segunda-feira, 11 de abril de 2011

Fora das drogas: Qualificação profissional vai ajudar na recuperação de dependentes químicos

Em Santa Catarina, dependentes químicos do Instituto Pró-Vida iniciam nesta segunda (11/4) curso com ênfase em assentamento cerâmico no Senai de Itajaí. Com a parceria da prefeitura local, o programa beneficia 25 alunos do instituto, onde serão realizadas as aulas.

"Uma atividade profissional pode abrir novos horizontes para as pessoas. Dessa forma, associada a outras medidas sócio-inclusivas e aos tratamentos adequados, uma qualificação profissional pode contribuir para que os dependentes químicos construam uma perspectiva de vida diferente", afirma o diretor do Senai de Itajaí, Marcos Hollerweger.



As obras são produzidas no Senai de Joinville podem ser usadas pela comunidade  – Foto Ivonei José Fazzioni
As obras são produzidas no Senai de Joinville podem ser usadas pela comunidade – Foto Ivonei José Fazzioni
Destaque para o Braile
Instituído em junho de 2010, o Dia Nacional do Sistema Braile foi celebrado pela primeira vez na última sexta (8/4). Em Santa Catarina, o Senai de Joinville
promoveu na Feira do Livro as obras em braile produzidas pelo Laboratório de Acessibilidade da organização.
O Laboratório de Acessibilidade surgiu para apoiar o adolescente Tiago Artur Cunha, que tem apenas 3% de visão e está cursando o ensino médio. Agora, a unidade tem condições de aprendizado para todos os estudantes com algum tipo de necessidade especial. "Uso os conteúdos para me preparar para provas e para estudar em tabelas e gráficos", explica Tiago. Além de produzir as obras técnicas para cursos profissionalizantes, o laboratório possui em seu acervo livros da literatura.

A universitária Minéia Virgínea Negrão, que é cega e colaborou na instalação do laboratório como estagiária do Senai, usa o laboratório. "É muito difícil encontrar livros em braile ou digitais nas escolas ou faculdades, por isso, o laboratório é de extrema importância para que pessoas com deficiência possam estudar e se inserir na sociedade."

Outras ações de inclusão são o treinamento dos profissionais do Senai, inclusive em Libras, a criação de programas específicos e adaptações arquitetônicas. No ano passado, o Laboratório foi reconhecido pelo Prêmio Nacional de Educação em Direitos Humanos.

O Senai marcou presença na Feira do Livro também com a Tertúlia, que congregou seus estudantes do ensino em eventos culturais, com palestras, desfile de moda e apresentação de produtos desenvolvidos pelos estudantes, como peças mecânicas e robôs.

Nenhum comentário:

Postar um comentário