terça-feira, 5 de julho de 2011

Cerâmica certificada: Laboratório trabalha para aumentar a competitividade de olarias do Amazonas

Produto diferenciado e satisfação do consumidor de blocos e telhas. Esses são os principais objetivos do Laboratório de ensaios cerâmicos que o Senai do Amazonas mantém em sua unidade do Distrito Industrial de Manaus. A unidade acaba de sediar o 1º Encontro dos Ceramistas do Amazonas. O diretor regional da organização, Aldemurpe Barros, explicou que o setor de cerâmica vermelha possui grande potencial, porém ainda carece de profissionais qualificados e de produtos padronizados.

O laboratório passou por pré-auditoria em janeiro – Foto Senai-AM

“Temos o propósito de contribuir com a competitividade das olarias do estado. Para tanto, estruturamos o Laboratório de Cerâmica Vermelha, que foi certificado em abril pelo Organismo Certificador de Produtos (OCP) da Escola Senai Mario Amato, de São Bernardo do Campo, em São Paulo." Segundo o diretor, a unidade tem competência em serviços técnicos e tecnológicos (STTs) para promover a certificação de telhas e blocos cerâmicos, bem como criar soluções para a melhoria dos processos e produtos, permitindo a sua padronização de acordo com o enquadramento técnico exigido.

O assessor Técnico e da Qualidade da Anicer, Edvaldo Maia, destacou que é importante os STTs desenvolvidos em cerâmicas, principalmente pelas novas exigências do mercado com os programas federais de qualidade na construção civil. Outro temas levantado por Maia foi o Programa Conheça o Seu Produto, iniciativa tocada em parceria pelo Senai, o Sebrae Nacional e a Anicer, na qual os ensaios cerâmicos são subsidiados em 70% e apenas 30% é desembolsados pelo empresário ceramista. O programa foi lançado no início do ano passado, com a proposta de atender 400 empresas ao longo de três anos. 

Os estados do Sudeste possuem empresários mais motivados na busca pela certificação de seus produtos, ao contrário da cultura dos ceramistas do Norte, que agora estão despertando para necessidade de oferecer um produto certificado de acordo com as normas técnicas do segmento.

“O empresário agrega valor ao produto quando este é certificado e quando o seu colaborador consegue realizar a venda técnica das telhas e blocos comercializados", ressaltou Maia. Até o momento, cerca de dez cerâmicas do Norte estão sendo beneficiadas pelo programa, mas esse número ainda é muito baixo, avalia o assessor da Anicer. “Lembro que o valor cobrado no laboratório do Senai, único certificado por OCP no Norte brasileiro, é de R$ 241 para blocos. 

Entretanto, o empresário que participa do Programa Conheça Seu Produto paga apenas R$ 103,50, mais uma vantagem que permite que os ceramistas busquem adequar seus produtos à qualidade”, informou Maia. O chefe de laboratório do Senai  Mário Amato, Adriano Lanes, explicou que o Senai-AM "vai trabalhar em rede, no qual o serviço que não é oferecido pela unidade poderá ser prestado pela Escola Mário Amato."

Nenhum comentário:

Postar um comentário