segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Formação profissional: Ensino médio é discutido em seminário realizado em Natal

A necessidade de melhorar a qualidade da formação profissional, com a preparação de jovens para as novas exigências do mercado de trabalho, foi a ênfase dos debates durante o seminário Mudanças Curriculares no Ensino Médio, que foi realizado na sexta (12/8), no CTGás, consórcio localizado em Natal e administrado pelo Senai e a Petrobras. Participaram o governador do Ceará, Cid Gomes, da governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini, do vice-presidente do Sistema Fiern, Amaro Sales, do especialista em educação, Cláudio de Moura e Castro e do deputado federal Rogério Marinho (PSDB/RN) e outros.


Amaro Sales alertou para a falta de profissionais qualificados em setores da indústria. “Quando falamos em qualidade de ensino, não podemos esquecer que, sem mão de obra qualificada, não é possível ter uma economia competitiva." A governadora Rosalba Ciarlini reconheceu que, no Rio Grande do Norte, há deficiência na formação de trabalhadores. Segundo ela, isso é uma das graves consequências dos problemas na educação pública do estado.

A gerente-executiva de Educação Básica do Sesi Nacional, Mara Ewbank destacou que a organização desenvolve programas de ensino médico vinculado à formação profissional. Foram, segundo Mara, 21,2 mil matrículas no ano passado. Em 2011, o número de alunos matriculados passou para 30,2 mil. Ela disse que são ações como essa que podem minimizar as deficiências de qualificação profissional no país.

O gerente do Observatório Ocupacional do Senai Nacional, Márcio Guerra, lembrou que é importante os cursos de formação profissional estarem adequados às necessidades do mercado de trabalho. Ele afirmou que os programas para capacitar jovens devem observar as demandas das empresas e antecipar as tendências para que possam preparar os profissionais. Guerra citou dados de uma pesquisa na qual 69% das empresas afirmaram que têm dificuldades em contratar pessoal qualificado. Essa deficiência é particularmente acentuada na busca por técnicos (82% apontaram dificuldades na contratação) e operadores (94%).

Ao falar da necessidade de melhoria no ensino e formação dos jovens, o governador Cid Gomes disse que o Plano Nacional de Desenvolvimento da Educação (PNE), que está em discussão no Congresso Nacional, deve ser definido sem improvisos. “É preciso que ele seja bem estudado, elaborado com ampla participação nas discussões para que tenhamos diretrizes consistentes." Ele afirmou que um dos avanços recentes na educação foi a criação de indicadores, como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), com os quais é possível mensurar a situação nos estados e municípios. Para o governador do Ceará, além de proporcionais informações sobre as escolas, esses indicadores apontam metas que podem ser avaliadas.

O seminário realizado no CTGás foi o primeiro da série proposta pela Comissão Especial do Plano de Educação da Câmara dos Deputados e promovida pelo Sesi sobre mudanças nos currículos e na carga horária no ensino médio. Os próximos encontros serão em São Paulo e em Brasília, respectivamente, em 1º e em 14 de setembro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário