quinta-feira, 2 de junho de 2011

Setor de reparação de veículos do Paraná discute entraves e soluções

Empresários e sindicatos do setor de reparação de veículos participaram de fórum setorial promovido pelo Sistema Fiep na segunda (30/5). Os abordaram impasses para o desenvolvimento da cadeia produtiva no Paraná e as demandas encaminhadas durante o primeiro fórum, realizados em 2009. Naquela edição foram levantados os principais entraves que prejudicavam o desenvolvimento e a competitividade da cadeia produtiva do setor e de que maneira a Fiep, o poder público e as próprias empresas, sindicatos e associações poderiam trabalhar para o encontro de soluções.

Em 2009, a principal demanda do setor era a capacitação de profissionais de forma customizada, além de cursos de gestão e administração empresarial para os proprietários. Estas questões foram atendidas via ações do Sesi e Senai.

Hoje o setor de reparação de veículos é o segundo em número de matrículas nos cursos profissionalizantes e técnicos do Senai-PR: apenas neste ano foram realizadas mais de 13 mil matrículas. Outras iniciativas são direcionadas para capacitação dos gestores das empresas, com módulos nas áreas de gestão de pessoas, marketing, finanças, etc.

De acordo com a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho e Emprego, de 2009, o setor de reparação de veículos possui 4.532 estabelecimentos que empregam 17.121 pessoas em todo Paraná. Para mapear esta cadeia de forma mais consistente, o Sistema Fiep pretende realizar um Censo das empresas de reparação de veículos do estado. “Precisamos saber quem são e onde estão estas empresas”, afirma Evaldo Kosters, vice-presidente da Fiep e empresário da área.

Segundo ele, a grande dificuldade desta missão é seu alto custo, pois se trata de um setor muito numeroso, cujo mapeamento demandaria um longo e extenso trabalho de campo. A sugestão do presidente da Fiep, Rodrigo da Rocha Loures, é que seja formado um 'pool' de agentes que poderiam financiar a realização do Censo, como o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes) e o Sebrae.

Nenhum comentário:

Postar um comentário