quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Aprendizagem industrial é tema de Fórum catarinense


A inserção de adolescentes e jovens no mercado de trabalho foi o tema central do 1º Fórum Catarinense de Aprendizagem Profissional, iniciativa da Superintendência Regional de Trabalho e Emprego do estado (SRTE-SC). O evento foi realizado nesta terça (23/8), no Centro de Eventos do Sistema Fiesc, em Florianópolis.

A aprendizagem é uma modalidade de educação profissional que permite ao estudante, de 14 a 24 anos ou com deficiência em qualquer idade, estudar durante um turno e trabalhar nas empresas, com carteira assinada, no outro turno. Conforme o coordenador-geral de preparação e intermediação de mão de obra juvenil do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), André Tomé Igreja, a meta do ministério é fazer com que 1,2 milhão de pessoas estejam inseridas no programa em 2015.

O diretor de educação e tecnologia do Senai-Ca, Antonio José Carradore, apresentou a atuação da organização nesta modalidade de ensino para o trabalho, com a formação de pessoas qualificadas de acordo com a demanda dos diversos setores industriais. Para o superintendente Regional de Trabalho e Emprego do estado, Rodrigo Minotto, a aprendizagem profissional "amplia e democratiza as oportunidades de acesso ao mercado de trabalho".

Responsável pela fiscalização, a auditora fiscal da SRTE, Inge Ranck, ressaltou que a aprendizagem "não deve ser encarada como mera contratação de mão-de-obra barata". Para ela, as empresas devem priorizar a contratação de alunos oriundos das escolas que integram o sistema nacional de aprendizagem, o chamado Sistema S. "As empresas precisam ficar atentas a muitas entidades que oferecem aprendizes, mas não estão inseridas no cadastro nacional de aprendizagem". Também estiveram presentes representantes do Ministério Público do Trabalho, outro órgão que atua na fiscalização.

Nenhum comentário:

Postar um comentário