quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Mais vagas para a formação profissional: Sistemas Indústria e Fiems reivindicam autonomia na criação de cursos técnicos


O diretor-corporativo do Sistema Fiems, Jaime Verruck, entregou ao deputado federal Antônio Carlos Biffi, proposta do Sistema Indústria reivindicando autonomia para o Sistema S* na criação de cursos técnicos para possibilitar maior oferta de vagas e cursos profissionalizantes. A entrega foi feita durante debate sobre o Projeto de Lei nº 1.209/2011, que cria o Pronatec, realizado na última segunda (15/8), na Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems), em Campo Grande.


“O Sistema Fiems, em consonância com o Sistema Indústria, entende que o Projeto 1.209/2011 precisa trazer, em sua essência, essa autonomia para que Senai e Sesi possamos atingir a meta proposta pelo governo federal de dobrar o número de vagas nos cursos técnicos até 2014”, disse Verruck, acrescentando que o Pronatec contribuirá para resolver o problema de falta de profissionais qualificados.

Segundo ele, o Sesi e o Senai estão entre os principais parceiros do Pronatec, sobretudo no desenvolvimento dos subprogramas Bolsa Formação Estudante, Bolsa Formação do Trabalhador, Bolsa Formação do Trabalhador – Modalidade Inclusão Produtiva, Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) Técnico e Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) Empresa, nos quais deve atuar na oferta de educação profissional.

De acordo com o deputado Biffi, o Pronatec procura ampliar a capacidade do Sistema S de readequar sua infraestrutura e equipamentos para beneficiar estudantes do ensino médio da rede pública e privada. “Como relator do Projeto 1.209/2011, na Comissão de Educação e Cultura da Câmara Federal, espero que ele seja aprovado até setembro na Casa de Leis para ser enviado ao Senado."
*O chamado Sistema S é formado por organizações criadas pelos setores produtivos – indústria, comércio, agricultura, transportes e cooperativas –, com a finalidade de qualificar e promover o bem-estar social de seus trabalhadores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário