quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Cargill no Paraná: Senai formará profissionais para nova unidade de processamento de milho


O Senai do Paraná participa do empreendimento da Cargill em Castro, na região dos Campos Gerais. A empresa vai investir R$ 350 milhões em uma unidade de processamento de milho para produção de amidos e adoçantes para uso industrial. Serão gerados 200 empregos diretos e 600 indiretos, e os profissionais serão formados pelo Senai.

“A presença do Senai-PR entre as instituições parceiras pesou em nossa decisão de escolher o município de Castro para o empreendimento”, disse o presidente da Cargill no Brasil, Marcelo Martins, na solenidade em que o governador Beto Richa e o prefeito de Castro, Moacyr Elias Fadel Junior, assinaram o protocolo de intenções com a empresa para formalizar o investimento.

O encontro, realizado no Memorial da Imigração Holandesa, em Castrolanda, teve ainda a presença de secretários estaduais, deputados federais e estaduais, prefeitos da região, lideranças do setor produtivo e da comunidade de Castro. “Será levantada uma estrutura pré-moldada, de mil metros quadrados. O Senai fará as adequações internas necessárias para as atividades”, explicou a gerente regional da unidade Sesi/Senai dos Campos Gerais, Rosmery Kostycz. Segundo ela, o Senai-PR vai levantar as necessidades da empresa em relação aos trabalhadores e elaborar os projetos de formação profissional. “Tudo estará pronto em meados de 2012”, explicou.

O empreendimento será construído em 2012, e a operação está prevista para iniciar no ano seguinte. A previsão é começara com o processamento de 800 toneladas de milho por dia e potencial para chegar a 3.200 toneladas. Serão produzidas soluções em amidos e adoçantes para uso industrial em produtos lácteos, balas, confeitos, bebidas, pães e na indústria de papel e papelão, além de nutrição animal.

Com a instalação de empresas satélite, que irão aproveitar os produtos da nova unidade da Cargill em Castro, deve se formar um novo complexo de produção alimentícia capaz de elevar o investimento para R$ 1,2 bilhão, atingindo o mesmo porte do que a Cargill já mantém em outros pontos do mundo e formando uma biorrefinaria.

Segundo o governador Richa, o investimento está sendo feito por meio do programa Paraná Competitivo, que atraiu cerca de R$2 bilhões em investimentos e tem outros R$ 12 bilhões em negociação. “Os Campos Gerais têm vocação para se tornar um grande polo de produção industrial. A produção agrícola com alta tecnologia, a infraestrutura, a posição geográfica em um entroncamento rodoviário com acesso à capital, ao porto e a outros estados e a oferta de mão de obra qualificada são algumas das vantagens para atrair investimentos para a região”, afirmou. 

Fundada em 1865, a norte-americana Cargill está presente em 66 países e emprega 131 mil pessoas. Está no Brasil desde 1965 e hoje tem operações em 13 estados, com escritórios em 122 municípios, empregando 6 mil pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário