terça-feira, 9 de agosto de 2011

Moda radical: Antwerp Royal Academy of Fine Arts revela novos talentos

Criação de Leonneke Derksen - Foto Divulgação
Criação de Leonneke Derksen - Foto Divulgação

Desde o grupo Antwerp Six, formado por Dries Van Noten, Ann Demeulemeester, Dirk Bikkembergs, Walter Van Beirendonck, Dirk Van Saene e Marina Wee, a Royal Academy of Fine Arts da Antuérpia é tida como referência mundial na formação de designers de moda.


Ela é reconhecida por lançar no mercado, a cada ano, uma nova safra de designers dispostos a encarar a moda sob um olhar mais radical e inovador do que é usual. Para 2011 o padrão dos trabalhos de graduação não foi diferente. Confira três nomes que ainda podem dar o que falar:



Leonneke Derksen 
As deformações encontradas nas fotografias de Asger Carlsen são a base do traço de Leonneke. A base do shape foi montada sobre o conceito da desproporção; harmonizado no jogo de formas e matérias-primas.

Jantine Van Penski
Inspirada no movimento de arte têxtil dos anos 1970, a alemã Jantine criou shapes que extravasam as linhas do corpo como se fossem "casulos", nos quais o indivíduo é mantido seguro e longe da hostilidade do ambiente exterior. A técnica de nós em cordões dá o tom artesanal e atemporal do trabalho.

Yusuke Hotchi
Este designer japonês mistura influências do street style com arte africana em seu trabalho. Para esse em especial, ele acrescentou outras influências globais. O resultado é uma coleção masculina baseada em elementos do vestuário japonês, com boas porções de elegância street e detalhes africanos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário