sexta-feira, 15 de julho de 2011

Empresas e gestores disputam ranking dos campeões das melhores práticas socioambientais

A apresentação do Ranking Benchmarking 2011 dos Detentores das Melhores Práticas é uma atração à parte na 4ª FIBoPS – Intercâmbio Internacional Pró-Sustentabilidade, que se realizará de 26 a 28 de julho, no Centro de Eventos São Luiz, em São Paulo. Os 28 cases divulgados nesta semana serão compartilhados nos miniboxes montados na Ilha Benchmarking, aberta à visitação, e também no BenchMais2, livro que será lançado no encerramento da feira com presença da ministra de Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e apresentação da Orquestra Bachiana Senai-SP.

“Mais do que um selo que certifica as melhores práticas, o Programa Benchmarking compartilha conhecimento aplicado em eventos e publicações técnicas”, explica Marilena Lavorato, presidente do Comitê de Sustentabilidade do Instituto Mais. 

Para a especialista em gestão socioambiental, o Programa Benchmarking é um contraponto ao greenwashing – práticas maquiadas que já entraram na mira do Conar, o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária. “A exemplo do que ocorreu com movimentos legítimos por sua universalidade e racionalidade nos seus fundamentos e valores, a sustentabilidade também se de tornou alvo da pirataria”, acrescenta Marilena.

O Selo Benchmarking surgiu há nove anos com uma pesquisa em mais de 300 empresas devidamente estruturada na área socioambiental. Desenvolveu metodologia própria baseada na ferramenta de gestão benchmarking (aprender com os detentores das melhores práticas) e, a partir dos resultados, selecionou mais de 200 boas práticas de sustentabilidade com critérios rigorosos e total independência. “É um selo plural, inclusivo, e com o apoio das mais respeitadas instituições do País”, completa Marilena.

O modus operandi do Programa é exclusivo e compreende uma comissão técnica de especialistas de vários países, ligados a instituições representativas, academia e mídia especializada que pontuam os quesitos das práticas sem ter acesso ao nome da organização. Os mais bem pontuados, acima do índice técnico, são reconhecidos como Benchmarking, ou seja, detentores das melhores práticas de sustentabilidade em uma das temáticas gerenciais: arranjos produtivos, energia, emissões, resíduos, recursos hídricos, educação e comunicação, ferramentas de gestão, manejo e reflorestamento, proteção e conservação, Pesquisa e Desenvolvimento, etc. Este ano, a comissão técnica reuniu 15 especialistas de seis diferentes países que ranqueou, pela metodologia Benchmarking, 28 organizações brasileiras.
Saiba mais: 11 3257-9660, 3637-4457 e www.fibops.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário