quarta-feira, 20 de abril de 2011

Indústrias de bebidas: Carga tributária e falta de profissionais são os principais gargalos do setor

Em mais um Fórum Setorial, a coordenação de desenvolvimento do Sistema Fiep se reuniu com representantes das indústrias de bebidas para elaborar a agenda do setor que será discutida durante o Congresso da Indústria, em junho deste ano. O encontro realizado nesta terça (19/4), em Curitiba, contou com as participações dos presidentes do Sistema, Rodrigo da Rocha Loures, e do Sindibebidas-PR, Nilo Cini Junior, representantes de empresas com sede em diversas regiões do estado e gestores da Diretoria de Relações com Sindicatos e da Diretoria de Desenvolvimento e Negócios da Fiep.

Ponto comum entre os representantes do setor, a carga tributária aparece como maior vilão dos empresários. “A questão tributária não é um problema apenas do setor de bebidas. Mas no nosso caso, devido à grande concorrência, tem sido impossível repassar estes custos aos produtos”, explica Cini.

Rocha Loren: Sistema Fiep auxilia indústrias a fazer da inovação uma ferramenta de competitividade – Foto Gilson Abreu
Rocha Loren: Sistema Fiep auxilia indústrias a fazer da inovação uma ferramenta de competitividade – Foto Gilson Abreu

Para Rocha Loures, a questão tributária deve ser discutida exaustivamente e em todas as esferas. “Promovemos campanhas que envolvem todos os setores da sociedade para discutir as altas cargas tributárias sob diferentes óticas. Uma delas é a iniciativa da cartilha Sombra do Imposto, distribuída recentemente para conscientizar a sociedade sobre a quantidade de impostos pagos em produtos e serviços consumidos. Apenas com a Educação de todos é que atingiremos o objetivo comum."

Outro entrave apontado no Fórum é a falta de profissionais capacitados para atender o crescimento do setor. O Paraná tem 116 indústrias de bebidas, que empregam cerca de 5,5 mil pessoas. De acordo com representante da AmBev, Juvenal Fonseca, o governo brasileiro atuou fortemente para diminuir o índice de desemprego no país com medidas que fortaleceram a economia, mas pecou na capacitação de profissionais. “Uma saída para suprir essa falta pode estar na inclusão social com a contratação de portadores de deficiência. Isso poderia resolver dois problemas sociais. Mas para isso é preciso capacitar essas pessoas de forma técnica e psicológica."

Rocha Loures apontou outras iniciativas que podem ajudar a aumentar a competitividade do setor. “Esses fóruns de discussão nos quais são levantados os gargalos de cada setor também servem para os empresários se atualizarem quanto às iniciativas do Sistema Fiep. Como os serviços ofertados pelo Centro Internacional de Inovação (C2i), que auxilia as empresas a fazer da inovação uma ferramenta de competitividade, e os produtos do Senai e do Sesi."

Até o início de junho serão 20 Fóruns Setoriais com foco na elaboração da agenda de cada setor, que será apresentada e discutida com representantes de todos os sindicatos, e também dos governos municipais, estadual e federal. Tudo para aumentar o poder competitivo do setor produtivo. O próximo encontro será em 28 de abril, com representantes da indústria da borracha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário