quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Senai-MS cria Comitê de Inovação

O Senai de Mato Grosso do Sul acaba de criar o Comitê Técnico Estadual de Inovação, que é formado por especialistas da organização e do Sesi e IEL do estado. A intenção é discutir ações e diretrizes voltadas para a inovação tecnológica e social a serem implantadas no Sistema Fiems e, posteriormente, repassas às indústrias.
 
Segundo a coordenadora de tecnologia industrial do Senai-MS, Adriane Ricartes, as reuniões do comitê serão realizadas de dois em dois meses até o fim deste ano, sendo que no próximo 13 de setembro será apresentado o plano de ação desenvolvido no decorrer dos últimos meses. “Quando o plano for finalizado e aprovado pela Diretoria, iremos colocá-lo em prática durante o próximo ano”, explicou. As ações e projetos de inovação existentes serão aglutinados e colocados em prática pelo Comitê, que fará a disseminação das informações.
 
O diretor-corporativo da Fiems e diretor-regional do Senai/MS, Jaime Verruck, que fez a abertura da primeira reunião do Comitê, no último dia 29. Ele considera o Comitê o embrião de uma iniciativa que será contínua. “Precisamos estruturar toda e qualquer inovação. Por isso, a ideia em constituir um grupo de pessoas que irá criar, discutir e colocar em prática soluções para a indústria, por meio de ações de inovação." Segundo ele, o mercado local ainda é carente de inovação tecnológica e entidades como a Fiems tem o compromisso em proporcionar conhecimento e garantir o sucesso de pessoas e empresas.
 
Para a instrutora técnica do Senai de Rio Verde, Liliana Florencio, a iniciativa serve como apoio para os projetos de inovação que são desenvolvidos pela entidade. “É a oportunidade de aperfeiçoar novas estratégias e mais conhecimento para adquirirmos novas ideias e implantarmos em nossas unidades." A instrutora do Senai de Naviraí, Cláudia Regina de Oliveira, garante que é possível ser referência em tecnologia e que o setor industrial do estado caminha para isso. “Poderemos ganhar competência criativa, e posteriormente solucionar as carências das indústrias."

Nenhum comentário:

Postar um comentário