terça-feira, 7 de junho de 2011

Indústria pesqueira: Brasil exporta 1.500 toneladas de atum para Japão

O Porto de Natal recebeu na semana passada (30/5) um navio-frigorífico (foto), direto do Japão, sem escalas, para transportar 1.500 toneladas de atum brasileiro. Trata-se da primeira grande exportação desde que o Projeto Atum Brasil-Japão foi lançado em fevereiro, em parceria inédita do Senai com a empresa potiguar Atlântico Tuna e o governo japonês.

O vice-presidente do Sistema Fiern, Amaro Sales de Araújo, o secretário Estadual de Agricultura, Pecuária e Pesca do Rio Grande do Norte, Betinho Rosado, o diretor-presidente da empresa Atlântico Tuna, Gabriel Calzavara, e o diretor regional do Senai-RN, Rodrigo Diniz de Mello, recebeu a imprensa no Porto de Natal para apresentar o projeto.

Primeira aula do curso, que atende mulheres de comunidades de Curitiba - Foto Rogério Theodorovy/Sistema Fiep

Segundo Calzavara, sua empresa tradicionalmente pesca atum com tecnologia espanhola e americana. "Agora estamos utilizando a tecnologia japonesa para pescar no Oceano Atlântico, o que nos dá mais condições de pescar o atum do tipo albacora." Ele destacou o trabalho de capacitação dos trabalhadores da empresa. “Com mais absorção do recurso pesqueiro disponível e o aumento da captura de forma sustentável, permitindo a retomada das exportações e a difusão de tecnologia, precisamos formar pessoal e este trabalho está sendo feito em parceria com o Sistema Fiern e a expertise do Senai”.

“É um momento áureo do Projeto Atum Brasil-Japão”, comentou Rodrigo Melo, que no início de junho recepciona equipe japonesa para discutir novas ações do programa. “Definiremos estratégias, ocupações técnicas, perfis de tripulantes. Vamos formar trabalhadores que irão ocupar vagas em navios japoneses que chegarão em breve para aumentar a frota atuneira do nosso estado." O centro de tecnologia do Senai em Santa Cruz foi ampliado para abrigar cursos de capacitação do projeto. Com turmas já formadas, a expectativa do Sistema Fiern/Senai é de preparar pelo menos 400 trabalhadores nos próximos dois anos.

O Rio Grande do Norte dispõe de 25 municípios litorâneos, 84 comunidades pesqueiras, 30 colônias de pescadores, e 11 mil pescadores cadastrados no litoral. O estado é o maior exportador de pescado do Brasil e fechou 2008 com cerca de 10 mil toneladas de produtos (atum, espadarte, lagosta e camarão de cativeiro) vendidos para fora do País.
Foto: Senai-RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário