segunda-feira, 6 de junho de 2011

Indústria debate gargalos no setor moveleiro do Paraná


Empresários e sindicatos das indústrias de móveis do Paraná reuniram-se na quinta (2/6), no Sistema Fiep, em Curitiba, para discutir as demandas e os gargalos que impedem o crescimento do setor. A reunião fez parte da programação dos Fóruns Setoriais, em que representantes das diversas cadeias produtivas apresentam questões que mais lhes preocupam e discutem o que o Sistema, o poder público e os sindicatos podem fazer para melhorar as condições de produção. A realização dos Fóruns antecede a realização do Congresso Paranaense da Indústria, quando os assuntos serão tratados de maneira mais pontual.

Este trabalho é a continuidade das ações iniciadas nos Fóruns de 2009. Agora, é o momento de avaliar quais as ações que surtiram efeito na eliminação de gargalos e quais as novas demandas que se tornaram centrais neste meio tempo. Dois anos depois, os representantes da indústria moveleira destacaram como principais limitações para o seu desenvolvimento a nova legislação ambiental, que inclui a questão da gestão de resíduos e a logística reversa; a política cambial vigente e a falta pessoal qualificado.

Veja reportagem da TV Fiep sobre o Fórum da Construção civil


Para enfrentar a carência de profissionais preparados, o Senai prevê neste ano a abertura de 1.800 vagas para cursos técnicos.São projetos de capacitação em 14 indústrias no estado, a realização de cursos de aperfeiçoamento profissional em diversas áreas. Para atrair os jovens, o Senai levou para São José dos Pinhais e para Arapongas – importantes pólos moveleiros – um curso de aprendizagem com duração de um ano e meio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário