrial e no desenvolvimento econômico e social do Paraná. A afirmação é do presidente eleito Edson Campagnolo, que comandará a organização até 2015. Nesta quinta-feira (29/9), em Curitiba, o empresário concedeu entrevista coletiva para falar sobre as prioridades de sua gestão.

De acordo com Campagnolo – primeiro representante do interior do estado a assumir a presidência do Sistema Fiep em 67 anos de história –, uma forma de buscar o crescimento do setor industrial paranaense como um todo é a descentralização de investimentos. “Nossa política industrial deve possibilitar que as empresas interessadas em vir ao Paraná se estabeleçam em várias regiões do estado e não apenas nos grandes centros."


Mas para que isso aconteça, Campagnolo considera que o Paraná precisa solucionar alguns gargalos. “Nosso crescimento ainda esbarra em obstáculos como infraestrutura e logística. É inadmissível, por exemplo, que uma cidade como Ponta Grossa ou o oeste do estado não tenham aeroportos condizentes com a demanda." Para auxiliar na melhoria das condições de infraestrutura do Paraná, Campagnolo anunciou que o Sistema Fiep comandará um grande movimento para a criação de um banco de projetos. “Muito se fala, por exemplo, sobre a construção de uma nova ferrovia que ligue Curitiba ao Porto de Paranaguá, para substituir a ferrovia centenária que já não suporta grandes comboios. Mas hoje não existe nem o projeto dessa nova ferrovia”, explicou.

Junto com outras organizações representativas do setor produtivo e em parceria com o governo do estado, o Sistema Fiep pretende viabilizar a criação de um fundo que possibilite a elaboração de projetos de engenharia para as obras necessárias no Paraná. Com os projetos em mãos, será mais fácil buscar os recursos disponíveis para realização das melhorias. Além de atuar na melhoria da infraestrutura e logística, o Sistema Fiep também vai atuar fortemente no desenvolvimento de diferentes cadeias produtivas dentro do estado. Outra prioridade da gestão Campagnolo, é o investimento em qualificação profissional.

“Na atual gestão, tivemos uma evolução muito grande nessa área. O número de matrículas no Senai passou de 70 mil em 2003 para 252 mil em 2011. Nosso desafio é, até 2015, dobrar esse número para 500 mil, dentro das metas estabelecidas pelo programa lançado pelo governo federal em maio passado”, afirmou Campagnolo, referindo-se ao Pronatec. A posse da nova diretoria ocorrerá a partir das 19h30, no Cietep, no Jardim Botânico, em Curitiba. A diretoria da Fiep é composta por 54 integrantes, todos industriais, representantes de sindicatos empresariais.
Foto Gilson Abreu

Nenhum comentário:

Postar um comentário