quinta-feira, 26 de maio de 2011

Cerâmica vermelha: Laboratório dá mais qualidade ao Polo Oleiro do Amazonas

A indústria cerâmica do Amazonas não precisa mais testar a qualidade de suas peças fora de Manaus. O Senai criou um espaço para promover às indústrias serviços técnicos e tecnológicos do segmento com o Laboratório de Cerâmica Vermelha. Um dos primeiros benefícios, segundo a presidente do Sindicato da Indústria de Olaria do estado, Hyrlene Ferreira, é a diminuição dos gastos dos empresários do setor oleiro na avaliação de seu produto, que tinham uma logística cara, deficiente e difícil para mandar amostra para avaliação em São Paulo ou Minas Gerais

Nos ensaios de blocos e telhas, são ponderadas as determinações de dimensões, resistências a compressão, da massa seca e do índice de absorção de água dos blocos cerâmicos. Quanto às telhas, são avaliadas as dimensões, empeno, torção, galga mínima, massa, absorção de água, carga de ruptura à flexão em três pontos e verificação de sua impermeabilidade.

O gerente da escola onde está instalado o laboratório, Eduardo Matos, informa que recente auditoria atestou a qualidade dos ensaios de certificação do laboratório. O laboratório de cerâmica foi concebido para atender principalmente as olarias instaladas nos municípios de Iranduba e Manacapuru, onde se empregam cerca de 10 mil trabalhadores.

Eduardo Matos (esquerda) explica ao empresário Antonio da Mata e à presidenta do Sindicato, Hyrlene Ferreira, como funcional o laboratório
Eduardo Matos (esquerda) explica ao empresário Antonio da Mata e à presidenta do Sindicato, Hyrlene Ferreira, como funcional o laboratório

“Os ensaios são realizados por técnicos qualificados em uma instalação apropriada e com equipamentos de ponta, garantindo a qualidade dos serviços prestados pela instituição”, assegura Matos.

O proprietário da Cerâmica Rio Negro, Antônio da Mata, que também é vice-presidente do Sindicato é um dos usuários do laboratório, prospectando futuras melhorias em seus produtos após o relatório desenvolvido pelos técnicos do Senai. Ele também prega a qualificação dos trabalhadores do setor. “Para inserir a modernidade na produção de cerâmicas precisamos de profissionais com formação básica e profissional, pois sem o conhecimento não há como automatizar os processos, tão pouco ter qualidade."

Da Mata propõe a realização na primeira quinzena de junho encontro com ceramistas sindicalizados e empresários da área e técnicos do Organismo de Certificação de Produtos do Senai de São Paulo. A reunião deverá ter como pauta benefícios da certificação das cerâmicas como ferramenta indispensável para a sustentabilidade dos negócios e o cenário oleiro nas demais regiões do país.

A escola do Senai especializada na área da construção civil e localizada no Distrito Industrial de Manaus também oferece mais de 20 cursos de qualificação profissional nos diversos segmentos do setor, além de serviços técnicos e tecnológicos nas áreas de madeira/móvel e certificação de pessoas que atuam como pedreiros, instaladores elétricos, pintores e encanadores.
Para saber mais ligue 3614-5900/5901, ou acesse www.fieam.org.br/site – Foto Senai-AM.

2 comentários:

  1. Uma ótima notícia para a indústria ceramista do Estado do Amazonas.

    ResponderExcluir
  2. Boa notícia para a indústria ceramista do Estado do Amazonas.

    ResponderExcluir