terça-feira, 28 de junho de 2011

Logística: Indústria do Sul se une pela melhoria da infraestrutura

As Federações das Indústrias dos Estados de Santa Catarina (Fiesc), Paraná (Fiep) e Rio Grande do Sul (Fiergs), com o apoio do Sistema Indústria, vão promover o maior estudo até hoje realizado sobre modais logísticos na Região Sul, interligados ao Chile, Argentina, Uruguai e Paraguai. Na sexta (1/7), será feito o lançamento catarinense do projeto Sul Competitivo, que vai mapear o que há e apresentar soluções integradas para o transporte de produtos por meio de portos, aeroportos, ferrovias, hidrovias, dutovias e rodovias.

A integração técnica desses modais pode gerar redução de custos e dar rapidez a todo o sistema de circulação de mercadorias, gerando maior competitividade da região. O pontapé inicial do estudo será na sede da Fiesc, em Florianópolis, quando empresários, associações produtivas e autoridades estaduais se reúnem para conhecer detalhes sobre o desenvolvimento do projeto. A apresentação oficial também ocorrerá no Paraná, na quinta (30/6).

"O grande diferencial desse estudo é a busca por soluções integradas para os três estados, também com vistas ao Mercosul. Dessa forma, será possível otimizar os recursos buscando a competitividade da região", diz o presidente do Sistema Fiesc, Alcantaro Corrêa. 

Durante a primeira fase do Sul Competitivo, uma equipe de 12 profissionais fará um amplo diagnóstico das condições da infraestrutura de transportes na região sul e no Mercosul, bem como estudará as 19 principais cadeias produtivas produzidas, exportadas e/ou importadas pela região Sul do país – o que representa cerca de 70 produtos agrícolas, minerais, florestais e industriais –, levantando os gargalos logísticos e respectivas soluções.

Também serão analisados números sobre a produção atual e futura e o local de consumo de todas essas cadeias, bem como as matrizes origem-destino e o impacto destas no custo logístico. “Visitaremos portos e outros modais do Chile, Argentina, Uruguai e Paraguai para entender como funciona a logística de escoamento dos três estados sulistas por essas vias. O objetivo final será o de realizar uma priorização dos projetos de infra-estrutura de transportes necessários na região sul com base no seu potencial de redução do custo logístico e conseqüente aumento da competitividade da região", explica Olivier Girard, sócio da empresa de consultoria Macrologística.

A empresa está à frente do desenvolvimento do estudo, incluindo diagnóstico e propostas de soluções. Ela é a responsável pelo Projeto Norte Competitivo, um conjunto de soluções logísticas para os nove estados que integram a Amazônia Legal, entregue ao governo federal em março passado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário